quarta-feira, 1 de julho de 2015

Rascunho dos Passes





















Linhas agressivas!

Tem algo acontecendo?

O Banco Santander avalia sua posição dentro da Fórmula 1.

Parece que a instituição espanhola não deverá renovar seu contrato com a Ferrari.

Lembrando que o acordo se encerra daqui duas temporadas.

Uma ideia.

A Red Bull poderá estender seu acordo com a Renault através da Toro Rosso
liberando assim o time principal para escolher uma nova unidade de força para
seus bólidos.

Interessante essa história da Williams pedir uma compensação para liberar Valtteri
Bottas para a Ferrari.

(Esqueçam Hulkenberg, por favor. O vencedor de Le Mans está fora deste jogo)

Não é primeira vez que isso acontece na categoria máxima do automobilismo.

Alguns casos.

No início deste século, Ron Dennis chegou com um caminhão de dinheiro para
mover Kimi Raikkonen da Sauber para a McLaren.

A mesma McLaren, anos antes, sondou a saída de Barrichello da Jordan.

Eddie (colocou a cláusula no contrato) queria 5 milhões de dólares (valores da época)
para deixar o brasileiro livre.

A Honda também teve que abrir os bolsos para ter Jenson Button, na época piloto da
Williams.

As histórias de transferências e negociações de pilotos envolvendo dinheiro entre equipes
vão longe com Ralf, Montoya, Fisichella, Heidfeld, Frentzen (para substituir Senna!)...

Não sei se a Scuderia Italiana precisará pagar muito alto para ter Bottas ao lado de Vettel.

Pois os vermelhos contam com o importante apoio de Toto Wolff, que cuida da carreira
do companheiro de Felipe Massa, e ainda por cima possui um pedaço do time de Grove.

Vamos aguardar!
















10 comentários:

vinicius disse...

o que a minardi tinha de ruim na pista, tinha de bonita, eu acho um carro lindo, esse preto com branco deles era mto bonito de ver na TV

Marques disse...

Mas se Bottas for mesmo, Hulkenberg não pode pintar na Williams?

Renato Santos disse...

E o que o Vettel acha disso tudo? Grato pelo rascunho, Corradi.

Marcos José disse...

Algo me diz que talvez estão "usando e iludindo" o Bottas para fazer "pressão" para que algum "piloto" assine o contrato antes com a Scuderia (e quem seria este "piloto"? para despistar a Ferrari estaria usando a especulação sobre o Bottas apenas para não revelar quem seria o verdadeiro substitudo do Raikkonen na Ferrari antes da divulgação oficial!). Não ficarei surpreso se a Renault vier abandonar a F1 no final de 2015 para entrar de cabeça na aventura da F-E (e o tiro sai pela culatra logo depois)! Seria a "possível entrada" do GP do Catar (já que o fundo de investimentos do país comprará a maioria das ações da categoria porque não mais um GP "dos donos" pra 2016?) uma deixa de que o GP do Bahrain (que receberia uma "indenização" e assim agradaria os que não queiram a sua realização por ser um "país com um regime ditatorial" no calendário) não estará pra 2017?

Anônimo disse...

Falando da Minardi, acho o carro de 1991 um dos mais bonitos da F1.

Eduardo Casola Filho disse...

Pergunta de 1 milhão de dólares:

Se a negociação com o Bottas não der certo, no fim das contas, quem seria o companheiro de Vettel? Ricciardo? Ficariam com o Kimi mesmo? Surgiria ouro nome no horizonte, já que as chances do Hulk são nulas?

Ou o destino será mesmo uma troca nórdica?

Humberto Corradi disse...

Marques

Pode.

Valeu

Humberto Corradi disse...

Renato Santos

Vettel? Indiferente, pois a equipe é dele.

Valeu

Humberto Corradi disse...

Eduardo Casola Filho

A pergunta de 1 milhão de dólares é: "Kimi vai reagir?"
Bottas virá se a Ferrari quiser.

Valeu

Taubenfeld disse...

Off Topic. Quanto a Honda, não havia dito ao blog que até Silverstone seus motores seriam melhores que os Renault? A Honda disse que não usada fichas na pista inglesa. Alguma novidade?