quarta-feira, 20 de junho de 2018

Red Bull, Honda e McLaren






























Você já sabe da confirmação do acordo entre Red Bull e Honda.

Mas talvez existam coisas que não são do conhecimento de todos.

O contrato é por quatro temporadas.

Dois anos com uma opção para mais dois anos.

A unidade de força japonesa já entrega tanta potência quanto
a da Renault.

A Honda cresce hoje sob o olhar de Mario Ilien e o chefe de engenharia
Axel Wendorff.

Este último contratado entre as fileiras da Mercedes.

Entre motores e dinheiro vivo, os japoneses colocarão 300 milhões de euros
por ano na casa dos energéticos (Red Bull / Toro Rosso).

Sem nomear o motor, a Aston Martin continuará como patrocinadora.

A McLaren?

Perdeu a grana e deixou de ser uma equipe de fábrica.

Porém o fato de atender todos os desejos de Fernando Alonso deve estar
compensando tudo, não?

Sol































E aí?

Alguém saberia dizer onde é isso?

segunda-feira, 18 de junho de 2018

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Clipping
































Vaga

Na imagem acima podemos contemplar Valtteri Bottas em Paul Ricard.

Foram mais de cem voltas para a Pirelli testar seus compostos para 2019.

O finlandês da Mercedes está fazendo uma temporada mais do que digna.

Além disso suporta a posição de segundo piloto da equipe trabalhando
em silêncio.

O que bloqueia qualquer tentativa de entrada para Daniel Ricciardo.

O australiano é um talento reconhecido por todos na Fórmula 1.

Seria um nome ótimo para a Ferrari.

Sergio Marchionne poderia escolher seu nome com facilidade para
o lugar de Kimi Raikkonen.

Porém Marchionne, nome da família que mais investiu na empreitada
de Pedro Alvares Cabral há mais de 500 anos atrás, deve preferir a
harmonia.

Como se dois bons produtos acabassem se canibalizando.

Assim Toto Wolff e Marchionne não devem mexer em suas frentes.

Ricciardo?

Joga dizendo ter propostas das grandes.

(tenho até a informação que seu nome foi realmente colocado na mesa
vermelha)

Pediu um aumento (algo em torno de 20 milhões de euros / ano) para
permanecer na Red Bull.

E a certeza de mais dois anos de contrato (até 2020).

Cobrança

A mudança de comportamento de Max Verstappen no Canadá foi fruto
de um ultimato de Helmut Marko.

O time dos energéticos está bem irritado pelos erros do jovem holandês.

Até porque deu munição para Ricciardo negociar um melhor acordo.

Motor 1

A Renault não quer perder a Red Bull como cliente.

Mas tudo indica que a escolha em favor da Honda já foi feita.

Motor 2

A Porsche deve romper com a Fórmula E em 2020.

Depois seguirá com a Fórmula 1.

Cedendo unidades de força, nada de equipe própria.

Classificação

Na segunda divisão, sem as três grandes, Fernando Alonso ainda
lidera.

Só que Nico Hulkenberg e Carlos Sainz Jr. já encostaram no espanhol.

Mostrando que a Renault se firma a cada dia como a quarta força.

Pneus

As escuderias menores estão de olho nas decisões da Pirelli em
relação aos pneus que serão usados no futuro.

A razão é que a escolha pode influenciar a busca pelo melhor setup.

A menor influência aerodinâmica facilita a complexa busca pelo ajuste
do túnel de vento, simulador e a pista.

Amostra

Falando nisso, o simulador da Ferrari tem feito a diferença.

Vettel sempre exalta a equipe pois Antonio Giovinazzi, Daniil Kvyat
e Charles Leclerc (sim! nos intervalos...) trabalham incessantemente
no simulador para o melhor desempenho de Loria.

Absolvido

Raikkonen em Montreal não contava com certos elementos novos que
foram parar apenas no bólido de Sebastian Vettel.

Inclusive a Shell trouxe óleo e combustível novos para os bólidos da
Scuderia Italiana.

Desempenho

No Gilles Villeneuve.

Ferrari 992 hp
Mercedes 980 hp
Renault, McLaren e Red Bull 960 hp
Williams e Force India (Mercedes) 950 hp
Toro Rosso Honda 947 hp
Sauber e Haas 935 hp

Xadrez

Honda e Renault contratando peças que formaram a Mercedes.

Xerox

No grid de Montreal os engenheiros da Red Bull cercaram os carros da Ferrari.

De forma descarada.

Cadernos receberam anotações enquanto que diversas fotos eram tiradas.

Adrian Newey tem adaptado soluções italianas em suas criações a cada GP.

Persona Non Grata

Segundo o campeão Nico Rosberg, são as atitudes de Fernando Alonso que
bloqueiam qualquer possibilidade dele sonhar com uma equipe grande.

É Indy e Le Mans.

Provações

A FIA fez testes com Sebastian Vettel durante a prova do Canadá.

No meio da corrida mesmo!

Queria conferir se as soluções da Ferrari eram lícitas.

Liga.

Desliga.

Liga.

Assim.

Em certo momento Vettel perguntou para seu engenheiro Ricciardo
Adami quando ele poderia voltar a correr...

Desequilíbrio

Toto Wolff gritou dentro da equipe (cada vez mais) chinesa.

Explico.

Hoje a maior acionista da Daimler, dona da Mercedes, é a Geely do
bilionário chinês Li Shufu.

O nervoso?

A impotência perante a Ferrari foi evidente.

(pior, se o mundo não fosse obtuso Vettel estaria mais de 30 pontos a frente)

E o desânimo de Lewis Hamilton também.

Despertar o exército se fez necessário.

A França favorece em tudo ao time alemão.

(ou chinês?)

Uma derrota por lá para os adversários vermelhos poderia ser o começo
do fim.

A fraternidade é vermelha!

Dia



























As 24 Horas de Le Mans.

Ensaio.

terça-feira, 12 de junho de 2018

O Palácio






Coleção de imagens antigas do Palácio Chrysler com sua lendária pista no teto.

E uma foto mais recente, com o imóvel já transformado em Museu.































Não sabe nada sobre isso?

Então clique aqui.

quarta-feira, 30 de maio de 2018

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Clipping



























Reconheço.

Estou em falta com os amigos!

Estava em viagem.

Assisti a etapa espanhola somente neste domingo.

A Mercedes repetiu a performance vista lá na Austrália.

Domínio.

Na verdade, as Flechas de Prata foram ainda melhores em Barcelona
do que em Albert Park.

O time de Toto Wolff não trouxe muitas novidades aerodinâmicas,
entretanto se aproveitou dos testes realizados na Espanha no início
do ano para ajustar seu setup e de uma evolução em suas unidades
de força.

Sem contar a fácil adaptação aos novos compostos entregues pela Pirelli.

Interessante notar que Valtteri Bottas precisou economizar combustível
na parte final da corrida.

Fora isso foi um final de semana perfeito para a Mercedes.

Conquista da primeira fila e vitória de Lewis Hamilton sem sofrer qualquer
tipo de ameaça

Mas a preocupação é uma nuvem sobre Brackley.

Isso está claro ao vermos os constantes questionamentos feitos perante a
FIA sobre o bólido da Ferrari.

Não só isso.

Parece que teremos o controverso óleo jorrando pra todo lado em Mônaco.

Já que a Mercedes colocou para os fiscais sua interpretação do que seria
o uso lícito do lubrificante em seus carros.

Vamos ver.

Olhando a tabela do campeonato, fiquei contemplando a segunda divisão.

(aquela sem Red Bull, Mercedes e Ferrari)

Fernando Alonso lidera.

Porém Nico Hulkenberg, Kevin Magnussen, Carlos Sainz Jr. e Sergio
Perez querem a coroa de prata também.

Briga de foice.

A McLaren mira o quarto lugar no Mundial de Construtores.

Para isso, Eric Boullier leva a escuderia com mão de ferro.

(as demissões entregam)

A evolução do carro precisa aparecer em cada Grande Prêmio.

Com a performance da Red Bull empurrada pela Renault, a conversa
fiada do ano passado de que a McLaren era ótima e o motor Honda
uma porcaria não cola mais nesta temporada.

Não há desculpas.

A unidade francesa é boa e continua a crescer.

Pra amenizar a fraca atuação até aqui, a palavra vinda de Woking diz
que 2018 começou em Barcelona.

Boullier também olha de lado para Stoffel Vandoorne e não vai hesitar
em cortar mais cabeças.

A história do avanço prematuro de Max Verstappen poderia se repetir
numa promoção surpreendente de Lando Norris.

Ainda mais que o próprio Boullier está também na corda bamba.

Nada menos que uma excelente posição (pódio?) até a visita do circo
a Silverstone poderia fazer Fernando Alonso abrir a tampa e mostrar
seu poder dentro do time.

Enquanto a laranja vai cozinhando, o bilionário canadense Michael Latifi
se tornou sócio da McLaren.

Os movimentos de Latifi estavam sendo monitorados pelo Blog desde
o ano passado.

(F1Corradi, Latifi, Google...)

Seu filho, Nicholas, piloto reserva da Force India, está na Fórmula 2.

O rapaz tem 22 anos.

De repente Ferdi envelhece, Vandoorne roda e teremos  Norris e Latife
nos carros cor de abóbora na próxima década.

Quem sabe?

Mudando de assunto.

Se Magnussen, 25 anos, continuar com bons resultados será o piloto
do ano.

Incrível a queda de rendimento por parte de Romain Grosjean.

O francês parece a amiga feia que faz a outra parecer ainda mais bonita
no baile da Haas.

Me juntar a multidão contra Grosjean?

Não.

Aquele que tiver dez pódios que atire a primeira pedra.

Medonha é a situação da Williams.

Fraquinha.

Até sua forma de negócio está perdendo força.

Mesmo sendo uma empresa tecnológica e de capital aberto, a Casa de Frank
parece estar indo para a extinção na categoria máxima do automobilismo.

Claire suplica pelo teto de custos.

Já os Strolls querem um modelo de parceria com a Mercedes semelhante
ao da Haas com a Ferrari.

Menos custo (90 milhões) e pessoal (150 demissões).

A coisa pode caminhar por aí com os bólidos de Grove apenas exercendo
a função de carros de propaganda.

Absurdo?

Pode ser.

Mas lembre-se que a Benetton nasceu assim.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Tá doido!


























O empolgado Luca di Montezemolo vendo Niki Lauda vencer.

1975.

domingo, 20 de maio de 2018

Casa de Palha

























Mônaco. 1967.

O fim dos fardos de feno na Fórmula 1.