quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Towers





























Alguns lembrarão hoje do dia 11 de setembro de 2001.

A data é marcante para New York e o complexo do World Trade Center.

Eu me lembrei de outra data especial: 7 de agosto de 1974,  que também marcou
a cidade americana.

Naquele dia, o equilibrista francês Philippe Petit realizou o feito de atravessar 43
metros de um cabo que ligava as famosas torres gêmeas.

A altura?

417 metros.

A façanha  lhe rendeu uma prisão.

E infelizmente jamais poderá ser repetida.

10 comentários:

Rafael Schelb disse...

Maluco

Anônimo disse...

E tem o filme muito bom, contando a história: "O Equilibrista" ("Man on Wire", de 2008). Puro rock n roll.

Mario

Anônimo disse...

E o "Homem-Aranha"?

Aquele escalador "maluco" que gostava de escalar/subir prédios e monumentos mundo à fora, era francês também, não era?

Imagino que nenhuma das 2 torres gêmeas foram escaladas por ele...

um abraço,
Renato Breder

Anônimo disse...

excelente lembrança, Corradi. Dez!

o filme sobre o feito é ótimo de se ver. o cara é puro artista, de alma.

fernando

Anônimo disse...

Teve um cara que escalou por fora, sim.
Dá uma olhada no Youtube um trecho do programa do Goulart De Andrade visitando as torres em 1988, acho.
O cara que dava o tour comentou sobre o caso.

Abraço.

Anônimo disse...

Esse tinha que estar no "Tá doido!"


Danilo Cintra

Ron Groo disse...

Eu não sabia desta.

Anônimo disse...

O filme sobre o feito desse cara é excelente.
Conta como foi que Petit teve a idéia - ele já havia realizado uma travessia sobre uma ponte em Sydney, não lembro se sólida, ferro e pedra, ou pênsil, mas o fato é que também foi realizada 'de assalto', sem solicitação formal alguma à autoridade municipal alguma.

Daí conta a preparação, com alguns registros da época e muita reencenação dos preparatórios até a realização da performance, pontuado com entrevistas dos amigos e da companheira dele na época, os q se envolveram no projeto.

É uma legí.tima performance artística, do tempo em que performance , embora já uma categoria de produção artística de vanguarda, ainda não era uma matéria muito difundida nas escolas de arte de então.

Um momento q acho muito interessante do filme, é um registro original da época, a entrevista coletiva de um dos dois guardas policiais de NYC destacadas para subir lá e deter Petit, ele já em plena ação, no meio da distância entre as coberturas das torres - q ainda não tinham sido inauguradas, se não estou errado - e ele fica ficava 'indo e voltando' no percurso de uma torre a outra
e o guarda conta, "não havia como tirá-lo de lá , tivemos de esperar ele concluir a ação q queria fazer, e nessa espera entendi que eu estava sendo testemunha de um feito único e importante, como não."
declarou mais ou menos isso o jovem policial.
genial essa performance.

Phillipe Petit esteve no Brasil há poucos anos, veio lançar um livro q tem escrita mas também desenhos seus, se bem em lembro veio para uma edição do festival FLIP em Parati.

Fernando Amaral

Robison Filippi disse...

Corradi
Sera que teremos um rascunho sobre Luca di Montezemolo? Nao só sobre sua conturbada saída, mas também sobre sua trajetória?

robison filippi

Humberto Corradi disse...

Robison Filippi

Tem muitos interesses comerciais aí.

A falta de vitórias na F1 foi mais uma desculpa.

A FIAT quer abrir o capital da Ferrari e lançar ações da Scuderia na bolsa, coisa que Montezemolo era contra pois diminuiria seu poder de decisão.

Enfim.

Ou vc demite ou promove. Nunca rebaixa...

Valeu