quarta-feira, 1 de março de 2017

Testes Barcelona (2)
























Barcelona.

O segundo dia continuou sendo produtivo para Mercedes e Ferrari.

Nesse momento o importante é andar o máximo possível.

Raikkonen comandou os treinos com o melhor tempo.

Vale notar que estava com o pneu macio, enquanto que Hamilton foi
o segundo no cronômetro com supermacio.

Ainda estranho os experimentos aerodinâmicos da estrela de prata.

Ontem Lance Stroll conduziu a Williams pela primeira vez de forma
oficial.

Foram doze voltas.

Uma saída de pista e a falta de peças encerrou seu ensaio.

Calma nos ataques.

Outro dia Romain Grosjean era chamado de idiota por muitos.

Sinto uma má vontade também por causa da riqueza do pai de Stroll.

Vale um post.

(em breve)

Kevin Magnussen (bom piloto) fez um ótimo trabalho pela Haas.

A limpa Red Bull segue discreta.

Adrian Newey construiu um bólido liso em comparação com a Mercedes.

Chama atenção.

Mais.

A turma do energético suspeita que os alemães utilizam uma mistura
proibida de combustível.

Será?

A Force India não rodou tanto até aqui, mas no pouco que apareceu
mostrou ser rápida.

A Renault sofreu com a espera.

Precisou ter paciência para aguardar a chegada de peças de sua fábrica.

Bob Bell trabalha duro para criar uma integração entre os setores que
constroem a máquina dos franceses.

A McLaren ainda está assustando seus amantes.

Ontem houve uma cena simbólica.

Mais de duas dezenas de membros da equipe em volta do carro parado.

Só problemas.

Entre as testemunhas podíamos ver Alonso, Vandoorne e Hakkinen.

Existe um velho ditado.

"Reunião de pastores, ovelha morta."

Duas coisas para terminar.

Não é mil vezes melhor que os outros, ok?

E, sim, os carros estão mais belos


7 comentários:

Jeferson Araujo Pereira disse...

Concordo com tudo que você escreveu sobre Stroll (pai e filho).

Se a Ferrari repetir nas corridas o mesmo desempenho dos testes, o tédio de ver a Mercedes ganhar tudo irá acabar.Estou torcendo para ver Ferrari e Mercedes batendo roda com roda já na primeira curva da Austrália

McLaren: fica a impressão de que a Honda começou a fabricar motores há apenas 3 anos.É vergonhoso!Se a coisa toda for nesse pique durante as corridas, deve ter uma cláusula de desempenho (da equipe) no contrato do Alonso.Eu acho que ele não tem mais idade- e saco - para aguentar tanta mediocridade.No pique atual, Alonso fica na equipe até o fim do ano?

Jeferson Araujo Pereira disse...

Desapega, Rosberg, desapega!

Logo após o anúncio da aposentadoria, notei que de dois em dois dias Rosberg dava uma declaração sobre a F1.Hoje ele apareceu nos boxes da Mercedes.A impressão que fica é que o cara vai se transformar em arroz de festa: veremos sua cara em praticamente todas as corridas do ano.Pra quem estava tão entediado com a F1 e doido para ficar o tempo todo com a família...

Marques disse...

Vejo que o tom do blog continuará o mesmo, só que esse ano não tem Rosberg pra amar. Deve voltar pra Vettel. haha.

Porém concordo com o que diz sobre o Stroll, achei a reação exageradíssima, principalmente o texto do Grande Prêmio (que imagino a que esteja se referindo). Bottas rodou no mesmo local e ainda bateu no muro. Ninguém falou nada.
Ferrari parece realmente rápida, o que é ótimo, porém eles fizeram isso ano passado também. Mas esse ano está parecendo que estão melhores. Mas o mais impressionante é a Mercedes estar fazendo simulações de corrida já. E ainda temos James Allison chegando. Red Bull discreta por enquanto. Vi uma entrevista do Newey na Sky em que ele diz que o carro é mais limpo para ter menos arrasto e compensar o fato do motor ser mais fraco que os outros. Mas acho que em Melbourne esse carro vai estar diferente.
Os carros estão lindos na pista e o campeonato promete.
E por último, vi uma entrevista com o Ross Brawn na Sky Sports, uma pena não terem trazido esse cara antes, a chegada dele parece ser o maior acerto da Liberty.

Marcus Lima disse...

Adoro o blog. Só realmente não concordo muito em relação ao Stroll. Entendo que ele está começando: mas acho que pior que bater, é ter uma postura de " ah, bati, e dai". Batidas custam grana, o chassi todo remendado, será que será uma boa referência de desenvolvimento? Enfim. Só hoje ele bateu mais duas vezes. Eu entendi a do GP: o problema não é bater, é a postura do carinha. Arrisco dizer agora, em janeiro: se for nesse ritmo, esses 30 milhões de euros vão sair caro. Sei não, mas para mim o garoto é crú demais.
Aliás, desafio aos leitores aqui: vocês se lembram qual o último piloto que bateu tantas vezes em pré temporada assim?

David Félix Krapp disse...

Ferrari está realmente mais próxima da Mercedes... acho que a Williams vem bem... Haas parece que também, assim como Force India... Red Bull tá bem atrás... McLaren... que tristeza... apesar do visual ter melhorado... faço uma pergunta pro Corradi, os problemas da Honda não seriam por que eles abandonaram o projeto original do motor por um outro mais similar ao da Mercedes ? Ouvi ou li a respeito disso em algum lugar que eles seguiriam essa direção nessa ano...

Só um detalhe para aqueles que defenderam Stroll... ele novamente andou mal e bateu de novo hoje... parece que a grana do papi será gasta em peças durante o ano... muuuuitas peças...

Anônimo disse...

Para facilitar aos seguidores e ao próprio Corradi que pedem um pouco de paciência com o espinhento, enjoado, "não tô nem aí" do Stroll.
Ele vai ser o Andrea de Cesaris do século XXI, primeiro na Williams e, depois que a turma de Groove se encher dele e mandá-lo passear, porque afinal de contas mesmo nadando em $$$$ chega uma hora em que não dá mais, em qualquer outra equipe mequetrefe estilo Sauber, que precise desesperadamente do dinheiro do papi Stroll. . .
Zé Maria

Anônimo disse...

Pode ser falta de costume, mas por enquanto não gostei dos carros não...além da "barbatana", não gostei da asa traseira inclinada e curva e achei o carro muito grande...enfim...acho que só eu não gostei