sábado, 23 de junho de 2012

Segafredo

























O tricampeão Ayrton Senna na Toleman.

Sem igual.

18 comentários:

carlo paolucci disse...

Master Corradi,

Belgicanos tem verdadeira adoração pelo Senna, tal qual nosso Jacko. No museu do automóvel (Autowoord-Musée de LÁutomobile,JubelPark, Bruxelas) situado no Park du Cinquantenaire,linha vinho, descer na estação Merode, q sai ao lado de nosso Arco do Triunfo. É considerado um dos melhores quando o assunto é Senna, desde pequenas carenagens, luvas, fotos de Spa, reportagens, porradas, e principalmente réplicas absolutamente perfeitas de capacetes, botas, macacão, óculos, e muitos etc´s à venda. Caso vá a Bélgica ñ deixe de ir, é tão divertido como uma tarde no circo. Aí vai a pergunta: exceto o Brasil, quantos outros países cultuam tanto o ídolo brazuca? Sou capaz de apostar q até hoje ainda deve ter procissão na Grand Place p êle...
Saudações belgo-monarquistas
carlo paolucci

politicamente_incorreto disse...

Carlo, acho que no Japão a idolatria e o respeito pelo Senna é bem grande.
Dizem os "entendidos" que essa empatia advém da obstinação, dedicação, objetivo de vitória e capacidade de trabalho do nosso piloto. Se é por esses motivos não sei, mas deveria..... todos deveriamos enaltecer esses valores, quer seja nos campeões ou nos lutadores do dia-a-dia.

Bom domingo s todos.

Rubem Rodriguez Gonzlaez

Emerson Pippi - Formula Retrô disse...

Em Portugal Senna é considerado como lusitano nato. O chamavam de "Nosso Menino".

Ivo Mamede disse...

aAlguém sabe especificar as características técnicas do motor desse carro? Certa vez ouvi falar que só tinha 4 cilindros. Verdade?

Anônimo disse...

A titulo de curiosidade:
http://en.wikipedia.org/wiki/Toleman_TG184

Bianchini disse...

Essa asa dupla na traseira era estranha, mas na época tinha outras configurações aida mais esquisitas.

Rafael Schelb disse...

Talvez o carro mais bonito que ele guiou na vida!

Anônimo disse...

Mamede,

O motor Hart dessa Toleman era turbo, o que significa que tinha 1,5 litros. Além disso possuía apenas 4 cilindros em linha.

Sua especificação dizia tudo isso: 415T

4 = 4 cilindros
15 = 1,5 litros
T = turbo

Nesta listagem, ele é o primeiro:
http://www.statsf1.com/en/moteur-hart.aspx


um abraço,
Renato Breder

Juanh disse...

Hermoso Toleman, una marca que a pesar de su poca vida en la F1, nos mostró siempre autos muy bonitos.
Abrazos!

Anônimo disse...

Ao contrário do que os mais, digamos, empolgados sustentam, esse carro estava muito longe de ser um modelo ruim.


Carlos Henrique

Ron Groo disse...

Carros quadrados.
Que saudade.

Rodrigo Keke disse...

Discordando completamente do Reginaldo Leme, que andou comparando este quadradinho aí a Hispania, o primeiro F1 regular do Senna andava dignamente no meio do pelotão, raramente largando lá nas últimas filas. O próprio Ayrton afirmou em entrevistas que num dia onde tudo desse certo, dava pra sonhar até com pódio.

politicamente_incorreto disse...

A comparação com a Hispania é ridícula, o carro era de razoável para bom. o propulsor era realmente fraco. mas nas mãos de um fora-de-série como o Senna o carrinho fez bonito.
Sem o Senna não faria a metade do que fez, mas em compensação se fosse ruim como uma hispania o Senna não teria feito nada mesmo sendo o piloto que era. Com excessão para Monaco, pois com pista molhada e ainda mais nas ruas do principado era bem capaz do Senna ganhar uma corrida de F-1 com um F-3.
Muitos detratores do Senna o acusam de ganhar com os melhortes carros do grid, isso nem sempre foi verdade mas em boa parte das suas vitórias realmente existia esse diferencial. Mas a diferença entre ele e os outros acontecia de verdade quando se nivelava todo mundo por baixo, em condições extremas ele fazia a diferença. com o pior ou o melhor carro. É a parte aonde depende muito mais do piloto do que da máquina. Não é à toa que o cara é ainda o escolhido como o melhor em 10 de cada dez enquetes feitas pelo mundo afora.Quer seja entre leigos, especialistas ou pilotos e ex-pilotos.
Só perdeira feio em enquetes de certos blogs brasileiros aonde o ódio destilado contra o cara mesmo depois de morto passa dos limites aceitáveis,deve ser trauma ou hemorróidas arrebentadas.....


Rubem ROdriguez GOnzalez

Rodrigo Keke disse...

Concordo contigo Rubem. E é importante lembrar que o Senna extraía o máximo de seus carros, uma característica que ajudou a definir a sua identidade como piloto. Basta reparar nos seus onboards: a pilotagem precisa, mas ao mesmo tempo nervosa, como um touro numa tourada, sugere que o conjunto está sempre trabalhando no limiar. Para um carro de corrida, ser pilotado pelo Ayrton era um teste de resistência, pois seria exigido ao máximo em todos os aspectos.

P.S: seguindo essa linha, para um carro de corrida, ser pilotado pelo De Cesaris era um teste de sobrevivência XD.

Eduardo Miler disse...

Diziam que os motores do Senna eram mais potentes...Até acho que eram, mas tbm eram de vidro, quebram por pouco... Ele levava o eqto ao limite, mas sem quebrar, coisa que o De Cesaris nem sonhava fazer...Abs

politicamente_incorreto disse...

Eduardo, não eram os motores do Senna que eram frágeis. na época a F-1 trabalhava com um elemento que deveria ser mantido: o imponderável e a capacidade do piloto em gerenciar o conjunto. daí as quebras se sucederem. O Senna teve uma sequencia interminável de 'panes secas" pois o motor Renault era mais beberrão que os outros.
Isso aconteceu porque um criminoso nazista que atendia pelo nome de Balestre ao descobrir que o motor Porsche TAG era o mais economico da categoria apesar de não ser o mais potente enfiou um artigo no regulamento proibindo o reabastecimento e limitando o tanque a 180 lt.
Resultado: só os carros da Mac laren conseguiam andar a plena potencia pois não precisavam se preocupar com a gasosa e aí o traídor do povo francês na segunda guerra começou a pagar a sua dívida dando o mundial finalmente para o seu afilhado, que se acostumou e ainda ganhou mais um titulo as custas do esterco man do balestre. Qualquer dividida ou pejuízo o nanico narigudo partia para o escritório de Herr Balestre para tomar as devidas providências...

Rubem Rodriguez Gonzalez


PS. Hoje o piloto é um bonequinho manipulado que habita o cockipt. recebe informações on line de todos os parametros do carro, alguns que beirtam o ridículo. antes o cara deveria ter sensibiliade par apoupar o equipamento e outros valores diferenciais afloravam para diferenciar um do outro. Hoje ainda existe talento para diferenciar pilotos , mas esses parametros foram lamentavelmente eliminados.

Paulo disse...

Segafredo tava na FW16 em 94.
http://2.bp.blogspot.com/-kdLdNqcjXJA/T1GjvJ9EH4I/AAAAAAAABLA/cxwG7sovj_8/s1600/Williams+FW16.jpg

TW disse...

Três pódios com esse humilde carro! Era apenas uma amostra...