quinta-feira, 17 de abril de 2014

Rascunho com Esperança























Eu gosto dessas corridas de madrugada.

O entorno fica mais tranquilo.

Difícil é colocar tranquilidade e Marussia na mesma frase.

Os planos de negócios que envolviam a escuderia foram pro sal.

Havia sonhos ambiciosos.

Clique aqui para lembrar.

Mas aí tudo mudou.

O projeto do agressivo carro esportivo de rua naufragou.

Pois a esperança de ter uma parceria com a Ferrari para além das pistas da
Fórmula 1 se revelou uma grande ilusão.

Os italianos não se interessaram.

Mais.

O contrato que visava fornecer novos carros oficiais para o governo russo
também não vingou.













Vladimir Putin não gostou do conceito Limousine da marca.

Fora isso ainda há a suspeita de que a administração desviou recursos dos
investidores da marca.

Nikolai Fomenko está sozinho e sem dinheiro.

E a Marussia está morta.

Ou melhor, esperando um milagre.

Bob Bell, que ocupava o cargo de diretor técnico, está deixando a Mercedes.

Bell já trabalhou com James Allison na Fórmula 1.

Lembrando que Allison é o projetista da Ferrari.

Ligou as pontas?

Sobrou uma?

Eu sei.

Bell foi contratado por Stefano Domenicali.

Será que a Scuderia Italiana vai seguir com o plano?

Falando em Ferrari, o nome de Gerhard Berger esquentou.

Na McLaren, Jenson Button fala em parceria com Fernando Alonso.

A nova equipe Haas segue gerando muitas dúvidas.

Principalmente sobre como o carro será construído (a ideia de motor Ferrari
e chassi Dallara continua).

Por conta do tempo.

Outra coisa.

Talvez Gene Haas tenha a certeza que haverá a padronização de algumas peças
para redução de custos na categoria.

O que facilitaria sua vida.

De certeza mesmo na Haas existem apenas duas coisas.

O desejo de ter pelo menos um piloto mais experiente.

E que a dupla titular vai pagar caro para andar nos carros do time.

Unidos

















































Essa tal rivalidade...

Sempre destruindo bons relacionamentos!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Os 3 Anos!




















A data exata é 13 de Abril.

Há três anos surgia este espaço.

É necessário dizer que sempre foi mais vontade do que qualquer outra coisa.

Meio improvisado.

Sim.

Até hoje eu ainda não sei qual será o próximo post.

Mas penso ser a receita certa.

Muitas mudanças nesse tempo.

Já houve mais fotos.

Histórias.

Biografias.

No momento existe a tentativa de mesclar isso com as coisas urgentes do presente.

Sempre buscando algo mais.

Desde que seja diferente.

Sem acomodação.

Por isso a escolha do nome Rascunho para a principal seção do Blog.

Pra lembrar que tudo pode ser melhorado.

Exceção feita apenas para os amigos que estão sempre por aqui.

O combustível.

Porque vocês são os melhores do mundo.

Valeu.

Alboreto


































Ferrari e Lotus.

Michelle Alboreto dividindo a curva com Mansell

O piloto italiano foi mais uma esperança que não deu em nada na Fórmula 1.

Esperança de se ver um novo Alberto Ascari.

Uma nova estrela da Itália.

Ambos tinham como característica o fino trato na direção.

Assim como a dificuldade de lidar com o embate nas pistas.

Apesar das oportunidades, o defeito superou o elogio no caso de Alboreto.

E ele se tornou mais um.

Diferente de Ascari que levantou dois títulos mundiais.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Acrylic on Canvas











































Ensaio.

A arte e da criatividade de alguns impressos que envolvem o automobilismo.

Rascunho Amargo






























Imagem de um solitário acelerando naquela pista das dunas.

Vamos lá.

Jean Todt e Mercedes de um lado.

Ferrari e Bernie Ecclestone de outro.

Infelizmente essa é a grande disputa do ano.

A Scuderia Italiana manda recadinhos atravessados através de entidades amigas.

O último foi do presidente do Comitê Olímpico Italiano

O cara disse que "não gosta desta nova Fórmula 1".

Quem se importa com a opinião desse sujeito?

Porém permanece o ataque.

Niki Lauda, pelo lado da Mercedes, responde.

Acusando.

"Estão destruindo o nosso esporte!"

A Red Bull não obteve êxito na sua apelação.

Assim, Daniel Ricciardo perde o pódio conquistado na Austrália.

Mas a Mercedes fez questão de enviar seu advogado para confirmar a decisão.

As outras equipes participaram apenas como ouvintes.

A Red Bull não sofrerá maiores punições (como queriam os alemães).

Não convém.

A Fórmula 1 está frágil demais.

Nada que não possa ficar pior.

A União Europeia pode colocar barreiras contra investimentos russos.

E essas sanções, infelizmente, viriam numa hora excelente para dizimar de vez
a Sauber e a Marussia.

Times que contam com investimentos daquele país.

Depois que a WSBK (motos) retirou a etapa russa do calendário, acho que tudo
pode acontecer.

Ou não, falando do GP de Sochi.

Com tantas coisas assim acontecendo, eu ando meio desconfiado de tudo.

Pedro Piquet, 15 anos, está dominando a F3 Brasil.

Venceu todas.

Mas na prova inaugural, quando seu carro engasgou na pole (sendo ultrapassado
por todos os outros competidores), me veio um mal estar.

Como num enredo de Hollywood, a nova esperança de Nelson veio de trás,
superou seus adversários e venceu.

Parece um filme.

Melhor, uma reprise.

Porque minha mente viajou até alguns anos atrás.

Para a últma prova que nelsinho piquet participou no Brasil antes de partir de vez
para a sua aventura na Europa.


























Foi em 2002 se não me engano.

O júnior havia dominado a Fórmula 3 Sul-Americana.

Na última etapa, precisou largar em último.

Justamente a que seria transmitida ao vivo pela Globo.

nelsinho (é minúsculo mesmo) foi escalando as posições, mas não conseguiu
vencer.

Com certeza não foi o final programado.

A tentativa de supervalorizar o piloto ficou evidente.

Não se enganem, a receita (com apoio gigante e presente do pai) está sendo
repetida.

A McLaren firmou parceria com a Gillette.
























Steve Robertson, empresário de Kimi Raikkonen, está aborrecido com a Lotus.

Ainda aquela questão salarial.

Linhas amargas.

Peço desculpas.

Mas as coisas não estão muito divertidas no mundo da velocidade.

Avulsa


























Williams BMW.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Rascunho - As Mudanças na Ferrari

























Foi antes do esperado.

Stefano Domenicali se adiantou e pediu demissão.

Já sabia que não era mais querido.

Luca di Montezemolo agradeceu seus serviços.

E também por ter facilitado o processo.

O chefe anunciou ainda quem ocupará o lugar de Domenicali.

Preste atenção.

Talvez você leia agora uma ou duas coisas que não saiba nessa história.

Fernando Alonso venceu a queda de braço dentre da Scuderia Italiana.

A saída de Domenicali mostra a força do piloto espanhol.

O ex-capitão foi o cabeça no plano que trouxe Kimi Raikkonen de volta a
Maranello.

Alonso, que muitas vezes havia criticado (de forma aberta) o comando técnico
do time, entendeu o recado.

Mas não se abalou.

A guerra interna estava declarada.

E Ferdi tratou de se ocupar do seu objetivo principal: desbancar o finlandês.

Ou o "Salvador da Pátria" como disse pelo rádio durante a classificação no
Bahrein.

Atingindo diretamente Stefano.

Agora, Alonso ficou maior e Raikkonen perdeu seu protetor.

Imagino a conversa entre Luca di Montezemolo e Flavio Briatore.

Um pacto buscando a permanência de Fernando por mais um tempo.

Mais.

Sem perda de tempo, Marco Mattiacci foi elevado ao posto de comando dentro
da Scuderia.

Mattiacci é um homem de negócios.

Expandiu as fronteiras da Ferrari por todos os cantos do mundo nos últimos
anos.

Tendo sido bem sucedido em tudo que tocou.

E a marca cresceu de forma assustadora.

E se tornou uma das mais valiosas do planeta.

No momento, Mattiacci estava comandando as operações italianas nos Estados Unidos.

Apesar disso ele não tem nenhuma experiência com corridas.

Qual o motivo de se colocar um homem assim nessa situação?

Fácil.

Mattiacci é hoje a maior ameaça ao posto ocupado por Montezemolo dentro
da organização da Famiglia Agnelli.

Sim, o Avocatto não está totalmente seguro em seu cargo.

Colocar seu principal adversário numa situação delicada pode ser uma jogada
para sua permanência no poder.

Se vencer, vencemos todos.

Se perder, acharemos o culpado e ele será sacrificado.

Montezemolo tem Cordero no nome.

No entanto não vai se prestar a esse papel.

É sempre melhor apontar outras cabeças ao invés da dele.

Detroit
















































A Fórmula 1 nos Estados Unidos

1988.

A turma preparando suas armas.

sábado, 12 de abril de 2014

World Series


Hoje foi realizada a primeira prova da World Series by Renault no tradicional
circuito de Monza.

Vitória do inglês Will Stevens, piloto que tem sua carreira ligada a Caterham.

Sergey Sirotkin estava lá também.

Achei que errou muito o russo da Sauber.

Legal acompanhar essa categoria que tem revelado alguns nomes interessantes
para o automobilismo mundial nos últimos anos.

E para valorizar o espaço, cabe uma saudação ao canal BandSports que deverá
transmitir ao vivo todas as etapas.