terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Rascunho Zugzwang
























Muito legal a foto publicada pela Ferrari.

Bahrein. 2009.

Novidades?

A confirmação da parceria da Petrobras com a Williams.

Importante.

Claire Williams veio ao Brasil para participar da coletiva na qual ocorreu o anúncio.

A empresa nacional se comprometeu a desenvolver um combustível para o time de
Grove para ser utilizado já em 2015.

Apesar da Mercedes recomendar o líquido da Petronas para suas unidades.

E daí?

O importante é que está rolando muita grana.

De todo lado.

Martini, Banco do Brasil, Petrobras e o acordo com a PDVSA (indenização).

2014 sorri para Frank.

Quem também deverá sair da pindaíba é a Sauber.

Sair mesmo!

O dinheiro russo nunca esteve tão perto das mãos de Monisha.

Não sei se a coisa foi friamente planejada ou se as oportunidades foram apenas
sendo aproveitadas.

Vem comigo.

No início houve a parceria com o Chelsea.
























O clube de Roman Abramovich aproximou a Fórmula 1 ainda mais de Vladimir
Putin, seu amigo pessoal.

Com a simpatia do dono da Russia, a escuderia suíça formalizou parceria com
poderosas empresas estatais daquele país no ano passado.

O Instituto Nacional de tecnologia da Aviação, o Fundo Nacional de Desenvolvimento
do Noroeste da Federação Russa e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Corporativo.

Importante notar que nenhuma dessas instituições desembolsou um centavo no acordo.

Mas então vem a jogada digna do mestre Alexander Alekhine.

Se você não está familiarizado com o nome do homem que fez o cavalo dançar sobre
o tabuleiro, provavelmente não joga Xadrez.

Sua inusitada jogada obriga o adversário a produzir uma abertura em suas linhas de
defesa.

A Sauber com sua aproximação estratégica atraiu peças poderosas do jogo Russo e
agora parte para explorar sua posição favorável.

"Como o seu dinheiro não dá pra você e o meu não dá pra mim, nós vamos tomar dos
outros."

Funciona assim por lá também.

Sua novas poderosas aliadas convidaram seus fornecedores a contribuir para a caixinha
cinza e financiar o time suíço.

Algo em torno de 50 milhões de Euros anuais.

A liberação da grana depende apenas de Putin e é esperada para breve, assim que o tempo
esquentar por lá.

Daqui uns meses.

A Russia mergulhando na Fórmula 1 com circuito, dinheiro e a alma.

Por que o Putin gosta?

Pode ser.

Pelo menos já testou e aprovou.






8 comentários:

Renato Santos disse...

Corradi, graças aos seus rascunhos, posso dizer que nunca tive uma intertemporada como essa, parece que há mais notícias no recesso do que quando as corridas estão acontecendo. Muito obrigado por sua generosidade em nos manter informados, tebho certeza que muitos aqui concordam comigo. Não há, para mim, outro site que tenha essa quantidade e profundidade no trato com as notícias.

Renato Santos disse...

Escuta, e a lei no congresso russo que bloqueia o uso de dinheiro público em eventos esportivos?

Humberto Corradi disse...

Renato Santos

A gente só comenta umas coisas que estão acontecendo e aproveita pra aprender um pouco também!

Valeu

RenatoS. disse...

Caramba...este é o Putin, de capacete e tudo na foto? Bacana!!

Ron Groo disse...

Não é bem porque o Puttin gosta, mas porque o Puttin lucra.

Renato Santos disse...

Sim, o karateca Puthin deu umas aceleradas num teste privado.

Marcos Alvarenga disse...

Sei que o Corradi não acha provável, mas deu vontade de ver a Williams renascer nessas próximas temporadas, depois de 17 anos sem título.

E quem sabe não renasce junto o Massa, como ocorreu com Button em 2009?

José Wilson Carvalho de Mesquita disse...

Ali do lado é a mãe do Petrov???