sábado, 21 de março de 2015

Portago




A expressão Jet Set foi criada na década de 50 por um colunista americano
para denominar os ricaços que podiam viajar a bordo de um avião a jato.

Se você pertencesse a essa casta privilegiada da época provavelmente teria
muitos nobres entre seus conhecidos.

Com certeza Alfonso Antonio Vicente Eduardo Angel Blas Francisco de Borja
Cabeza de Vaca y Leighton seria um deles

O espanhol Alfonso de Portago (neto do rei Alfonso XIII) além de milionário
possuía o título de Marquês.

Era também um aventureiro.

Chegou a ganhar uma aposta com seus amigos depois de passar com um avião
por debaixo de uma ponte.

Tinha apenas 17 anos.

Um bon vivant que passava pelas alfândegas dos aeroportos exibindo seu passaporte
diplomático.

Sem bagagem.

Somnete com uma escova de dentes no bolso.

Era atleta.

Participou da Olimpíada de inverno de 1956.

Gostava também das corridas de automóvel.

Da adrenalina da coisa.

Sabe essa história de pilotos que pagam pra correr na Fórmula 1?

Foi assim que Portago entrou na categoria.

Teve como companheiros Peter Collins e Juan Manuel Fangio ao ser acolhido
pela Ferrari em 1956.

Participou das últimas quatro etapas daquela temporada.

Chegou até a beliscar um segundo lugar em Silverstone.

O cara não aliviava.

Não tinha pena do equipamento.

A máquina sofria.

Era um destruidor de freios, embreagens e transmissões.

O rei do carro reserva.

Isso confunde os pesquisadores.

Tipo eu.

Pois nas fotos aparece na mesma corrida com dois números diferentes.

Sua morte em 1957 foi um divisor de águas.

Durante a tradicional Mille Miglia daquele ano, Portago participou defendendo
a Scuderia do Commendatore.

Numa das passagens pelo box, Alfonso desceu do carro, foi até a cerca e beijou
sua namorada Linda Christian.

Ao retornar, ouviu da boca do próprio Enzo a ordem que seus carros deveriam
manter as posições.

Mas Alfonso sonhava em se tornar piloto titular da equipe.

E não obedeceu ao comando.

Resolveu arriscar para ganhar tempo.

Como fazem os jovens.

Para surpresa de todos, não trocou os pneus.

O dianteiro esquerdo explodiu faltando quatro quilômetros para a chegada.

Seu destino estava selado.

Ele, seu co-piloto e mais dez espectadores morreram.

Cinco eram crianças.

Terror.

O corpo do piloto marquês foi encontrado dividido ao meio embaixo da Ferrari.

Foi a última Mille Miglia.

O acidente fez o governo italiano proibir qualquer corrida em estrada.

Portago colocou fim em sua vida.

E uma pedra sobre toda uma Era do Automobilismo.

7 comentários:

Anônimo disse...

Grande história Corradi.
Não conhecia...
MAis uma pra coleção.

Abç,
Emerson Fernando

Anônimo disse...

* Foto 1
Grã-Bretanha, 1956
Lancia-Ferrari D50 #3, de Eugenio Castellotti. Alfonso de Portago ao volante

Nesse GP da Grã-Bretanha Alfonso De Portago largou bem e vinha ganhando posições até chegar em 3o lugar.
Na volta 64 a Ferrari de Peter Collins (Lancia-Ferrari #2) teve um problema de pressão de óleo e Collins foi para os boxes e abandonou.
Ordem de equipe: De Portago devia ceder seu carro (Lancia-Ferrari #4) para Collins, o que aconteceu na volta 70.
Na volta 80, é Eugenio Castellotti que para nos boxes e 'cede' seu carro (Lancia-Ferrari #3) a De Portago, que ainda dá 12 voltas com o carro.
De Portago termina o GP em 10o lugar, com o carro de Castellotti, e ultrapassa a linha final empurrando o carro (http://8w.forix.com/portago/adp-gb56.jpg).
Como Peter Collins terminou e GP em 2o lugar, De Portago ainda levou 3 pontos para casa...


Há uma outra versão dessa história: diz que após ceder - a contragosto - o carro a Collins, De Portago esperou a volta final do GP e empurrou o carro de Castellotti, que estava parado ao lado da pista, até a linha de chegada...
Aqui no '8W Forix' - http://8w.forix.com/portago.html - não há menção a esse episódio...

Os registro do 'StatsF1', nos resultados do GP, indicam que De Portago andou ainda 12 voltas com o carro de Castellotti!
Acompanhando os registros de volta-a-volta, essa informação não é corroborada...

Enfim, qual história é a correta?



* Foto 2
França, 1956
Lancia-Ferrari D50A streamline, #16 - esse 'bico' foi usado apenas nos treinos...

Não vi nenhuma Lancia-Ferrari com esse 'bico' aqui nesse vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=VXSKEv62q54&feature=player_embedded

Esse outro vídeo (praticamente o mesmo) está com problemas de som, mas tem algumas imagens a mais...
http://www.youtube.com/watch?v=V2_3rgkMbTI&feature=player_embedded#!



* Foto 3 - ???



um abraço,
Renato Breder

Rafael Schelb disse...

Portago, junto com o Príncipe Bira, são dois dos personagens mais fascinantes do automobilismo.

TW disse...

É por isso que gosto tanto desse blog, todo dia se descobre algo novo.

ALEX COURI disse...


putz q historia!

Renato Santos disse...

Corradi at his best. Thank you.

Tiago Oliveira disse...

Esse texto nao é repetido no teu blog? Tive um dejavú em todas as linhas.