quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Damon Hill





























Ele entrou na Fórmula 1 bem tarde e pela porta dos fundos.

Não deveria ter sido assim para Damon Hill.

Seu pai foi uma lenda do automobilismo.

Mas deixou o filho precocemente num acidente de avião.

Seis mortos.

O próprio Graham pilotava.

Damon tinha 15 anos.

Sem seguro, o processo das famílias das vítimas arrasou financeiramente Bette Hill.

O dinheiro acabou.

De volta a estaca zero.

Com vinte anos Damon começou a correr de moto meio período.

O futuro campeão mundial reformava apartamentos na época para se sustentar.

Nos finais de semana montava sua barraca nos circuitos.

Ao passar para a fórmula 3 e 3000, nos anos seguintes, ele sofreu.

Não havia passado pela escola do kart que ensina o combate.

Mesmo assim mostrou destreza em algumas boas apresentações.

Enfim chegou a Fórmula 1 como piloto de testes da Williams.

Assistiu bem de perto Nigel Mansell, Alain Prost e Ayrton Senna.

E notou diferenças.

"Se não precisasse treinar, Mansell cumprimentava a todos e ia jogar golf.  

Senna, se por algum motivo não pudesse treinar, ficava ao meu lado querendo saber
todas as minhas impressões sobre o carro."

Em 1996, enfrentou um ambiente bastante hostil, com Villeneuve e Schumacher
tentando roubar a cena até mesmo durante as entrevistas.

Mesmo assim Damon Hill se sagrou campeão.

Estava no sangue.

A única herança que seu pai lhe deixou.

Um título, um reinado breve.

Porém marcante e significativo.

12 comentários:

Francis Henrique Trennepohl disse...

"Se não precisasse treinar, Mansell cumprimentava a todos e ia jogar golf. Senna, se por
algum motivo não pudesse treinar, ficava ao meu lado querendo saber todas as minhas
impressões sobre o carro."
Essa sempre foi a diferença do Senna pros outros!

Marques disse...

Bom piloto, às vezes trapalhão, mas não sabia da sua história. Confesso que comecei olhá-lo de forma diferente agora.

TW disse...

Que história humberto!
Um grande vencedor fora das pistas, embora não o considere assim tão fabuloso lá dentro.

abs

politicamente_incorreto disse...

Já era fã do Damon Hill antes de saber desse(s) episódio(s) na sua vida. já nutria um puta respeito pelo "patinho feio" da categoria e agora de posse dessas informações o conceito dele aumentou mais ainda.

Belair disse...

Sr. Corradi,por acaso a foto do ultimo Cars & Girls do FG foi fornecida por V.Sa.?
Olhe essa ultima foto do seu post e a citada la' no FG.Muita coincidencia...rsrsrs

Anônimo disse...

Eu também amplio minha simpatia pelo Damon Hill com mais essas informações...

E pensar que, em 1992, ele era reserva - ou até nem isso! - da Giovanna Amati, na Brabham!!

um abraço,
Renato Breder

Rafael Dias Santos disse...

E eu torci muito por ele. Simpatia, mesmo....nos anos de Jordan e Arrows era só fim de pelotão, pelo menos os carros eram lindos. :)

Humberto Corradi disse...

Belair

Mesmo personagem. Porém em assuntos diferetes.

Valeu

Rui Amaral Jr disse...

Gostaria que meu amigo Cezar Fittipaldi desse um palpite aqui já que dividiu com Damon a condução de alguns carros e quartos de hotel quando corriam fora.
Para mim ele como o pai sempre foram acima de tudo dignos.

politicamente_incorreto disse...

Sem contar que nesse acidente - do qual me recordo de acompanhar as chamadas na tv - ceifou a vida também da esperança e jovem promessa inglesa da época que era o Tony Brise. piloto da equipe Hill.

Marcos Antônio disse...

tá aí um piloto que sou fã. Engraçadpo que era moleque e nunca tinha ouvido falar do Graham e me apaixonei pelo capacete do Damon. Torci muito por ele quando ele correu na Williams. Pra mim, grande piloto.

André Couto disse...

Essa comparação entre Senna e Mansell não foi feita pelo Damon Hill e sim pelo Coulthard em entrevista a TopGear no especial do Senna.

http://www.youtube.com/watch?v=aNmqn3heGgE (5:23)