sexta-feira, 23 de março de 2012

Raspando

 


Nos limites da DTM.

12 comentários:

Speeder_76 disse...

Quase apostaria que é o BMW do Johnny Ceccoto

Verde disse...

Norisring, um dos meus circuitos de rua favoritos.

Yuri disse...

Que bela imagem.

E belo carro,muita gente deve achar feia essa caixa de leite,mas eu acho lindo esse BMW.

Cardozo disse...

DTM é tudo de bom!

Ron Groo disse...

Os pneus da F1 não aguentariam duas raspadas ai...
Belo frame.

fernando disse...

só pode ser aquela pista de rua em Nuremberg, alemanha.

Danilo Candido disse...

"Caixa de leite" foi ótima, Yuri, hehehe...mas é um clássico do automobilismo, um dos mais belos carros de turismo de todos os tempos, em minha opinião. Gostava muito dele com a pintura da Tic Tac:

http://px6.streetfire.net/0001/91/19/1851991_600.jpg

Mas o carro ficou imortalizado mesmo "vestido" com o branco da Warsteiner e as cores da BMW Motorsport, guiado pelo Ceccoto:

http://cdn3.worldcarfans.co/2005/1/medium/3050120.003_1031big.jpg

O venezuelano quase foi campeão neste ano de 1990, mas na última corrida da temporada, em Hockeinheim, foi tirado da prova logo na largada por um garoto, estreante e afobado, que anos mais tarde acabaria ganhando alguns (sete) títulos na F1...
E a taça acabou indo para outro alemão, da Audi, Hans-Joachin Stuck.
Como diriam os "pachecos": patriotada ????

Um abraço,
Danilo Candido.

Anônimo disse...

Danilo,

sem comparação... a pintura da Tic Tac é show!!!! muito mais legal!!

Também gosto desse carro...

O que o Groo escreveu é bem verdade... só que, supostamente, esses carros seriam "carros de rua", sendo assim, deveriam suportar pancadas em buracos, ondulações das ruas, acertar os meio-fios (ou guias), etc...

um abraço,
Renato Breder

E.Martins disse...

Já deixaram o retrovisor recolhidinho pra evitar arranhões.

Anônimo disse...

As melhores memórias que tenho do DTM é o Astra (Opel) Calibra pilotado pelo Keke e as corridas narradas pelo sensacional Edgar de Mello Filho.

Walter disse...

Procuro pela web e não encontro. Quem sabe o arquivo do Corradi tenha o Mansell em Indianapolis fazendo a mesma manobra: bate no muro e segue como se muro fosse pista. Foi inesquecivel.

Anônimo disse...

Nada demais. Uma cerinha tira.


Carlos Henrique