terça-feira, 17 de julho de 2018

A Conta





















Um infográfico sobre as diferenças de orçamento entre a atual
temporada e a anterior.

(clique na imagem para ampliar)

Umas notas.

Testemunhe o rombo de 300 milhões deixado pela Honda ao sair da
McLaren e amortizado em 100 milhões pelos acionistas principais
da equipe.

A chegada da Alfa Romeo mudou a Sauber, não?

E olhe os números.

Lembre-se que há uma proposta de redução onde haveria um teto
de 150 milhões de euros.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Clipping


























A maratona de três provas em três finais de semana consecutivos deve
ter sido cansativa tanto para as equipes como para os pilotos.

Paul Ricard, Red Bull Ring e Silverstone deveriam ter trago um saldo
mais positivo para a Mercedes.

Não só pelas características das pistas mas também pelo composto mais
fino escolhido pela Pirelli.

A Ferrari, que teoricamente iria realizar um controle de danos, saiu de forma
surpreendente líder nos dois campeonatos (pilotos e construtores).

Na guerra evolutiva o time italiano está com a vantagem.

Entretanto subestimar a capacidade da Mercedes e Lewis Hamilton seria uma
estultícia.

As emoções prometem nos perseguir até Abu Dhabi!

Observação

Dois Safety Cars (sem hesitação) em Silverstone com Hamilton escalando
o pelotão?

Gain

Já na disputa salarial Hamilton está vencendo.

(sem contar premiação extra por títulos, vitórias e patrocinadores)

Nesta temporada o piloto inglês encabeça a lista dos maiores vencimentos
com 37 milhões de euros anuais.

Com 2 milhões a menos, Sebastian Vettel vem em segundo lugar.

Há um empate triplo na terceira posição.

Max Verstappen, Daniel Ricciardo e Fernando Alonso estão no mesmo
patamar com 12 milhões de euros.

Nico Hulkenberg e Valtteri Bottas recebem 8 milhões cada um.

Kimi Raikkonen e Sergio Perez ganham 6 milhões de euros.

Romain Gorsjean 5 milhões de euros.

Carlos Sainz Jr. 4 milhões de euros.

Esteban Ocon e Stoffel Vandoorne recebem 3 milhões de euros cada.

Kevin Magnussen 1,5 milhões de euros.

Perto dele, Lance Stroll na Williams ganha duzentos mil euros a menos
que o dinamarquês da Haas.

Brendon Hartley, Pierre Gasly, Marcus Ericsson e Charles Leclerc recebem
750 mil euros cada.

Por fim, Sergey Sirotkin acertou 500 mil euros nesta temporada com
Claire Williams.

(lembrando que são vencimentos anuais)

Ricciardo e a Ferrari

Isso explica em parte o impedimento da mudança de Daniel Ricciardo para
a Scuderia Italiana.

O piloto australiano fez uma pedida de 20 milhões de euros anuais.

A Casa de Maranello recebeu a proposta e passou o recado.

Fez vazar na imprensa que Charles Leclerc receberia 2 milhões de euros
no primeiro ano de contrato e 3 milhões de euros no segundo caso ele
ocupasse o lugar de Kimi Raikkonen (2019/2020).

Fim.

Por que?

Existe um orçamento para os salários.

Você viu acima que Vettel recebe perto de 40 milhões de euros e Raikkonen
6 milhões.

Um teto próximo de 50 milhões de euros.

(algo que só foi estourado na Scuderia com a dupla Raikkonen e Massa)

A chegada de um piloto ganhando 20 milhões de euros ao lado de Sebastian
está fora de questão.

Assim o Aussie vai permanecendo onde está...

Ferdi, Renault...

Fernando Alonso não ganha muito na McLaren (perspectiva).

Mas tem liberdade pra fazer o que quiser, mudar o staff e ainda divulgar
sua marca.

Sem outras opções, deve ficar.

Mas a mídia espanhola entrega que a Renault estaria interessada no retorno
do espanhol.

Não creio.

A dúvida dos franceses está em Nico Hulkenberg ser a figura ideal
para liderar o time nas próximas temporadas.

A mira está em Esteban Ocon (piloto Mercedes) já que a dupla
Bottas / Hamilton parece consolidada.

Por outro lado há Carlos Sainz Jr. (piloto Red Bull) que dispensaria
muitos recursos para ser retirado de seu contrato com a turma dos
energéticos.

A Renault espera a renovação de Ricciardo com a Red Bull por três anos.

Podendo assim pensar com calma em quem defenderá suas fileiras nos
próximos anos.

Sombra

Romain Grosjean precisa mostrar serviço.

Já foi avisado que se não melhorar sua performance será demitido.

Sérgio Perez aguarda.

Acordo

A Mercedes deve fechar com Hamilton até 2020.

45 milhões de euros anuais.

Repare que o teto salarial da Estrela de Prata é 60 milhões de euros
para seus dois pilotos.

(vimos com Hamilton / Rosberg)

Contrato de  duas temporadas (preste atenção) sem opção de renovação.

Outra Vez

Na Alemanha, assim como foi na Inglaterra, teremos um zona de DRS
a mais.

Revolução

As mudanças no corpo técnico da Mercedes chamam a atenção.

Principalmente a saída de Aldo Costa.

Entretanto o costume de contratar ex-ferraristas continua.

Esteban Gutierrez (que estava na Scuderia ano passado) trabalha no
simulador de Barckley nesta temporada.

Segundona

Na segunda divisão da Fórmula 1 (aquela sem as três grandes) a disputa
segue acirrada!

Hulkenberg, Alonso e Magnussen disputam o título de pilotos.

Enquanto que a Renault vai se firmando como a quarta escuderia.

Kevin & Stoffel

Contemporâneos, pude acompanhar o desenvolvimento dos dois.

Quem acompanha o Blog sabe que sempre defendi Magnussen.

Preterido na McLaren, foi opção na Renault e na Haas.

Hoje se encontra numa posição confortável.

Por outro lado, Vandoorne (que é bom piloto) se encontra em maus
lençóis.

Com a estrela em ascensão Lando Norris pedindo passagem e as comparações
com Alonso, tudo leva a acreditar que seu destino está selado.

Por Fim

A forma deselegante (com acusações sobre Kimi) que a Mercedes recebeu
sua derrota em solo Inglês pode ser um indício.

Sim.

Eu só acredito vendo.

(escaldado!)

Porém lembro o que comentamos em Março por aqui:

Gina era muito bonita, mas acho que Loria vai ficar mais alta...

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Red Bull, Honda e McLaren






























Você já sabe da confirmação do acordo entre Red Bull e Honda.

Mas talvez existam coisas que não são do conhecimento de todos.

O contrato é por quatro temporadas.

Dois anos com uma opção para mais dois anos.

A unidade de força japonesa já entrega tanta potência quanto
a da Renault.

A Honda cresce hoje sob o olhar de Mario Ilien e o chefe de engenharia
Axel Wendorff.

Este último contratado entre as fileiras da Mercedes.

Entre motores e dinheiro vivo, os japoneses colocarão 300 milhões de euros
por ano na casa dos energéticos (Red Bull / Toro Rosso).

Sem nomear o motor, a Aston Martin continuará como patrocinadora.

A McLaren?

Perdeu a grana e deixou de ser uma equipe de fábrica.

Porém o fato de atender todos os desejos de Fernando Alonso deve estar
compensando tudo, não?

Sol































E aí?

Alguém saberia dizer onde é isso?

segunda-feira, 18 de junho de 2018

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Clipping
































Vaga

Na imagem acima podemos contemplar Valtteri Bottas em Paul Ricard.

Foram mais de cem voltas para a Pirelli testar seus compostos para 2019.

O finlandês da Mercedes está fazendo uma temporada mais do que digna.

Além disso suporta a posição de segundo piloto da equipe trabalhando
em silêncio.

O que bloqueia qualquer tentativa de entrada para Daniel Ricciardo.

O australiano é um talento reconhecido por todos na Fórmula 1.

Seria um nome ótimo para a Ferrari.

Sergio Marchionne poderia escolher seu nome com facilidade para
o lugar de Kimi Raikkonen.

Porém Marchionne, nome da família que mais investiu na empreitada
de Pedro Alvares Cabral há mais de 500 anos atrás, deve preferir a
harmonia.

Como se dois bons produtos acabassem se canibalizando.

Assim Toto Wolff e Marchionne não devem mexer em suas frentes.

Ricciardo?

Joga dizendo ter propostas das grandes.

(tenho até a informação que seu nome foi realmente colocado na mesa
vermelha)

Pediu um aumento (algo em torno de 20 milhões de euros / ano) para
permanecer na Red Bull.

E a certeza de mais dois anos de contrato (até 2020).

Cobrança

A mudança de comportamento de Max Verstappen no Canadá foi fruto
de um ultimato de Helmut Marko.

O time dos energéticos está bem irritado pelos erros do jovem holandês.

Até porque deu munição para Ricciardo negociar um melhor acordo.

Motor 1

A Renault não quer perder a Red Bull como cliente.

Mas tudo indica que a escolha em favor da Honda já foi feita.

Motor 2

A Porsche deve romper com a Fórmula E em 2020.

Depois seguirá com a Fórmula 1.

Cedendo unidades de força, nada de equipe própria.

Classificação

Na segunda divisão, sem as três grandes, Fernando Alonso ainda
lidera.

Só que Nico Hulkenberg e Carlos Sainz Jr. já encostaram no espanhol.

Mostrando que a Renault se firma a cada dia como a quarta força.

Pneus

As escuderias menores estão de olho nas decisões da Pirelli em
relação aos pneus que serão usados no futuro.

A razão é que a escolha pode influenciar a busca pelo melhor setup.

A menor influência aerodinâmica facilita a complexa busca pelo ajuste
do túnel de vento, simulador e a pista.

Amostra

Falando nisso, o simulador da Ferrari tem feito a diferença.

Vettel sempre exalta a equipe pois Antonio Giovinazzi, Daniil Kvyat
e Charles Leclerc (sim! nos intervalos...) trabalham incessantemente
no simulador para o melhor desempenho de Loria.

Absolvido

Raikkonen em Montreal não contava com certos elementos novos que
foram parar apenas no bólido de Sebastian Vettel.

Inclusive a Shell trouxe óleo e combustível novos para os bólidos da
Scuderia Italiana.

Desempenho

No Gilles Villeneuve.

Ferrari 992 hp
Mercedes 980 hp
Renault, McLaren e Red Bull 960 hp
Williams e Force India (Mercedes) 950 hp
Toro Rosso Honda 947 hp
Sauber e Haas 935 hp

Xadrez

Honda e Renault contratando peças que formaram a Mercedes.

Xerox

No grid de Montreal os engenheiros da Red Bull cercaram os carros da Ferrari.

De forma descarada.

Cadernos receberam anotações enquanto que diversas fotos eram tiradas.

Adrian Newey tem adaptado soluções italianas em suas criações a cada GP.

Persona Non Grata

Segundo o campeão Nico Rosberg, são as atitudes de Fernando Alonso que
bloqueiam qualquer possibilidade dele sonhar com uma equipe grande.

É Indy e Le Mans.

Provações

A FIA fez testes com Sebastian Vettel durante a prova do Canadá.

No meio da corrida mesmo!

Queria conferir se as soluções da Ferrari eram lícitas.

Liga.

Desliga.

Liga.

Assim.

Em certo momento Vettel perguntou para seu engenheiro Ricciardo
Adami quando ele poderia voltar a correr...

Desequilíbrio

Toto Wolff gritou dentro da equipe (cada vez mais) chinesa.

Explico.

Hoje a maior acionista da Daimler, dona da Mercedes, é a Geely do
bilionário chinês Li Shufu.

O nervoso?

A impotência perante a Ferrari foi evidente.

(pior, se o mundo não fosse obtuso Vettel estaria mais de 30 pontos a frente)

E o desânimo de Lewis Hamilton também.

Despertar o exército se fez necessário.

A França favorece em tudo ao time alemão.

(ou chinês?)

Uma derrota por lá para os adversários vermelhos poderia ser o começo
do fim.

A fraternidade é vermelha!

Dia



























As 24 Horas de Le Mans.

Ensaio.