quinta-feira, 1 de maio de 2014

A Grana de Senna
























Já fiz um pensamento sobre Ayrton Senna.

Sobre porque ele foi o maior de todos os pilotos.

Seu legado

Clique aqui.

Pois é.

E quanto ele faturou na Fórmula 1?

Você sabe?

O Blog conta.

Pra facilitar, os valores foram atualizados, OK?

Vamos lá.

Após testar por diversas equipes, Senna entrou na Fórmula 1 pela Toleman
em 1984.

O brasileiro em seu ano de estreia tinha o salário anual de 57 mil dólares.

Na temporada seguinte a coisa mudou.

Já tendo seu talento reconhecido, Ayrton acertou com a Lotus e passou a
ganhar 1 milhão de dólares.

O valor foi fixado para os primeiros dois anos de contrato.

Em 1987, sua última temporada com os caras, a Lotus quadruplicou o valor
de seus vencimentos.

Senna então recebeu 4 milhões de dólares.

Pra comparar, Nigel Mansell recebeu na mesma temporada apenas 500 mil
dólares defendendo a Williams.

A partir de 1988 Senna inicia seu casamento com a McLaren.

Nas primeiras três temporadas a escuderia de Woking pagou 16 milhões de
dólares anuais para contar com os serviços do brasileiro.

A partir daí houve aumentos.

Senna recebeu 17 milhões de dólares em 1991, 20 milhões de dólares em
1992 e 27 milhões de dólares em 1993, seu último ano sob a batuta de Ron
Dennis.

Procurando novamente o caminho das vitórias, o piloto fez o movimento em
direção à Williams.

Onde disse certa vez que correria até de graça...

Não foi bem assim, claro.

Mas houve uma sensível redução em seus vencimentos.

Frank Williams fechou um acordo de 12 milhões com o tricampeão para
1994.

O último da carreira do brasileiro.

Somando tudo podemos ver que Ayrton Senna, apenas com os salários,
faturou cerca de 130 milhões de dólares.

Foi pouco.

Ainda mais se constatarmos que a categoria máxima do automobilismo ganhou muito
mais com ele.

Em todos os aspectos.


4 comentários:

Cacto F1 disse...

20 Anos : Ayrton Senna
Tido por muitos como o melhor piloto que a F1 já teve. Por outros não ! Senna desperta nos fãs da F1 essa dúvida : quem foi o melhor piloto da história da F1 ? A figura de Senna é marcante, pois ele foi um divisor de época na categoria. Antes dele a F1 era de um jeito, depois dele de outro. Senna mostrou um lado que a F1 ainda não conhecia. Não havia mais espaço para o automobilismo romântico dos garagistas e gentlemans. A F1 não era mais diversão de quem gostava de pilotar só por prazer ou aventura. Senna percebeu por si mesmo, que o piloto precisava ser um atleta, para conseguir se sobressair perante seus adversários, numa competição tão desgastante fisicamente. Percebeu também que o preparo físico somente não seria suficiente. Precisava do preparo mental, para vencer mesmo não estando dentro do carro. A pressão emocional da F1 não permite a sobrevivência dos fracos. Em sua época, os pilotos eram grandalhões preguiçosos que não gostavam de treinar ou passar as noites discutindo melhorias com os engenheiros e mecânicos. O negócio deles era sentar no carro e mandar a bota ! Com o tempo a F1 foi percebendo que Senna se destacava com sua resistência física e capacidade mental de manter a corrida sob controle . Aliado a tudo isto, ele tinha talento. Essa foi a fórmula do sucesso de Senna nas pistas . Fora delas, foi esperto suficiente para ter boa relação com a imprensa, trabalhar sua imagem pessoal de determinação e perfeccionismo, atraindo fãs e patrocínios com inúmeras campanhas publicitárias . Acabou se tornando uma espécie de super-herói não só no Brasil, mas ao redor do mundo. Tanto que é muito comum ouvirmos pessoas dizerem que só assistiam as corridas de F1 por causa dele e que deixaram de acompanhar a F1 após sua morte. Muitos fãs da F1 não gostam desta figura quase religiosa que foi construída pela mídia em torno de Senna. Santo ele não era. Tinha como objetivo maior vencer as corridas, não se contentando com o segundo lugar. Ao longo da carreira chegou a mostrar seu desagrado publicamente em relação aos que tentavam atrapalhar seus planos. Sem dúvida, a F1 era muito melhor na época dele, quando as disputas se travavam entre os grandes , quando ainda o piloto fazia a diferença no braço e não como os carros–games de hoje, onde os garotos mostram seus talentos apertando vários botões e sendo monitorados automaticamente dos boxes, como um grande vídeo game interativo . Para quem não viveu esta época, basta lembrar a emblemática foto do quarteto fantástico em 1986 : Senna (Lotus), Prost (Mclaren), Mansell (Williams), Piquet (Williams).
Abraço, Cacto (cactof1@blogspot.com.br)

Anônimo disse...

Pulou a parte mais interessante, na Lotus Senna recebia 4 milhões, mas pra correr na melhor equipe da época, a Mclaren, o brasileiro teve que aceitar uma brusca redução de salário imposta por Ron Dennis(é o preço por pegar um carro pronto pra ser campeão). Senna receberia apenas 1 milhão de dólares na temporada 88. O brasileiro queria 500 mil a mais, depois de muita discussão Ron Dennis disparou que a decisão seria na base da "moedinha", na sorte, Ron Dennis levou a melhor.

Maurício Gugelmin foi testemunha, o contrato de Senna foi feito em sua casa, Gugelmin era amigo de Ayrton, existe um vídeo no tube de Gulgelmin contando a aposta da moedinha.

Para se ter uma ideia, Piquet fechava com a Lotus em 88 por 10 milhões de dólares, uma fábula na época. Portanto, número de títulos fazem uma baita diferença, pelo menos no bolso, e ninguém gosta de ganhar menos do que vale. Interessante como grandes pilotos dos anos 80 eram pouco valorizados, Piquet também passou por isso na Brabham e Willimas, só foi saber o que era salário astronômico na Lotus. Mansell levou o título em 92(com carro pronto de Newey), e quando foi pedir aumento de salário, levou um pé na bunda de Frank Williams, nem mesmo a nacionalidade salvou Mansell. Acredito que Prost foi o melhor piloto remunerado na época. Desesperado por não conseguir melhorar o carro Mclaren, Senna novamente se transfere para melhor equipe da época, dessa vez a Williams, e novamente tem que aceitar uma drástica redução de salário. É o preço de pegar outro carro pronto pra ser campeão! Bom lembrar, aquela Williams que Senna chamou de porcaria na pré-temporada não era a mesma que estreou no GP Brasil, e durante a temporada o carro melhorou muito, tanto que o novato D.Hill conseguiu em 94:

06 - Vitórias
02 - Poles
06 - M. Voltas
10 - Pódios

Curioso, no GP Brasil Hill chegaria em terceiro, mas com o abandono de Senna chegou em segundo, depois da morte do brasileiro, Hill foi efetivado líder da equipe, em Mônaco sofreu uma colisão na largada, mas depois emplacou vários grandes resultados. Ainda disputou o título até a última prova, nada mal para um novato com apenas 34 corridas(o carro da Williams estava longe de ser esse lixo que Senna sempre disse). E pensar que Rubinho não chegou nem perto de Hill com aquela Brawn-GP em 2009.

02 - Vitórias
01 - Poles
02 - M. Voltas
06 - Pódios

Hill não era um novato fora de série como Schumacher, mas também nunca foi esse piloto ruim que todos dizem, quem realmente ficou devendo foi Barrichello com um carro superior em 09, na primeira parte da temporada só levou surra, e pior, de Button que tinha apenas uma vitória até 2008. Senna reclamou muito do apertado do cockpit da Williams, e aí não tem jeito, desconfortável, não tem como tirar tudo do carro. Nem com carro de rua a gente consegue dirigir com desconforto no banco, imagina pilotar um F-1. Outro detalhe, em 94, Hill nunca reclamou do carro da Williams...

Marcelo

caciano oliver disse...

Frank Williams seu mão-de-vaca kkkkkk

caciano oliver disse...

Frank Williams pão duro kkkkkk,aí o piloto escolhia...ou sou campeão ou viro milionário 😅