segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Chama























Bom dia petrolheads!

Ah, sim!

Se vivo estivesse, com certeza acenderia a Pira Olímpica no Maracanã.

Chegaria acelerando o carro.

Rasgando as ruas do Rio de Janeiro.

Não apenas por ser campeão, mas porque entre nós Ayrton Senna já era
um mito.

Fácil de entender a mágoa do outro.

Ou alguém consegue imaginar Piquet e as Olimpíadas?

Um está vivo e o outro morto.

Verdade.

Entretanto no imaginário esportivo das pessoas as coisas são completamente
invertidas.

O vivo se mostra irrelevante, com piadas de baixo calão.

Enquanto que aquele que passou se tornou imortal.

Basta olhar o desejo.

Sempre que um brasileiro começa a se destacar no automobilismo.

O mundo renova a chama da esperança.

Chega a ser impressionante.

Qual esperança?

De se recuperar aquilo que se perdeu.

Do impossível.

Da volta.

De que surja um novo Senna.

34 comentários:

Társio disse...

<3

Julio disse...

"Se vivo estivesse, com certeza acenderia a Pira Olímpica no Maracanã.". Ah, sim. Sem dúvida, afinal era o principal representante do esporte olímpico que mais medalhas rendeu ao país.

Achei que esta briga Sennistas x Piquetistas já fosse coisa do passado. Mas está certo, afinal este blog tem como um dos focos, em teoria, publicar fotos antigas de automobilismo.

Entendi o paralelismo...

Ganham presentes de natal: Senna, Vettel e Rosberg.

Tsc, tsc, tsc: Hamilton, Schumacher, Alonso e Massa.

Anônimo disse...

Vamos canonizar o homem! Urgente!

Jakson Gomes

Jeferson Araujo Pereira disse...

A situação do automobilismo brasileiro, não só em relação à F1, é tão medíocre, que é mais fácil eu ganhar na Mega-SENA sozinho, quatro vezes seguidas, do que surgir um novo SENNA.

Acho ridículo a "briguinha" entre fãs de Senna e Piquet.Eu gosto dos dois igualmente, assim como gosto muito da carreira do Emerson Fittipaldi.

Aliás,todo mundo sabe, mas vale a pena repetir: sem o pioneirismo do Emerson... etc etc etc

E cabe aqui um exercício de futurologia: espero que demore muito,que vivam 100 anos, mas, infelizmente, Emerson e Piquet também morrerão.Como esse país tem memória curta, o velório e o enterro dos dois será bem simples se comparados à "loucura midiática" que foi o falecimento do Senna.E a comparação entre as "futuras mortes" (que coisa horrível!!) terá menos apelo para a mídia.A possibilidade de Emerson e Piquet morrerem pilotando um carro em um autódromo é quase zero.Ou melhor: é zero.

Jeferson Araujo Pereira disse...

Não tenho 100% de certeza se Senna estivesse vivo se seria ele o escolhido para acender a pira olímpica.F1 não é um esporte olímpico e isso poderia pesar, um pouco, na escolha do Senna.

Mas... tem sempre o mas.Como Senna era venerado como um um santo, um Deus, revejo o parágrafo anterior e digo que a possibilidade dele ser o "acendedor" da pira seria de 99%.

Plinio disse...

Seu raciocínio faz todo sentido. Acho que, de maneira geral, seu pensamento é condizente com o que pensa a maioria. Mas não concordo o trecho "o vivo se mostra irrelevante, com piadas de baixo calão". O vivo é um sujeito astuto, goste-se ou não dele. E convenhamos, tem personalidade. Para o bem e para o mal. O morto era genial e marqueteiro. O vivo também era genial (talvez não tanto quanto o morto) e um bon vivant. Como personagens o morto servia para um bom dramalhão de qualquer programa de domingo a tarde que tenta fazer o público chorar e com certeza seria o personagem perfeito para acender a pira olímpica. O vivo continua servindo, por exemplo, pra dar uma volta em interlagos com a bandeira do Vasco. Isso é impagável, e não necessariamente de baixo calão.

Renato Santos disse...

O mercado brasileiro reage como qualquer mercado. Segundo esse amado blog aqui, a Mercedes está jorrando carros de suas fábricas e vendendo tudo o que produz. Seus iguais estão com o olho que é uma pataca. A inveja é uma das forças motrizes da raça humana.

Renato Santos disse...

Bom dia!
Já temos, chama-se Lucas DiGrassi. Só não está mais lá.

Jeferson Araujo Pereira disse...

Eu concordo com o leitor Plinio e discordo do Corradi: Piquet não é irrelevante.Muito pelo contrário!!!E eu não tenho nada contra piadas de baixo calão.

S.A.C disse...

É verdade, ele seria o escolhido.

Anônimo disse...

Gosto muito do blog, mas acho que este post foi bem desnecessário, já que acho que a maioria dos leitores admira os dois e muitos não tem essa idolatria cega demonstrada pelo blog. Diego - Floripa/SC

Mp4-23 disse...

Todo herói tem seu antagonista, na maioria das vezes escolhido pela mídia o que é lamentável.

Piquet tinha todas as qualidades de um grande campeão ,era astuto, matreiro, rapido, inteligente e acima de tudo não
baixava a cabeça pra ninguém.

Olho um texto como esse e me vem a cabeça o quanto o brasileiro tem memória curta e não respeita seus ídolos.

E antes que eu me esqueça, gostaria de lembrar que o "vilão da história", também carrega três medalhas de ouro no peito.

Abraços...

anisio freire disse...

É verdade, até mesmo Barrichello foi considerado por alguns no início da carreira como "o novo Senna". Depois descobriu-se que ele era apenas "o novo Berger".

Reube Reis disse...

Senna viveria a tempo suficiente para ser superado pelo Schumacher sem piedade, como superou PROST, como PIQUET tb foi superado por eles.

Senna acenderia a pira olímpica, Senna participaria do movimento "Cansei", ou passeata com coxinhas devido suas convicções políticas pavorosas, talvez se envolveria em algum escândalo igual ao Ronaldo Fenômeno devido as suspeitas a sua sexualidade. Sabe essas especulações não tem fundamento.

Piquet não está nem aí para Olimpíadas, acho que a grande mágoa do Nelson são as carreiras de seus filhos mimados, que não dão certo. Pois Pedro está fazendo uma péssima temporada este ano, e quem viu Piquet Jr. chegando em 2° lugar atrás de Hamilton em 2008 no GP da Alemanha esperava mais dele.

As pessoas precisam respeitar o tempo de cada um, Piquet e Senna tiveram cada um seu auge, como Schumacher, Vettel e Hamilton.

Acho q o resto é especulação...

mpg Arte disse...

Ah o "SE" e o poder de imaginação que ele cria nas pessoas. "SE" estivesse vivo poderia ter uma empresa ligada a marketing esportivo, onde colocaria jovens pilotos no caminho para a Formula 1, pela sua influência. Mas, "SE" estivesse vivo e com sua empresa de marketing, poderia ter como investidores, a Petrobras e a Caixa, e sendo investigado por contratos fraudulentos e lavagem de dinheiro na Lava a Jato.
Ah o "SE"...
Só uma coisa é certa, se estivesse vivo teria 56 anos, assim como Alberto Santos Dumont, que teria 143 anos.
Abraço
Marcelo

Rodrigo Keke disse...

Que isso Corradi...

Nunca imaginei que você daria corda para uma rixa tão lamentável quanto essa de Sennistas x Piquetistas. E ainda por cima desmerecendo quem ficou vivo para contar 'história'.

Senna se tornou um mito graças ao seu talento único e um grande senso de oportunidade para as questões midiáticas, ao qual empregou o seu enorme carisma. Piquet era o oposto disso, exceto no talento, que era também fora-de-série (se era maior ou menor, irrelevante).

Quanto as Olimpíadas, o automobilismo passa muito longe desse mundo. Se vivo estivesse, não gostaria de ver Senna acendendo a pira. Seria injusto com vários atletas que deram tudo por seus esportes - estes sim - olímpicos. Oscar, Hortência, VANDERLEI, Torben Grael... A propósito, belíssima escolha do comitê organizador. Vanderlei provavelmente seria ouro em Atenas se não fosse o Padre. Sua recuperação para o bronze naquela ocasião foi um dos maiores exemplos do tal espírito olímpico na história, não tenho dúvidas disso. Acho que foi um belo reconhecimento.

Abraço,
Rodrigo Keke

Jefferson disse...

Respeito a opinião de todos, e concordo que Piquet também é um dos maiores, mas uma coisa eu contesto, se a historia dele nao termina na tamburello o maior de todos em números seria outro. Ou alguém duvida que 1994 e 1996 ele levaria? Dai menos dois pro alemão. Assim sendo a rivalidade poderia estender sua carreira um pouco mais.
A propósito, a equipe que ele defendia ganhou 1997 também.

Jefferson disse...

Mas vamos falar sobre o GP da Alemanha e a pataquada do Vettel zero. =D

LEAD disse...

Lamentável Corrado. Desnecessário, grosseiro e incorreto. Não necessariamente nesta ordem. Nos tempos atuais o país está precisando de paz na convivência social. Quem escreve tem suas responsabilidades.

LGD disse...

Poderia ter terminado o texto em: "Não apenas por ser campeão, mas porque entre nós Ayrton Senna já era um mito."

Não entendi a provocação aos "istas", mas ok, você é quem escreve.

Embora a F-1 não seja esporte olímpico, o atleta Ayrton Senna faria juz sim, a acender a pira olímpica ainda mais dado o apelo midiático. Seria ele ou Pelé, é fato: são os atletas mais conhecidos do país e ponto. Escolha natural.

Danilo Silva disse...

Já que o "se" permite qualquer tipo de viagem, darei a minha. "Se" não tivesse morrido na tamburello, Senna teria sido tão lembrado nessas Olimpíadas quanto Fittipaldi e Piquet foram (ou seja, nada). Simplesmente porque: (1) ele não seria o deus que se tornou por ter morrido ao vivo em um GP com audiência de milhões de pessoas em todo o mundo. (2) Já teríamos tido outro piloto brasileiro campeão do mundo (portanto outro ídolo para reverenciar). A safra dos primeiros anos pós-Senna foi excelente, mas faltou o peso do Cara lá pra fazer a CBA se mexer e pra dar lastro pra molecada (moral pra interferir no automobilismo ele tinha sim). Talvez o próprio Barrichello tivesse levado um caneco da FIA pra casa.

Quanto a pira: não, não seria Senna.

Marcos Alvarenga disse...

Não gosto da postura de endeusar um piloto de corridas.

Muito menos a comparação ridícula a meu ver de Piquet X Senna.

Ian Aguiar da Silva disse...

Senna morreu como lenda e será lembrado assim para sempre, como jovem e vencedor. Piquet viveu para se tornar velho e resmungão, essa é a diferença entre os dois.

Leonardo Previate disse...

Parabéns pelo post, sensacional.

Apesar de a F1 não ser um esporte olímpico, Ayrton Senna é até hoje uma inspiração pra muitos atletas. Mas também gostei da escolha desse ano, mereceu.

Não se preocupe com os comentários negativos Corradi, afinal, a verdade dói!

E se continuasse vivo, com certeza teria mais títulos do que o atual recordista.

Rafael disse...

Mais uma do Corradi que eu desconhecia.
Ele odeia, Hamilton, Alonso e agora, Piquet...

Totalmente desnecessária essa comparação. Nunca achei necessário comparar Senna com Piquet, até porque acho que o Senna foi muito mais piloto, mas isso nunca me impediu de gostar do Piquet, justamente pelo seu jeito debochado e piadista. Acho que o mundo sente falta de mais caras assim.

Quanto ao acendimento da pira, duvido que chamariam o Senna, não pela sua importância (que ele tem de sobra), mas por não ter ligação nenhuma com Jogos Olímpicos.

E ainda acho, que essa do Pelé não ter aceitado, por problemas de saúde (mobilidade) uma grande desculpa, acho que o problema foi outro (direitos de imagem). Mohamad Ali fez isso em estágio avançado de Parkinson.

Silvestre Zanon disse...

Jefferson...1996 o campeão foi Damon Hill.

Thiago Jaudy disse...

Post RIDICULO.

Corradi adora piloto coxinha e sem sal.

Viva Piquet! Viva Hamilton! Viva Alonso!

Adeus Vettel e Rosberg , Barbies alemas!

Chora humberto corradi o sonho acabou

Daniel Chagas disse...

Senna era carismático, Piquet é arrogante,e não é uma figura simpática. Para ser ídolo não basta ser campeão, há de ter outros atributos, que somados, fazem a pessoa ser referenciada.

Nelsinho disse...

Totalmente desnecessário essa postagem. Senna é um mito e Piquet um genio, e com certeza está se lixando para as olimpíadas.

TheEltonToptec disse...

Fala aí Corradi!

No - excelente - extinto blog do Leandro Verde, tinha um post interessantíssimo sobre esse fenômeno Senna X Piquet que pormenorizava o conjunto de motivos e ações que levou ambos pilotos a conquistarem suas respectivas reputações.

Que pena que aquele espaço que estava inativo desde o fim de 2014 parece ter acabado definitivamente há alguns dias. Será que ele está bem? Torço pelo sucesso daquele rapaz, seja como economista ou blogueiro de parcos caraminguás (como ele costumava dizer).

Abs

Jefferson disse...

Exatamente amigo. Por falta de opção. Quem era o primeiro piloto da equipe ate a morte de Senna? E alguém duvida que ele venceria seu companheiro Hill? E outra, a Williams nao contrataria Villeneuve no anonseguinte. Valeu.

cleuber oliveira disse...

Concordo com todas opiniões,mas ser coxinha e querer um Brasil melhor,valorizando quem trabalha e desvalorizando corriptos populistas também pode ser um objetivo de vida!

Sou coxinha e adoro Senna e Piquet cada um com suas qualidades e defeitos!

Jefferson disse...

É isso ai Cleuber!

Diogo Oliveira disse...

Respeitando todas opiniões aqui expostas, ouso dizer que o automobilismo brasileiro possui dois gênios: Emerson Fittipaldi e Nelson Piquet. Mas, Ayrton Senna "do BRASIL" é um só. Ele passou da condição de gênio; é Herói Nacional.