domingo, 31 de março de 2013

Sobre os motores da Fórmula 1

























Sobre os motores da Fórmula 1.

A distribuição no primeiro ano da nova Era Turbo deverá ficar assim:

Renault

Red Bul, Toro Rosso, Lotus, Williams e Caterham.

Mercedes

Force India e McLaren.

Ferrari

Sauber e Marussia.

Não preciso lembrar que, além das clientes, Ferrari e Mercedes possuem suas
próprias equipes.

Umas coisas.

Apesar de não ter se manifestado, a Caterham possui uma relação estreita com a
Renault.

Inclusive com uma grande participação no projeto que trouxe de volta o Alpine.

A Marussia deve ter acompanhado atentamente os movimentos da Force India.

Tudo indica que irá fechar com os italianos.

Mas já está usando a Mercedes para conseguir o melhor contrato possível.

A McLaren tem um acordo com a Mercedes.

Com isso não possui custos em relação aos motores.

A partir do ano que vem isso mudaria.

Porém as negociações, que culminaram com a saída de Lewis Hamilton, podem ter
sido fundamentais para que o bônus tenha sido prolongado.

Inclusive com o pagamento de parte do salário de Jenson Button pela Mercedes.

Recordando que os alemães bancavam os ganhos de Hamilton enquanto ele ainda
corria pela escuderia inglesa.

E a Sauber?

Dinheiro não tem.

Busca apoio para financiar suas máquinas em 2014.

Se aparecer um piloto com um belo patrocinador resolverá alguns problemas.

Por último.

Depois de 2015 poderemos ver uma verdadeira invasão de novas montadoras.

O investimento, relativamente baixo, abrirá portas para todo o tipo de aventuras.

Compensa.

E muito.

Basta colocar na ponta do lápis.

Pois associar seu nome à Fórmula 1 continua sendo um excelente negócio.

4 comentários:

Anônimo disse...

Anos 30... "Era Dourada dos Grand Prix"...
A experimentação e diversidade de idéias e projetos, daqueles tempos, não voltam jamais... o mundo entrou num funil e tendemos todos à mesmice...


Na FOTO 1, o conde Carlo Felice Trossi a bordo de um carro de "sua autoria", em parceria com o conde Revelli, e concebido pelo pelo projetista do motor, Augusto Monaco: o 'Monaco-Trossi'.

O motor 2 tempos FIAT radial de 16 cilindros e 3,9 litros, era uma "montagem" de duas bancadas de 8 cilindros. Cada par de cilindros compartilhava a mesma câmara de combustão.
O carro que usaria esse motor partiria das mentes de Augusto Monaco e Giulio Aymini.
A dupla recebeu o apoio (suporte financeiro e técnico) do senador Agnelli da FIAT, que colocou à disposição as instalaçãos da fábrica da FIAT em Lingotto oara construir e testar o novo motor.
Depois de montado e testado, o motor apresentou tantos problemas que Agnelli (e a FIAT) desistiu do apoio à dupla de engenheiros.

Aí entra o Conde Trossi, que era piloto da Scuderia Alfa Romeo. Monaco convenceu o conde a entrar no projeto, com dinheiro, apoio técnico e um local para "construir" o carro.
O carro foi construído na oficina do Castelo Gaglianico, do próprio Conde Trossi. O projeto da carroceria teve a ajuda do Conde Revelli.
Nasceu num castelo, então o avião sem asas...
O carro foi, enfim, apresentado ao público em julho de 1935, no autódromo de Monza, para os testes e as sessões de qualificação visando o Grande Prêmio da Itália daquele ano.
Mas, acabaram desistindo da participação. A distribuição de peso do carro era 75/25, ou seja, 75% no eixo dianteiro e 25% no eixo traseiro... difícil de pilotar!! Além disso o intenso superaquecimento do motor e uma tendência a destruir as velas de ignição, mostraram a necessidade de um reprojeto do carro e motor...
Foi a única apaição do carro...

A foto do post é da apresentação do carro e as fotos abaixo são dele em teste:
==>> http://oldmachinepress.files.wordpress.com/2012/09/1935-monaco-trossi-2.jpg
==>> http://www.omniauto.it/awpImages/photogallery/2008/7971/photos1280/monaco-trossi-laereo-senza-ali_2.jpg

Aqui outra da apresentação:
==>> http://www.omniauto.it/awpImages/photogallery/2008/7971/photos1280/monaco-trossi-laereo-senza-ali_4.jpg

E aqui, o motor:
==>> http://www.omniauto.it/awpImages/photogallery/2008/7971/photos1280/monaco-trossi-laereo-senza-ali_1.jpg


Mais detalhes aqui:
==>> http://oldmachinepress.wordpress.com/2012/09/01/1935-monaco-trossi/


A FOTO 2... bem, deixo para outro "viciado"...


Esses motores turbo que vêm por aí, são basicamente os mesmos, com uns detalhes de diferença entre um e outro, entre eles, o próprio nome do motor...

um abraço,
Renato Breder

Juanh disse...

El de la segunda foto creo que es el Opel RAK1; luego llegó el RAK2, pero éste tiene una especie de alas en sus laterales.
Abrazos!
http://juanhracingteam.blogspot.com.ar/

Anônimo disse...

"Senhor Breder" como sempre humilhando a concorrência. . .no bom sentido, é claro!
Sempre uma aula ler os posts da "Entidade". . .
Abraço
Zé Maria
PS: e o dono do boteco vai buscar aonde essas imagens todas!?!?!Fala sério. . .

Anônimo disse...

E a Honda?