quinta-feira, 31 de julho de 2014

Rascunho de Recesso























Férias.

Da Fórmula 1.

Difícil acontecer algo relevante neste período.

Fernando Alonso (que aparece na imagem acima) completou 33 anos.

A McLaren fez questão de lhe parabenizar.

E a Mercedes refrescou a memória de Lewis Hamilton.

Lembrou que Ross Brawn mpediu que Nico Rosberg o ultrapassasse na
Malásia no ano passado.

O time prateado segue uma estratégia conjunta.

O objetivo é marcar o maior número de pontos possível.

Não há espaço para individualismos nesse contexto.

Hamilton desobedeceu.

A escuderia não gostou da atitude.

O acordo firmado no início da temporada diz que o plano deve ser seguido
sempre.

Como comentei outro dia, entendo o lado do time.

Lewis não está fazendo um favor para ninguém.

Ele é pago (e muito bem, por sinal) para obedecer ordens.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Leicht Fällen























E aí?

Alguém saberia dizer quem é o piloto?

Red Bull & Honda




















A Red Bull amplia sua participação na Repsol Honda Team.

Pelo novo acordo a marca do energético aparecerá na carenagem das motos nas
próximas temporadas.

Interessante o movimento.

Levando em conta o momento em que há muita especulação sobre a motorização
dos carros na Fórmula 1 para o futuro.

Cuidado

























Dê uma olhada nos gráficos acima.

Eles trazem informações comparando as performances de Felipe Massa e
Valtteri Bottas.

Reparou no equilíbrio dos pilotos da Williams na hora da classificação?

As diferenças ocorrem no momento que a luz verde é acionada para a corrida.

Interessante que o brasileiro parece ter percebido que não vale a pena arriscar
tudo no início das provas.

E por isso colheu frutos na Hungria.

Lembro que defendi Romain Grosjean quando na época todos o taxavam
como louco.

Clique aqui.

O francês tinha um bom histórico nas categorias de base.

Reparei naquele momento que seus acidentes sempre ocorriam na primeira volta.























Ao se tornar mais cuidadoso, os resultados na Lotus vieram e levantaram
sobrancelhas mesmo no comparativo ao badalado Kimi Raikkonen (seu
companheiro na época).

O experiente Felipe Massa não deveria ter que passar pelo mesmo processo.

Estranho?

Até que não.

Pois isso pode provar que a experiência na Williams tem sido realmente um fato
novo para o vice campeão de 2008.

Principalmente por ter que lidar com um companheiro mais novo e tão competitivo.

Ao entender o cenário, fico com a impressão que Massa será mais paciente após
o verão europeu.

Espero.

Isso deverá trazer equilíbrio aos seus resultados e pontos importantíssimos para o
time de Grove na briga dentro do Mundial de Construtores.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Rascunho Sobre um Monte de Coisa























O Safety Car traz a segurança.

Também a emoção da imprevisibilidade.

Os americanos sabem disso há anos.

O carrinho de segurança também restaura os abatidos.

O resultado do GP da Hungria todos já sabem.

Esse não é um Blog de notícias, que fique claro.

Nós comentamos e damos opiniões sobre o que está acontecendo.

Dito isso, vamos à situação da dança das cadeiras entre os pilotos.

Grandes mudanças ocorrerão?

Já para 2015?

Se todos soubessem como será o bólido da McLaren na próxima temporada,
diria que a resposta é sim.

Mas...

Os tops não querem ficar presos dentro de uma bomba (uma escuderia sem
perspectiva de vitória).

Ao mesmo tempo respiram mudanças (principalmente Vettel e Alonso).

Paradoxo.

Ferdi se recusa a ampliar seu vínculo com a Ferrari para além de 2015.

Sebastian olha torto para o motor Renault.

Lewis Hamilton segue batalhando nos bastidores com a Mercedes.

A imprensa alemã entende que o time não quer renovar com ele.

Não quer renovar agora.

Seria apenas para preservar a motivação do piloto?

Sua desobediência na Hungria fez bem para a competição (Lauda) e foi ruim
para a marca (Toto Wolff).

Entendo os dois lados.

Lewis não queria que Nico Rosberg vencesse ou ampliasse ainda mais sua
vantagem.

Já a Mercedes quer a vitória sempre.

É a propaganda, a centenária estrela de três pontas que está em jogo.

Você pode dizer que a máquina alemã é a melhor.

Mas chegou atrás da Red Bull (Renault) e Ferrari.

As flechas de prata desta temporada são os carros mais caros construídos para
competição em todos os tempos.

O investimento precisa ser justificado.

Afinal quem manda?

Lewis ou a Mercedes?

Enquanto isso a McLaren não para.

Há um barulho.

Ron Dennis estuda pagar multas e roubar promessas de outras escuderias.

Na lista poderiam estar o nome do russo Daniil Kvyat, Valtteri Bottas e Daniel
Ricciardo.

Os nomes ligados à Red Bull chamam atenção.

Indicam que um ou outro já foi contactado.

E Jenson Button?

Seu empresário queria uma renovação de dois anos.

Já fala em um.

Chora ter recusado a proposta da Ferrari e já bateu na porta da Williams.

Mas quem pode pagar o salário? Frank?

Repare que o inglês mira a vaga de Bottas (está de saída?).

Enquanto isso:











sábado, 26 de julho de 2014

Vai & Volta
















































Ele voltou!

Para trabalhar no projeto de tornar a Fórmula 1 mais popular.

Ele tem o apoio de Ferrari, Red Bull e Mercedes.

Precisa mais?

O Tordo me contou uma das ideias de Flavio Briatore.

"Adicionar lastro aos carros vencedores."

 Amigos, não fiquem melindrados ou ressabiados com isso!

O plano é outro.

Comentei no final do ano passado.

Clique aqui para lembrar.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Rascunho e a Pergunta: Quem Vai?
























"Você pode discutir comigo, mas não com os números..."

Célebre frase do Frangolino.

That's all folks!

Sebastian Vettel insiste em deixar seu futuro em aberto.

Por que?

Porque as propostas são tentadoras.

E ele sabe que não pode escolher errado.

Seus adversários adorariam colocar em seus acordos uma cláusula que
bloqueasse sua contratação.

As palavras do atual campeão são fortes para manter os boatos.

"Às vezes uma mudança pode fazer milagres..."

"Qualquer oferta deve ser considerada..."

Aí aparece a questão.

O piloto poderia deixar a Red Bull?

Sim.

Há uma brecha em seu contrato quando o assunto é performance.

A equipe precisa apresentar certos resultados.

A Mercedes colocou para Vettel um plano para 2016.

Lewis Hamilton tem uma opção já para 2015.

Mas...

Surpreendentemente a McLaren se mostrou mais agressiva.

A turma de Woking ofereceu um salário de 46 milhões de Euros para o motorista
alemão conduzir a Nova Era do motor Honda na Fórmula 1.



















A Red Bull, que não sabe ainda se continuará com a Renault ou fará uma parceria
com a Infiniti para desenvolver sua própria unidade de força, vai precisar dar uma
resposta a tantas investidas.

Há uma urgência por decisões.

Penso que Fernando Alonso está com os mesmos números da proposta de Vettel
nas mãos.

Ou então não deixaria a Ferrari tão ansiosa.

É pra parar e pensar mesmo, não?

Enquanto isso...

Pastor Maldonado deu pistas da aproximação de uma marca de cigarros com a Lotus.

Já falamos sobre isso.

Clique aqui para lembrar.

Em 2016 (New Jersey vem aí - de novo!) o Azerbaijão sediará o GP da Europa.

O americano Alexander Rossi, que foi desligado da Caterham, se juntou à Marussia.

Adrian Suttil disse que seu lugar (Sauber) nesta temporada não está ameaçado.

E o futuro de Romain Grosjean está associado a escolha que a Lotus fará para seu
motor em 2015.

Se continuar com a Renault, ele fica.

A vida é assim.

Feita de chegadas e partidas.



quinta-feira, 24 de julho de 2014

Retrô





















Dica.

O trabalho do Emerson Pippi.

Amigo que está sempre presente por aqui apoiando o F1 Corradi.

Clique aqui para conferir.

O Novo Hermanos Rodríguez



Pode ficar tranquilo, Tilke garantiu o fim da peraltada.

O nome do circuito?

Clique aqui para entender.

Tá doido!




















Índole.

s.f. Reunião de características e particularidades do indivíduo que estão presentes
desde o nascimento; caráter.

Figurado. Propensão natural, disposição, inclinação, gênio, temperamento.