domingo, 5 de maio de 2013

Moléstia























Hoje bateu uma dor de cabeça daquelas.

De repente.

Enxaqueca.

Bem na testa.

Justamente na hora que iria começar a corrida da Indy.

Deixei a TV ligada.

Tomei um analgésico.

Fechei os olhos e fiquei acompanhando a narração.

Ouvi que o Tony Kanaan começou muito bem.

Apesar de um tal Franchitti Dario que ameaçava sua posição.

E o remédio não fazia efeito.

Ryan Hunter Rahal liderava a prova.

Entre os dez primeiros estava um Wilson.

'Wilson?"

Parecia ser uma novidade para o narrador.

Me sentia cada vez pior.

Coloquei o termômetro.

Febre. 38°.

Na corrida as mulheres não conseguiram se dar bem.

Bia Figueiredo abandonou e a Simone de Silvestre não chegou a brigar pelas
primeiras posições.

Quem também teve muitos problemas e imprevistos foi o Helio de Castro Neves.

Que segundo a narração merecia o título de mais aguerrido na pista.

Pensei que era outro o piloto brasileiro que estava guiando com uma das mãos
contundida.

Enfim.

Acidentes, bandeiras amarelas.

Mal estar.

O final foi emocionante.

Decidido nas últimas voltas.

Por pouco o japonês Sakuma não venceu.

Foi ultrapassado nos últimos instantes por um tal Hitchcok, Rin Tin Tin, Rightclick,
Hinchcliffe, Relinche...

Sei lá.

Ou eu não entendia por causa do meu estado ou cada hora o locutor falava de forma
diferente.

E o comprimido não conseguia aliviar minha dor.

E ainda causou um efeito colateral: sono!

No entanto fiquei realmente curioso em saber quem era o vencedor.

Olhei de relance e acho que vi o carro da Danica Patrick.

Impossível.

Devo estar mesmo muito doente...

20 comentários:

Anônimo disse...

Falto o Hichclima .. =P

Narração perfeita..

E nossa,adorei ver o Sato,tava torcendo pra ele. =)

E Brasileiro só se da mal aqui,e pior ainda querendo falar com Tony pelo radio quando acabo o combustível.

Rafael Dias disse...

hahahaha. Essa leitura valle a pena

Anônimo disse...

Humberto,

fiquei assim também, hoje.

Lamentável, a enxaqueca.


Marcelo Citadini.



Anônimo disse...

Corradi MUITO OBRIGADO POR ESTE POST !!!!!!!!! eu fiquei horrorizado com os MESMOS ERROS!!!!!!!!!!! a transmissão da Indy beira o bizarro!!!!!!!!!!

Abs

Marco Memoria disse...


Putz, com certeza foi uma avalanche de erros, bizarro mesmo, o cara querendo que o Tony Café Canaã, fizesse sinal com a mão, na hora que o mesmo segurava o volante com uma e tomava uma surra pra manter a corda com a outra foi o ponto máximo, acho que o piloto chorou mas foi de vergonha, com Galvão "Candinha" Bueno e o Luciano Não Vale, o melhor ouvir as corridas sem som na tv, lamentável !!!

Anônimo disse...

Melhoras, Corradi!

Acompanhei a prova pelo BandSports... uma opção bem melhor que a Band, pelo visto... Celso Miranda (narração/comentários), Sergio Jimenez (comentários) e Eduardo Homem de Melo (comentários)... muita descontração, abobrinhas e poucos erros...

Mas se a "falação" foi bem, achei a geração das imagens muito confusa... cortes inesperados, exatamente no momento em que alguma ação seria concluída... uma busca incansável pelo carro do Tony Kanaan, até em plena relargada quando ele (Tony) estava nos boxes... etc...

Mas a corrida foi boa... não digo muito boa, apenas boa.


um abraço,
Renato Breder

TW disse...

Ótimo texto, como sempre!!

E assistir à corrida na Band é pior do que na Globo. Ali, só no mudo mesmo.

Jaime Boueri disse...

Acho que se perguntarem a pista de inscritos pro Luciano do Valle, ele deve citar uns 130 nomes (acho que ele trocou até o dele por "Del Vale").

Mas, a corrida foi legal. E, se a transmissão não foi da melhores, teve muita coisa que a Globo/F1 podiam adotar...

Mais tempo no ar, rádio com os pilotos (se bem que, na hora da corrida, não, né?!) maior receptividade dos pilotos para entrevistas e eticétera.

Foi uma merda, mesmo. Mas, os caras se esforçaram.

Pedro disse...

o narrador tava fumado, toda hora criava um piloto novo. Ryan Hunter Power, Josef Bordais, Simona corrida de Sao Silvestre...enfim....mas a prova foi legal.

RobertoJP disse...

Ainda bem que não teve surtos de alucinações como os vários que tive durante a prova - eu via dois carros brigando acirradamente por disputa de posição lá na frente mas quando um deles estava para dar o bote, de repente e do nada me deparava com a imagem de outros carros do pelotão de trás que sequer disputavam posição... :-p

abs., RobertoJP

Diego Guidi disse...

Te avisei, Corradi, o Bolacha tá ficando mais doidão a cada dia... Pena que o Brian Ryscoe saiu da Indy...

Mas hoje nem foi das piores, porque hoje ele não chamou a "chicane" de "gincana", como já fez em outras oportunidades...

Ituano Voador disse...

A Band podia ter posto o Téo José na INdy e o Luciano no futebol; é duro aguentar os erros de narração (Hi Hunter, Rinticlinf, Sakuma, Simona Silvestre) que só servem para manchar a história do Bolacha.

Paulo Alexandre Teixeira disse...

Eu hoje decidi ver no meu laptop, e uma mão caridosa me deu o link da transmissão... em japonês. Deu para ouvir a decepção do pessoal pela derrota do Sato.

André A. S. disse...

Esse narrador da Band, o tal Lucio Duval, já está gagá há muito tempo! Não tem cristo que faça ele falar Ryan Hunter-Reay.

Rafael Schelb disse...

Quem tá precisando de um remedinho é o "véio gagá" do Luciano do Valle...

Anônimo disse...

Pessoal e o Sebastian Bordô ???????? MEU DEUS !!!!!!!! Luciano do Valle PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!!

Rodrigo Vilela disse...

Da próxima vez, dê mudo na TV e ouça pelo www.equipeshowdebola.com!!

A próxima será em Indianápolis!

Belíssimo texto, Corradi!! Ilustra bem a raiva que eu passava quando ouvia as corridas. Nada como o MUTE da TV!

Blog do Can Am disse...

A prova foi bacana, melhor que as da F1 nesta temporada...
Devemos dar um "desconto" à alguns erros da organização e às falhas de regulamento, além de "perdoar" o Luciano do Valle. MEsmo sendo até constrangedor a sequência de erros na naração, é digno de aplausos voltar à trabalhar como narrador após sofrer um AVC.
Muitos dos que fazem piadinhas não conseguiriam fazer o mesmo. Prefiro o Luciano do Valle narrando desse jeito do que aguentar o Galvão Bueno no alto de sua arrogância.

Um abraço,
Danilo Candido

Rafael disse...

Sinceramente, amador mesmo foram os pilotos brasileiros... O Helinho errar ponto de freada é de dar dó...Falta profissionalismo...

Anônimo disse...

Fiz questão de anotar duas frases que só poderiam emanar de profundos conhecedores de competições automobilísticas:
1 - " Se chover, o treino é muito importante. Se não chover, também é importante."
2 - "Se ele fizer tudo certinho, sem errar, vai dar tudo certo!"
Um gênio!
Oswaldo Roschel.