quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Marketing e a Fórmula 1

























Foi realmente impressionante.

Por não ser o que eu esperava.

Uma lástima.

Falo dos lançamentos dos carros da Fórmula 1.

A turma castiga a marca.

Não há um planejamento para que a categoria cresça como um todo.

Um acaba roubando a atenção do outro por causa disso.

E todos perdem.

Chega a ser um descaso com os que são realmente apaixonados pela categoria.

Claro.

Eu entendo que o desenvolvimento é complicadíssimo.

Mas ninguém precisa apresentar a mesma máquina que irá para a pista.

Dias antes do primeiro teste as escuderias poderiam apresentar cada uma um
showcar.

Com as novas pinturas, expondo os patrocinadores, os pilotos, o design de
seus capacetes e etc.

Não.

É uma bagunça.

Só para tirar as dúvidas resolvi visitar hoje (hoje!) as lojas virtuais dos sites
oficiais das equipes.

Parei.

Final de fevereiro de 2016.

Testes rolando em Barcelona.

Fique sabendo que Sauber, Manor e Haas ainda não possuem tal coisa em
seus endereços na internet.

Nada.

Nem um boné.

Inacreditável, não?

Pense comigo.

Se o Barcelona consegue ter uma fonte de renda fantástica vendendo camisetas
para seus torcedores e fãs, porque não pode ocorrer o mesmo com as equipes
da F1?

Achou esquisito?

Pois a Renault consegue ser pior.

Verdade.

Pra começar não tem um endereço exclusivo para seu time.

No site da Renault Sports, em meio as outras categorias, é que a escuderia
amarela de Fórmula 1 aparece.

Loja nem pensar.

Se existir eu não achei no meio daquela balbúrdia.

E se eu (um possível cliente) não encontrei...

Por outro lado, as grandes escuderias possuem uma estrutura de venda bem
sólida.

Mercedes, McLarenFerrari e Red Bull (Toro Rosso também) sabem
trabalhar seus produtos.

A Force India me causou admiração.

Bem legal.

Além das mercadorias normais (camisetas, chaveiros, gorros...) o time de Vijay
ainda comercializa partes usadas em seus bólidos como peças de decoração.

Entretanto a nota dez vai para a Williams.

Que além de manter sua loja em dia, ainda me recebeu com um atendimento
personalizado.

Detectou que eu estava no Brasil e ainda ofereceu facilidades.

Excelente.

Quem não gosta de ser bem tratado?

São detalhes.

Sim.

Mas todo mundo sabe que o amor nasce de pequenos gestos.


10 comentários:

Anônimo disse...

Entrei na loja da Williams, quase fiquei doido! queria comprar tudo! rs

Ron Groo disse...

curto estes mimos, estas coisinhas...
No fundo, o máximo que o fã da F1 pode realmente almejar é isto, diferente do fã de futebol, por exemplo que pode bater uma pelada no fim de semana, o de F1 não tem como.
ai se contenta com bonés, brindes... gadgets... isto ai.

José Wilson Carvalho de Mesquita disse...

Fiquei lendo e esperando uma nota sobre a McLaren Store e...nada!

Loja muito bacana, sempre me atendeu no prazo. Com plano de fidelidade e tudo mais.

Renato Santos disse...

Opa, agora chegou na minha área!

As equipes preferem morrer a permitir que o outro se erga.

Esse é o trunfo Ecclestônico.

Desunidos chegaram até aqui, desunidos rumo ao futuro!

Estou escrevendo de modo parecido com alguém...

Não posso evitar! Sou viciado no que é bom.

Giancarlo Gonçalves disse...

Muito bem lembrado Corradi. As equipes de F1 deveriam dedicar uma atenção especial a esta área. Muitos que torcem por uma equipe querem ter sua camiseta, entre outros objetos. E a apresentação dos carros foi um descaso só.

Mateus Longo disse...

Humberto, sabe o que é pior?
Motorsports já tem um contra-exemplo (parecido com o do barcelona) de sucesso.
Visite o site da loja da Oreca (http://www.oreca-store.com/) e babe.
Ali os caras sabem vender a marca (e seus produtos), eles vendem de tudo!

Abraços!

Humberto Corradi disse...

José Wilson Carvalho de Mesquita

bem lembrado, havia esquecido de citar no texto (apesar da imagem que ilustra o post.

Corrigido.

Valeu

Anônimo disse...

Force India como sempre trabalhando com competência.

Já tinha visto,além da equipe de Silverstone,as lojas de McLaren e Williams.

Achei bem legal.

Mas a equipe de Mallya que como sempre me surpreende por fazer coisas que não imaginamos de uma equipe considerada pequena.

Arthur Simões

Eduardo Casola Filho disse...

Quando falamos que a F1 precisa se reinventar, com certeza o item tem a ver com a sua exposição. E o Marketing é algo essencial. Muitos dentro do paddock ainda não olham para a internet como deveriam.

Vender o peixe faz bem e gera lucro. Algo que ainda não entra na mente velhaca que está no esporte (não necessariamente as entidades, mas passa pelas equipes também)

Tiago disse...

Essa estratégia de fazer dinheiro apenas no "big money" eu também nao entendo. A Lotus/Enstone/Genii comecou assim, e nos ultimos anos tinha crescido e muito tanto a loja virtual quanto a comunicacao conosco, os apaixonados.

Pra voce ter uma marca que possa movimentar facilmente as dezenas de milhoes em operacoes unicas, tem que convencer o seu parceiro comercial que voce é relevante, seguido, acompanhado, discutido. E isso passa pelos bonés, chaveiros, tweeters, etc.

Só nao entendo o motivo de se colocar os precos absurdamente caros. O boné da RBR virou um acessório de moda que muita gente que usa nem sabe de onde veio, e isso é MUITO bom pra Formula 1.