quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Experimentando























Ainda em fase de testes.

Nem número tinha.

Jacques Laffite é quem conduz a Ligier.

1975.

13 comentários:

Anônimo disse...

Um dos carros mais charmosos da história da F1, na minha opinião.

fernando disse...

motor Matra-Simca, V12, aquele do som maravilhoso?

detalhes no fundo da foto que identificam a pista (só depois vi escrito 'test track' na tag): a colina artificial contínua que circunda quase todo o externo do circuito, e a placa com o nome (borrado na foto) 'circuit paul ricard' na casinha de serviço - continuam lá até hoje, a colina e as casinhas. meu palpite é que foi tirada sob o sol da manhã.

Ike Nodari #41 disse...

Pode parecer estranho, mas acho esse carro lindíssimo. Abs

Anônimo disse...

Bingo, Fernando!!

Paul Ricard, 1975, Jacques Laffite testando a Ligier 'Bule de Chá'... ou, em outras palavras, a água ainda estava esquentando para o chá...

Chá que durou apenas 3 etapas da temporada de 1976. A partir do GP da Espanha, as tomadas de ar 'periscópicas' ou 'bulescas' (não é burlescas!) foram proibidas...

Quanto à beleza do carro, não é apenas o Ike Nodari que acha esse carro belíssimo...


um abraço,
Renato Breder

Bianchini disse...

O piloto pode ser o Lafitte, mas a tomada de ar parece o nariz do Prost de perfil!!!
Deixando as piadas de lado, meio over.

fernando disse...

eu também admirava muito esse carro; tenho uma vaga lembrança de vê-lo parado junto ao guardrail externo da curva do Sol, tinha perdido uma roda e saído da pista num treino de tarde, na sexta ou no sábado - só entrei no interno de Interlagos depois do fim dos treinos, tinha assistido os carros correndo tudo lá do setor A. e, a bem da verdade, posso estar errando o ano que vi isso, mas memorizei assim pois era um carro que chamava a atenção por ser nova equipe e ter visual distinto - o que, claro está, contava muito para os espectadores naquela época.

a Ligier também foi destaque em 79, pela performance dominante iniciada no GP argentino e continuada aqui no BR - todos os adversários intrigados com a vantagem do carro, não sabiam aonde estava a diferença.

ah, sobre a temporada de 76, está sendo rodado o o filme de Ron Howard ("Apollo 13") sobre a disputa naquela temporada, Lauda X Hunt - não sei se é baseado mais na história do austríaco ou dos dois na F1, mas ao que parece terá cenas de temporadas anteriores, quando ambos eram novatos.
no blog do jon saward (jornalista inglês, bom no q faz mas metido como ele só) tem aparecido fotos das filmagens - já são 3 posts até agora - vale a pena aos fãs (especialmente os nostálgicos) do blog aqui darem uma espiada, ou, como diz aquela música do ultraje, "rrecomendo".

abs
fernando

Verde disse...

Um dos poucos carros bonitos dos anos 70, hehehehe.

politicamente_incorreto disse...

Esse carro na realidade é feio prá burro, mas o que o torna lindo é o fato de nos remeter a uma época aonde havia diversidade de modelos e liberdade criativa, hoje o regulamento praticamente faz um croqui dos carros e entrega para as equipes.
Moral da história: os carros em que pesem a tecnologia envolvida e a qualidade de cada um - sempre foi assim, isso não mudou - parecem que saíram de uma linha de montagem.
Sempre falei que o que dava beleza e compunha esses conjuntos era exatamente a ergonomia do piloto dentro do bólido. Corradi, publique um post com a "evolução" da posição de pilotar através dos tempos. na ´decada de 50 o piloto ia sentado sem cinto , na década de 60 todos usavam cinto e a posição era inclinada. essa inclinação foi aumentando até a ridícula posição de hoje em dia, totalmente antinatural aonde o piloto vai deitado com os joelhos quase na altura da cabeça. Há algum tempo houve um teste aberto para os jornalistas não sei aonde nem em que lugar- o Breder é que manda bem nessa área - aonde um "piloto" jornalisata desistiu por claustrofobia.
Os cockipts da década de sesseta para cá sempre foram apertados , mas a posição de guiar de hoje é antinatural e horrível. os carros poderiam ser mais altos e a posição menos inclinada que não afetaria a segurança e diminuiria a ditadura da aerodinamica na categoria, seria o adeus ao estilo cagalhão com asas que hoje reina absoluto... perdão o cagalhão agora ganhou um degrau....

Rubem Rodriguez Gonzalez

Anônimo disse...

Beltoise também testou este carro no final de 1975.

Rodrigo

Jeferson Araujo Pereira disse...

Em 1975 eu tinha 14 anos e gostava muito.Hoje eu penso diferente.

Fica a impressão de que estamos vendo (apenas) uma tomada de ar, e não um carro.E a asa dianteira parece que foi desenhada por uma criança.É duro admitir isso, mas o que eu achava lindo nos anos 70, hoje ficou muito datado e sem graça.

Renato Santos disse...

Essa Ligier queria roubar o ar de todo mundo!

Eduardusss disse...

Como pode um carro ser tão lindo e tão feio ao mesmo tempo?

Anônimo disse...

Espero que, com essa nova direção da F1, algumas coisas "clássicas" retornem. como por ex. alguns circuitos, a liberdade de criação dos carros...
Cleiton