terça-feira, 13 de março de 2012

Starten






















Rudolf Caracciola com seu Mercedes-Benz. 1939.

No seu tempo, por sua habilidade na pista molhada, era chamado de Rei da Chuva.

4 comentários:

Ron Groo disse...

O orgulho de Hitler nas pistas...
Mas isto a parte, afinal, tudo que fazia sucesso na Alemanha o Partido dizia que era cria deles, era um piloto sensacional.

zamborlini disse...

além de rei da chuva, era conhecido por sua extrema delicadeza ao dirigir. enquanto rosemeyer era o ayrton senna, rudy era o alain prost da época.

Ricardo Reno disse...

O cara precisava ter peito, além de otras cositas mas, para acelerar um destes. Belo carro só os nazistas atrás é que destoam.

Anônimo disse...

9 de fevereiro de 1939:
Tentativa de quebra de recorde na Autobahn Dessau-Bitterfeld.
Recorde de velocidades 'Classe D', para veículos com motores entre 2 e 3 litros.
o "Regenmeister" Rudolf Caracciola em sua Mercedes-Benz W154.

(http://www.kolumbus.fi/leif.snellman/reco.htm)

Aqui mais alguma fotos:
http://www.sportscardigest.com/wp-content/uploads/696578_1257147_3542_2379_37060.jpg
http://blog.mercedes-benz-passion.com/wp-content/gallery/mb_rekordwagen_1934-1939/696575_1257140_3600_1909_31721.jpg
http://blog.mercedes-benz-passion.com/wp-content/gallery/mb_rekordwagen_1934-1939/504845_885209_3541_1978_31719.jpg

Mercedes-Benz e Auto Union ganharam mais "apoio moral" que dinheiro, do partido nazista, para continuar o sucesso que já apresentavam desde antes da ascensão do nazismo na Alemanha.
O partido nazista se apoderou e "nacionalizou" (no pior sentido possível do termo!) o sucesso da indústria automobilística alemã nas competições automobilísticas. Propaganda nacionalista.
Por outro lado, as fábricas da indústria automobilística alemã, posteriormente, acabaram servindo à máquina de guerra nazista.
Uma mancha lamentável...

um abraço,
Renato Breder