segunda-feira, 22 de abril de 2013

O Azar de Alonso!






















E Fernando Alonso culpou o azar.

Estou com ele.

Realmente o piloto espanhol pode reclamar da sorte.

O defeito em seu DRS o tirou da briga pelas primeiras posições no Bahrein.

Ainda mais que a falha mecânica ocorreu após 58 GPs sem um defeitinho no
carro.

Tinha que ser logo agora?

Maldita sorte!

A Scuderia Italiana também poderia dar um bólido mais competitivo.

E mais resistente.

Que suportasse saídas de pistas e acidentes de largada.

Acham que trabalhar exclusivamente para o sucesso do asturiano é suficiente.

Azar!

E o Felipe Massa?

Um inútil.

O brasileiro deveria ajudar mais.

Por que não larga na frente de Vettel em todas as provas para bloquear seu
caminho na saída?

O que está esperando para enfiar a cara no muro e causar uma providencial
entrada de um Safety-Car?

Com um companheiro desse, quem pode ser campeão?

Só infortúnio!

Ah, sem falar nos amigos...

Quem pode contar com eles?

Mark Webber poderia ser mais disposto a cizânia.

Semear a discórdia.

Tumultuar mais o ambiente da Red Bull.

Quem sabe deixar o carro vermelho ultrapassá-lo no início das retas e não
no final delas.

Como atrapalha ter tanta má-sorte!

E tudo ao mesmo tempo.

Quem pode suportar isso?

É necessário citar essa geração aguerrida que teima com a Fórmula 1.

De que adianta essa concentração de pilotos talentosos?

Como se não houvesse outras categorias como a Indy, o Endurance...

Só serve para causar tropeço.

E preciso dizer algo sobre Sebastian Vettel?

Esses meninos que nascem com um joystick nas mãos deveriam ser proibidos
de correr.

A Fórmula 1 não é um joguinho.

Esse carro projetado pelo Adrian Newey conseguiria andar sozinho.

Qualquer um consegue vencer com ele.

Quem é Vettel, esse menino, perto da grandiosidade de Alonso?

Essa sorte...

Chega a dar uma certa nostalgia.

Saudade do tempo em que Flavio Briatore ficava no rádio incentivando o
espanhol.

Ali sim estava um chefe de equipe de verdade.

Um criador de destinos.

Que ao sacrificar suas peças fazia a vitória parecer uma obra da sorte.

Pura arte.

Incompreendida.

Uma pena terem sido descobertos.

Tudo poderia ser diferente hoje na categoria.

Fernando Alonso está certo.

É muito azar!

18 comentários:

Al Unser Jr. disse...

Don RECLamonso de las Asturias!

Ficou imaginando um time com e ele e o 1b como seria... pura reclamação e desculpas!

Marcos Alvarenga disse...

Excelente, Corradi.

Ninguém questiona o telento de Alonso, mas isso não deve ser motivo pra ele pensar que o mundo tem de trabalhar pra ele.

Marques disse...

Hahaha excelente Corradi.

juniorcaixote disse...

Excelente, Corradi. Por textos como esse que o seu blog passou a ser leitura obrigatória diária.

Don Choronso é um zé ruela de primeira categoria!

Grande abraço!

Anônimo disse...

Perfeito Corradi, o cara é um mala sem alça, talentosíssimo, mas um mala!

Edinho Afanaci

Rafael disse...

Nossa, mas quanto incômodo o Alonso causa em algumas pessoas...

O Vettel vence, ganha título e ainda assim o Alonso continua sendo considerado o melhor piloto (principalmente pelos especialistas).
Isso gera um desconforto, uma verdadeira pedra no sapato de algumas pessoas.

Anônimo disse...

Fernando Alonso é cria de Flavio "BIRRAtore"...

Gosta de um teatrinho, de um melodrama, de se fazer de coitadinho... se usasse mais o talento de piloto - que ele tem de sobra! - e menos o de ator - que ele não tem! -, seria um sujeito mais "tragável"... e quem sabe, teria até mais conquistas na carreira... aliás, seu último campeonato foi em... 2006!!!

Outro que segue a linha de "interpretação" de Don Choronso, é o também cria de "BriATORE", Mark Webber... esse não tem muito talento, nem de pilotagem, nem de atuação... mas é tão intragável quanto...


um abraço,
Renato Breder

Jaime Boueri disse...

Bom leitura da corrida Corradi. Achei um puco imparcial, mas ainda assim, muito boa.

Interessante foi notar que, ao começar a ler seu texto, achei s tratar de mais um daqueles que podem ser lidos de trás pra frente, o que mudaria a "parcialidade" dele nesse trecho aí embaixo:

"A Fórmula 1 não é um joguinho.

Esse carro projetado pelo Adrian Newey conseguiria andar sozinho.

Qualquer um consegue vencer com ele.

Quem é Vettel, esse menino, perto da grandiosidade de Alonso?

Essa sorte... "

Tenta ler ao contrário! Aliás, acho fantástico como você faz isso. Nunca vi ninguém fazer igual. Ainda mais sobre a F1...

Forte abraço!

Secastro disse...

Excelente texto Corradi.

Francisco Libânio Pullig disse...

Só discordo do que falou do Vettel. Ninguém é tricampeão impunemente. O carro é bom? Sim, mas Webber não anda junto com seu colega. O fator piloto ajuda demais, a RedBull.

Anônimo disse...

É o típico talento que seria excelente calado.

WAR disse...

Bravo!!! Texto destacado. Parabens!

Carlos Del Valle / Podcast F1 Brasil disse...

Excelente Corradi, belo texto. Aliás, falei bastante de vc no programa do Bahrein, por causa de seu texto sobre Fangio 1957 (tem uns palavrões mas ficou legal). Abraço

Rafael Vieira disse...

O que me irrita de verdade sou eu mesmo e minha incessante esperança em Felipe Massa. O cara muda estratégia, a imprensa mundial fica de olho no cara, pois imaginam que ele vai a corrida dos sonhos, assim dando um novo rumo as estratégias das corridas, mas na hora do vamos ver, o que acontece? O paspalho não sabe encarar as adversidades, fura pneus e joga uma das maiores chances no lixo, ou seja, ex-piloto em atividade.

abs

TW disse...

Haja azar hein Alonso!! :D

Diego Guidi disse...

Corradi, certa vez você escreveu sobre Nigel Mansell...:

"Mansell tinha suas dificuldades. Precisava ser protegido. Acolhido. E apenas Frank Williams percebeu isso."

O mesmo se aplicaria a Alonso...?

Humberto Corradi disse...

Francisco Libânio Pullig

Foi parte da ironia do texto.

Valeu

Humberto Corradi disse...

Diego Guidi

Acho que o espanhol já tem toda a atenção possível.

Valeu