quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Dificuldades



Três imagens da tradicional Targa Florio.

Corrida que em 1919 teve entre seus pilotos inscritos um jovem chamado Enzo.

Que na primeira infância sonhava em ser cantor de ópera.

Porém aos dez anos se apaixonou pelos automóveis ao ser levado por seu pai para
ver uma corrida de rua.

A chamada Coppa Florio, vencida por um carro da FIAT.

O menino, que poucos anos depois ficou órfão de pai, se tornaria piloto de testes de
uma pequena montadora que o inscreveu para correr na prova siciliana acima citada.

Vida dura.

O piloto novato teve que sobreviver a um ataque de lobos nas montanhas de Abruzzi
para conseguir chegar ao grid de largada.

Foi salvo graças ao revólver que carregava na cintura.

Já na corrida, aconteceram outras dificuldades.

Seu tanque de combustível saiu do lugar após a largada.

Isso o fez perder muito tempo.

No entanto o rapaz não desistiu e, depois do conserto, acelerou o máximo para recuperar
os minutos perdidos.

Tudo ia bem até que, quase chegando a linha de chegada, deu de cara com a comitiva
presidencial italiana.

Seu carro foi impedido de passar pelos policiais que faziam a escolta.

Sem alternativa precisou esperar que o presidente terminasse seu discurso numa vila
próxima.

Quando finalmente cruzou a linha de chegada, os cronometristas já haviam ido embora.

O jovem Enzo só foi incluído no resultado final após implorar para Vincenzo Florio,
o patrono da corrida.

Talvez a pequena história não queira dizer nada.

Ou, ao contrário, explique muita coisa.

Porque a superação é uma marca dos vitoriosos.

Talvez assim tenhamos encontrado a razão da Ferrari ser a maior equipe de corrida de
todos os tempos.

8 comentários:

Anônimo disse...

Corrado,

muito legal esse trecho da vida de Enzo Ferrai, que foi piloto oficial da Alfa Romeo...

Agora, se por "maior equipe de corridas de todos os tempos" você estiver se referindo à longevidade, talvez eu concorde.
Não conheço outra equipe com duração similar à da Scuderia Ferrari.

Não acho que podemos desprezar a grandeza (ou grandiosidade) de uma Mercedes-Benz ("Silberpfeille", as Flehcas de Prata), ou de uma Auto Union ("Silberfische', os Peixes de Prata) na história do automobilismo, mesmo que sejam equipes do período entre as Guerras Mundias, ou os anos 20, 30 e 40.

Para se ter uma idéia da importância das 'Prateadas' equipe alemãs, basta dizer que as competições dos Grand Prix, nos anos 30, foram amplamente dominados por ambas - numa disputa ferrenha entre si, quase ignorando quaisquer outros times privados ou de fábricas. Esse domínio [quase] absoluto, fez com que os outros times passassem a dar mais atenção/importância a outra categoria da época, a Voiturette - uma espécie de GP2 daqueles tempos.

No início as equipes privadas fizeram essa migração, depois vieram os fabricantes italianos (Alfa Romeo, Maserati, por exemplo) e por último, as fabricantes alemãs acabaram por aderir a essa categoria.

Após o fim da Segunda Guerra, as Voiturettes comandaram o mundo das competições automobilísticas. A Era dos monstros alemães (Mercedes-Benz e Auto Union) havia passado/acabado. Como as novas regras para o automobilismo foram criadas em 1946, os carros da Voituretts transformaram-se na espinha dorsal do automobilismo do futuro.

Essas novas regras foram posteriormente conhecidas como... Formula 1!

Ou seja, para cada época uma grande... ou mais de uma... a Scuderia Ferrari é, sem dúvida, UMA DELAS...


um abraço,
Renato Breder

Anônimo disse...

Ops!
desculpe aí... saiu CORRADO e não CORRADI!!!

outro abraço,
Renato Breder

Migdonio disse...

Essa história do ataque de lobos deve ser a maior mentira deslavada!

Rui Amaral Jr disse...

Targa Florio!!!!
Um nome que me traz Nino Vacarella a mente heroi do povo siciliano que pintava seu nome pelas estradas onde passava a corrida...
Enzo chegou em 2º no ano de 1920 com uma Alfa Romeo 40/60 na corrida vencida por Guido Meregalli com um Nazzaro GP.

Ricardo Reno disse...

Corradi,

Que lindas fotos, principalmente a do elegante senhor, com o não menos elegante Porsche.

Anônimo disse...

na foto do meio, pelo capacete acho que é o brilhante Vic Elford - que não fui checar agora, mas acho que venceu a edição aí retratada, a de 1971.
engraçado é que a foto deformou um pouco a traseira do carro, a estrutura branca parece assimétrica e desbalanceada, mas eu não sei o que é aquilo - talvez só o suporte da carroceria na traseira do carro - e penso que a estranheza resulta do angulo da foto.

fernando

TW disse...

Que loucura!

Anônimo disse...

A história principal da postagem contém uma relevante inconsistência, que é a existência de uma comitiva "presidencial". Não pesquisei o ano em que tal fato aconteceu, mas suponho que a juventude de Enzo tenha transcorrido na Itália sob regime monárquico, em que a chefia de governo era exercida por um primeiro-ministro, que, na época dos fatos, talvez fosse Mussolini...