sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Thundercats



Monarch era um leão bem alegre e esperto.

O felino pulou pela primeira vez para um carro com 3 semanas
de vida.

Quem contou como tudo começou foi o Destemido Egbert.

Seu dono.

A reportagem do jornal data de 1931.

Egbert era um showman.

Um britânico que arriscava sua vida nos Silodromes.

Um muro da morte.

 A versão pocket dos motordromes americanos.

Alguns já até viraram posts aqui no Blog.

Playa del Rey, Saint Louis, Legion Ascot.

Como a matéria prima era madeira, todos praticamente desapareceram
após a Segunda Guerra Mundial.

Porém logo surgiu uma versão para parques de diversão.

O tal Silodrome.

O nome vem do formato parecido com um silo de armazenagem
de grãos.

Na verdade apenas retiraram as retas dos antigos motordromes.

Eram baldes gigantes de madeira.

Numa versão bem compacta para facilitar o transporte que a vida
circense exigia.

Dentro da coisa motos e carros giravam para delírio do público
que assistia a tudo de cima.

Uma festa regada a algodão doce e pipoca.

A cada ano os espetáculos ficavam mais ousados.

É justamente nesta parte da história que entraram os leões.

Egbert adaptou o seu carro para que seu leão participasse do show.

Monarch não usava qualquer tipo de cinto.

Um repórter do Yorkshire Evening Post foi ver algumas apresentações.

E notou as atitudes curiosas do grande gato.

"Todas as vezes em que sua jaula era aberta ele ia imediatamente para
sua posição ao lado do piloto.

Caso Egbert demorasse a dar a partida, Monarch logo soltava um rugido
para demonstrar sua impaciência.

Se parasse o carro cedo demais, durante o número, o leão africano não
descia do veículo.

O felino também ficava entediado com tantos giros.

Egbert sabia a hora de parar, pois a cabeça de Monarch ia se aproximando
de seu rosto..."

Havia variações do número em outros parques.

Alguns usavam Sidecars.

Isso mesmo.

Leões de moto!

Outros soltavam o leão no Silodrome para caçar as motos que
giravam ao seu redor na horizontal.

Felizmente, apesar das tentativas, não há registro que alguma moto
tenha sido alcançada.

A festa acabou em 1964.

Quando um outro leão chamado King revidou uma provocação.

Um bêbado maluco colocou a mão dentro de sua jaula.

Para salvar o sujeito a polícia atirou e matou o animal.

King era o último leão de sua espécie.

Aquela que não tinha medo da velocidade.


11 comentários:

Anônimo disse...

Duas palavras: FANTÁSTICO e INSANO!!!

Criatividade para o 'Show de Horrores' é o que não falta à humanidade...

Agora, quanto à afirmação...

"King era o último leão de sua espécie.

Aquela que não tinham medo da velocidade.
"

há controvérsias... houve um maluco 'Red Five' nas pistas da F1...


um abraço,
Renato Breder

Anônimo disse...

Ops!

há isso aqui também, Corradi (por acaso, sua fonte?)

http://transversealchemy.blogspot.com/2011/06/wall-of-death-history-of-motordrome-and.html?zx=6535671ab22bd159


outro abraço,
Renato Breder

Paulo Abreu disse...

Boa Corradi!
O Mansell fazendo escola desde 19 e guaraná com rolha, hehehe

Abraços!

Ron Groo disse...

A ultima foto é plano de fundo no meu blog.
Acho sensacional.

Rafael Schelb disse...

Na boa: NEM FUDENDO!!! hehehehe

Marcelonso disse...

Inusitado!

Marcos Antônio Filho disse...

na segunda foto dá pra ver o leão feliz! Mas é muito louco correr com um leão do lado, é loucura demais! Pelo menos os leões curtiam corridas! rs

Fernando Rhenius disse...

Belo post.. Agora matar o leão para salvar um bebado????

Anônimo disse...

E aí... viraram símbolo da Peugeot e música de Caetano! rsrs


Carlos Henrique

Daylson Elder disse...

Simplesmente incrível.
A coisa mais insana que eu já tive notícia envolvendo carros.Agora leão girando junto com o piloto...essa eu nunca tinha visto.
Um dos melhores posts que já vi no blog.
Parabéns Corradi.

maxwellman disse...

Parafraseando o Corradi: "Tá doido"?