sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Rascunho de Observação









































Testar não ofende.

É a hora de experimentar e descobrir o que funciona.

Claro.

Sem mostrar todas as suas armas para os inimigos.

Ou suas fraquezas.

O Tordo me ajudou a interpretar os primeiros ensaios.

A Mercedes executou maratonas com sua espaçonave.

Foram quatro dias girando sem parar sobre os pneus médios.

Os alemães dispensaram os outros compostos da Pirelli.

Carro estável e confiável.

O novo bico de tubarão?

O aditivo, ao contrário do que se pensava, tornou a flecha "menos" perfeita
aos olhos aguçados do pequeno pássaro italiano.

"Faltam alguns ajustes, mas deve funcionar."

Perfeita?

"Nem tanto assim."

Esclarece.

"A máquina da Mercedes dá a impressão de gostar de comer a borracha."

No quesito stint mais longo, perdeu para a Renault de Kevin Magnussen que
conseguiu atingir 30 voltas com o mesmo composto médio sem parar.

Já a Ferrari parece tratar com mais carinho os pneus.

Vettel conseguiu a marca de 7 voltas com o violeta ultra macio.

"E a vermelha não estava tão leve."

Revela o Tordo a respeito da quantidade de combustível.

"Nem o motor no modo classificação."

O bólido da Scuderia Italiana está lotado de novidades.

Por isso é normal que haja variação nos testes, ao contrário da Mercedes.

E fragilidades, apesar de ser muito rápido.

Transforma as curvas em retas.

Tanto que em condições semelhantes, Seb e Nico fizeram tempos muito parecidos.

As unidades de força das duas maiores equipes se equivalem em potência.

Entretanto a Mercedes ainda permanece com a vantagem.

Pois já aprendemos que a continuidade é tudo na Fórmula 1.

O resto?

Renault e McLaren decepcionaram.

E a Haas foi uma surpresa positiva.

"Impressões."

Que venham novas revelações na próxima semana!


8 comentários:

S.A.C disse...

Corradi, impressão minha ou você acredita que a Ferrari diminuiu a diferença gastando mais pneus ainda?

Humberto Corradi disse...

S.A.C

Foi isso que vc entendeu?

Anônimo disse...

Ultra macio com bom rendimento 7 voltas, para que serve um pneu assim? Cinco voltas de média, box box box.
Marcelo

Marcos José disse...

Vou aguardar terminar a segunda sessão de treinos (1 à 4 de Março) da pré-temporada para dar a minha opinião sobre isto!!

Luiz Eliezer disse...

Sempre espero ansioso novos artigos deste blog (the best)!

S.A.C disse...

Ratificando

Se aproximando em velocidade e gastando menos pneus

Renato Santos disse...

Vai ser o ano do Nackenatem! ou respiro sulla nuca!

Jeferson Araujo Pereira disse...

Em quatro dias a McLaren andou 1196 km.´

A Haas (é preciso frisar: estreante, debutante) rodou mais: 1308 km.

Sendo mais claro: a Haas andou 112 km a mais do que a McLaren.

A pergunta que não quer calar: Alonso ainda estará na equipe no final de 2016?

Ou ele vai pra casa no meio do ano?