quinta-feira, 19 de abril de 2012

Déjà Vu


















O australiano Mark Webber.

Sempre tentando voar...


18 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Humberto,

E ele tentou (e conseguiu) voar também em Valência/2010:

http://www.youtube.com/watch?v=6ssnsr2gxoc&feature=related

Um abraço,
Danilo Candido.

Anônimo disse...

Lembro dele voando na Espanha em Valencia, com essa Mercedes foi ele tbém?

Cardozo disse...

Não consegui entender a segunda foto...

Tohmé disse...

Cardozo, umas dessas MB simplesmente levantou vôo. Vc está vendo a parte de baixo e ela a uns 5 metros de altura. O fotógrafo é brasileiro.

Humberto, tem uma decolagem do manfred Wilkenhock na F3. Um carro amarelo. foi assustador.

Tohmé disse...

Cardozo, umas dessas MB simplesmente levantou vôo. Vc está vendo a parte de baixo e ela a uns 5 metros de altura. O fotógrafo é brasileiro.

Humberto, tem uma decolagem do manfred Wilkenhock na F3. Um carro amarelo. foi assustador.

Danilo Candido disse...

Prezado Cardozo,

Não há registro em vídeo do acidente em si com o Webber, mas foi idêntico ao sofrido pelo companheiro de equipe dele, Peter Dumbreck, com o mesmo modelo de carro, também durante o warm up para as 24 Horas de Le Mans de 1999:

http://www.youtube.com/user/AUTOHEBDOMagazine?feature=watch

Essas MB CLR tinham um sério problema ao pegarem vácuo do carro da frente em alta velocidade, perdendo subitamente pressão aerodinâmica na dianteira. O problema foi agravado pela mudança de aclive para declive naquele trecho da pista (final da reta Mulsanne), fazendo com que decolassem. No vídeo abaixo, o momento logo após da batida do piloto australiano:

http://www.youtube.com/watch?v=O9EU8JH03gE

Devido às duas ocorrências, a Mercedes Benz decidiu retirar-se da prova.
Aqui, vemos um caso muito semelhante, ocorrido na prova de Road Atlanta pela ALMS, com Allan McNish em seu Porsche 911 GT1:

http://www.youtube.com/watch?v=g8XxQkXCmsU&feature=related

E para o amigo Tohmé, o acidente do Manfred Winkelhock foi de F2, em Nurburgring/1980:

http://www.youtube.com/watch?v=4F7mVEotx9c

Um abraço à todos.
Danilo Candido.

Danilo Candido disse...

Ops, colei o link errado do acidente com o Dumbreck...Cardozo, esse é o correto:

http://www.youtube.com/watch?v=KqGq9OnHLHs

Ron Groo disse...

E ainda tem uma outra na própria F1...

Ele gosta mesmo de decolar.

TW disse...

E conseguiu em 2010 em Valência.

Não é à toa que é piloto de avião também.

Anônimo disse...

Depois de tudo isso, Mark Webber se acidenta e se machuca, andando de BICICLETA na Austrália.... vai entender!!!

Já que Red Bull "te dá asas", parece que Mark Webber está na equipe certa, afinal...

um abraço,
Renato Breder

Julio Cezar Kronbauer disse...

Ele não conseguiu no domingo porque o carro dele tem asa dianteira.

Rodrigo Keke disse...

Dizem que Norbert Haug orientou os pilotos a não usarem demais o vácuo dos adversários justamente para diminuir a chance dessas decolagens aí acontecerem. Era um risco conhecido, portanto.

Anônimo disse...

Não usar o vácuo e ultrapassar como?

Rodrigo Keke disse...

Não sei. Mas a julgar pela facilidade com que os CLK-GTR decolaram, sair do vácuo para a turbulência do ar a 360 km/h na Mulsanne Straight devia ser um ponto crítico do bólido.

André disse...

Pessoal, se parece muito com aquela decolagem do Petrov no ano passado. Até dá a impressão de ter sido no mesmo lugar. Mas a do russo foi em Sepang, acho...

Cardozo disse...

Pessoal, ok, acho que entendi a foto. Pelo que parece, estou vendo a traseira de uma Mercedes de cabeça para baixo. Procede?
De toda forma, obrigado a todos pelas explicações. Este site é realmente muito bom!

Humberto Corradi disse...

Cardozo

Aqui tem outra:

http://f1corradi.blogspot.com.br/2011/05/ta-doido.html

Valeu

Milton Rubinho disse...

Pelo pouco que estudei sobre esse acontecimentos, era o seguinte:

Estudavam esses protótipos, na época, para terem um comportamento aerodinâmico sem qualquer turbulência. Além disso, o perfil frontal tinha importante função para grudar o carro ao solo.

Na prática: Quando um carro desses pegava o vácuo de outro, a frente ficava muito instável porque o ar era turbulento demais. Para piorar as coisas, tinham uma asa traseira gigante para continuar pregando a traseira no chão. Junte a isso o acline-declive(que permitia uma corrente de ar entrar por baixo do veículo e pronto.

Mais: nesse video, tem também uma BWM mandando um flip:

http://www.youtube.com/watch?v=0Xvai7iuubA

Abraços.