sexta-feira, 13 de julho de 2018

Clipping


























A maratona de três provas em três finais de semana consecutivos deve
ter sido cansativa tanto para as equipes como para os pilotos.

Paul Ricard, Red Bull Ring e Silverstone deveriam ter trago um saldo
mais positivo para a Mercedes.

Não só pelas características das pistas mas também pelo composto mais
fino escolhido pela Pirelli.

A Ferrari, que teoricamente iria realizar um controle de danos, saiu de forma
surpreendente líder nos dois campeonatos (pilotos e construtores).

Na guerra evolutiva o time italiano está com a vantagem.

Entretanto subestimar a capacidade da Mercedes e Lewis Hamilton seria uma
estultícia.

As emoções prometem nos perseguir até Abu Dhabi!

Observação

Dois Safety Cars (sem hesitação) em Silverstone com Hamilton escalando
o pelotão?

Gain

Já na disputa salarial Hamilton está vencendo.

(sem contar premiação extra por títulos, vitórias e patrocinadores)

Nesta temporada o piloto inglês encabeça a lista dos maiores vencimentos
com 37 milhões de euros anuais.

Com 2 milhões a menos, Sebastian Vettel vem em segundo lugar.

Há um empate triplo na terceira posição.

Max Verstappen, Daniel Ricciardo e Fernando Alonso estão no mesmo
patamar com 12 milhões de euros.

Nico Hulkenberg e Valtteri Bottas recebem 8 milhões cada um.

Kimi Raikkonen e Sergio Perez ganham 6 milhões de euros.

Romain Gorsjean 5 milhões de euros.

Carlos Sainz Jr. 4 milhões de euros.

Esteban Ocon e Stoffel Vandoorne recebem 3 milhões de euros cada.

Kevin Magnussen 1,5 milhões de euros.

Perto dele, Lance Stroll na Williams ganha duzentos mil euros a menos
que o dinamarquês da Haas.

Brendon Hartley, Pierre Gasly, Marcus Ericsson e Charles Leclerc recebem
750 mil euros cada.

Por fim, Sergey Sirotkin acertou 500 mil euros nesta temporada com
Claire Williams.

(lembrando que são vencimentos anuais)

Ricciardo e a Ferrari

Isso explica em parte o impedimento da mudança de Daniel Ricciardo para
a Scuderia Italiana.

O piloto australiano fez uma pedida de 20 milhões de euros anuais.

A Casa de Maranello recebeu a proposta e passou o recado.

Fez vazar na imprensa que Charles Leclerc receberia 2 milhões de euros
no primeiro ano de contrato e 3 milhões de euros no segundo caso ele
ocupasse o lugar de Kimi Raikkonen (2019/2020).

Fim.

Por que?

Existe um orçamento para os salários.

Você viu acima que Vettel recebe perto de 40 milhões de euros e Raikkonen
6 milhões.

Um teto próximo de 50 milhões de euros.

(algo que só foi estourado na Scuderia com a dupla Raikkonen e Massa)

A chegada de um piloto ganhando 20 milhões de euros ao lado de Sebastian
está fora de questão.

Assim o Aussie vai permanecendo onde está...

Ferdi, Renault...

Fernando Alonso não ganha muito na McLaren (perspectiva).

Mas tem liberdade pra fazer o que quiser, mudar o staff e ainda divulgar
sua marca.

Sem outras opções, deve ficar.

Mas a mídia espanhola entrega que a Renault estaria interessada no retorno
do espanhol.

Não creio.

A dúvida dos franceses está em Nico Hulkenberg ser a figura ideal
para liderar o time nas próximas temporadas.

A mira está em Esteban Ocon (piloto Mercedes) já que a dupla
Bottas / Hamilton parece consolidada.

Por outro lado há Carlos Sainz Jr. (piloto Red Bull) que dispensaria
muitos recursos para ser retirado de seu contrato com a turma dos
energéticos.

A Renault espera a renovação de Ricciardo com a Red Bull por três anos.

Podendo assim pensar com calma em quem defenderá suas fileiras nos
próximos anos.

Sombra

Romain Grosjean precisa mostrar serviço.

Já foi avisado que se não melhorar sua performance será demitido.

Sérgio Perez aguarda.

Acordo

A Mercedes deve fechar com Hamilton até 2020.

45 milhões de euros anuais.

Repare que o teto salarial da Estrela de Prata é 60 milhões de euros
para seus dois pilotos.

(vimos com Hamilton / Rosberg)

Contrato de  duas temporadas (preste atenção) sem opção de renovação.

Outra Vez

Na Alemanha, assim como foi na Inglaterra, teremos um zona de DRS
a mais.

Revolução

As mudanças no corpo técnico da Mercedes chamam a atenção.

Principalmente a saída de Aldo Costa.

Entretanto o costume de contratar ex-ferraristas continua.

Esteban Gutierrez (que estava na Scuderia ano passado) trabalha no
simulador de Barckley nesta temporada.

Segundona

Na segunda divisão da Fórmula 1 (aquela sem as três grandes) a disputa
segue acirrada!

Hulkenberg, Alonso e Magnussen disputam o título de pilotos.

Enquanto que a Renault vai se firmando como a quarta escuderia.

Kevin & Stoffel

Contemporâneos, pude acompanhar o desenvolvimento dos dois.

Quem acompanha o Blog sabe que sempre defendi Magnussen.

Preterido na McLaren, foi opção na Renault e na Haas.

Hoje se encontra numa posição confortável.

Por outro lado, Vandoorne (que é bom piloto) se encontra em maus
lençóis.

Com a estrela em ascensão Lando Norris pedindo passagem e as comparações
com Alonso, tudo leva a acreditar que seu destino está selado.

Por Fim

A forma deselegante (com acusações sobre Kimi) que a Mercedes recebeu
sua derrota em solo Inglês pode ser um indício.

Sim.

Eu só acredito vendo.

(escaldado!)

Porém lembro o que comentamos em Março por aqui:

Gina era muito bonita, mas acho que Loria vai ficar mais alta...

12 comentários:

CPA disse...

Relativamente ao tão criticado "triple header", principalmente quanto ao desafio logístico, penso que foi óptimo para os fãs e deveria ser mantido!
Se em vez a opção deste ano, juntarem Barcelona+Le Castelet+Monaco acho qie seria uma óptima opção já que entre os 3GP temos apenas 300kms de distância, logo muito menos complicado a nível logístico.

Anônimo disse...

Em 2016, você publicou que Fernando ganhava €30mi. Em 2017, €32mi.
Ele renovou com a McLaren pra correr 2018 por menos da metade?

Difícil acreditar.

Plinio

Renato Santos disse...

Amigo Corradi, Clipping muito bem-vindo! Obrigado!

Marques disse...

Hahahaha é que aqueles incidente não eram pra SC né?
Ericson estampando a proteção em alta velocidade e dois carros fora da pista em curva de alta não são para SC? Ah, e no fim o SC ajudou e muito o alemão que vinha perdendo bastante terreno para Bottas (num fds horroroso) com os médios.
Ferrari ganhou em Silverstone pelo calor e pelos erros na largada: a péssima saída de Hamilton e o erro grosseiro (tão ridículo que foi que não é de estranhar que os mercedicos tenham achado estranho), amadorístico de Raikkonen. Fosse o Verstappen fazendo aquilo o mundo caía. De resto o britânico tinha mais ritmo de corrida.

Humberto Corradi disse...

Retirou da equação os 300 milhões que a Honda colocava na McLaren?

Jacinto disse...

Parte da remuneração do Alonso é na forma de publicidade. Parece que ele é sócio ou dono da Kimoa.

Anônimo disse...

É. Agora faz sentido.

Plinio

Gabriel Pereira disse...

Hamilton fez uma grande corrida de recuperação mas se ele quer ganhar o campeonato não pode falhar como fez nessa largada.
Se ele não fosse tocado muito provavelmente teria caído pra quarto.
Uma temporada de erros de ambos os líderes.
Acho que no conjunto a Mercedes ainda tem um melhor carro.Apesar de serem muuuuito mas muuuuuito próximos a nível de Perfomance.
acho...
Minha única curiosidade ainda paira sobre o GP da Hungria e o de Cingapura.
Se a Red Bull vai chegar de novo..

Humberto Corradi disse...

O comjunto da Ferrari é melhor. A performance em Silverstone mostra. Fora a Haas e Sauber andando bem.

Anônimo disse...

Coradi ... o que vc sabe sobre a oferta da Andretti para Force India ? Invasão americana ?

Ricardo Afonso

maxwellman disse...

Estava sentindo falta dos posts. Não suma, é a minha principal fonte sobre a F1.

Fabrizio Salina disse...

Sei que o abandono das duas Mercedes não dá pra tirar da conta deles, mas se não fosse isso, tudo poderia ser diferente.

Não vejo a Ferrari com uma superioridade evidente, até mesmo pelo hábito de ver a Mercedes na vanguarda nas últimas quatro temporadas. Até quebrar essa "imagem mental" vai demorar um pouco, mas aquela supremacia de uma equipe só ficou no passado.

A Williams não merecia isso...