quinta-feira, 29 de junho de 2017

Pequenas Passagens





























O piloto Ukyo Katayama não teve uma performance lendária em
sua passagem pela Fórmula 1.

Ao todo foram sete temporadas na categoria máxima do automobilismo.

Estreou em 1992 com uma Larrousse que era empurrada por um
motor Lamborghini V12.

Passou quatro temporadas na Tyrrell que tinha seu poder gerado
por uma unidade Yamaha V10.

E fechou sua participação em 1997 pilotando pela Minardi.

Seguindo o mesmo caminho de Satoru Nakajima e Aguri Suzuki,
Katayama também foi um grande pay driver em sua época.

Através de sua marca Mild Seven, a gigante Japan Tobacco 
(empresa que por muito tempo só ouviu conselhos de Briatore)
apoiou quase toda a aventura de Katayama.

Aventura que foi sofrida em seus últimos anos na F1 já que o piloto
de Tóquio precisou lutar contra um câncer.

Coisa que manteve em segredo para que ninguém tivesse pena
de sua dificuldade nas pistas.

Estamos no final de semana do GP da França.

1993.

Os jornalistas pedem para que alguns pilotos contem situações
engraçadas e brincadeiras dentro das equipes.

Risos garantidos.

Katayma, com seu inglês limitado, entendeu que deveria contar uma
piada.

E começou.

"Havia uma Cobra e um Elefante.

E eles se cruzaram no único caminho da selva."

Os outros pilotos arregalaram os olhos pois sabiam onde isso iria
terminar...

Katayama continuou.

"Os dois animais pararam.

Pois nenhum deles parecia querer dar passagem para o outro.

Assim o Elefante disse para a Cobra:

- Você sabe quem eu sou?

A Serpente respondeu:

- Sim, eu sei.

Você possui grandes orelhas, uma tromba e grandes dentes.

Você é um Elefante!

Aí a Cobra perguntou:

- E você sabe quem eu sou?

O Elefante retrucou:

- Claro!

Você tem uma pele estranha e escamosa.

Não tem cabelos e nem orelhas.

Você é o Niki Lauda!"

12 comentários:

CPA disse...

Katayama, andou sempre no fundo do pelotão mas ainda assim deixou carisma.
Nada como esses pilotos vazios de hoje...
Dava 20 a 0 ao pior do grid actual: J.Palmer

Danilo Silva disse...

Eterno Katagrama!

Pedro Teixeira disse...

mito!

Nelson de O Julio Nojulio disse...

Detalhe dessa passagem. Niki Lauda estava sentado ao lado dele!

Anônimo disse...

e que carros belos, asas simples... que saudades disso

abraço

felipe

Anônimo disse...

Hahahahahah!

LGD disse...

kkkkkk não acredito que ele mandou uma dessa kkkkk Será que tem vídeo disso?

Que época hein... motor Lamborghini e Yamaha... gostaria tanto que voltassem os fornecedores de motores.

Diogo Draeger disse...

Tirou as palavras da minha boca... porque esses carros sao tao maravilhosos??? Simples, pintura comum... eeeh tempo bom

Eduardo Casola Filho disse...

O Katayama teve seus bons momentos, principalmente em 1994, o último respiro de competitividade da Tyrrell

Tiago disse...

Katagrama era um paydriver da formula 1, mas proporcionou bons momentos em Le Mans, principalmente segurando o Toyota na pista quando um pneu explodiu na reta em 1999.

Rodrigo Keke disse...

Hahahahahaha, que causo fantástico! Não conhecia.

Corradi, seu blog brilha quando traz histórias como essa. Claro, com o toque da sua edição.

Abraço!

Gustavo Leite disse...

Em 95 ou 94 ele andou bem, marcou uns pontinhos legais. Quem jogava GP2 do Geoffrey Crammond vai saber o que estou falando.