quinta-feira, 1 de junho de 2017

Pátrias


























Olha que legal!

Um Infográfico que mostra a representação de cada país no Mundial 
de Pilotos da Fórmula 1 ao longo dos anos.

Lembrando que só estão sendo considerados pilotos que não largaram apesar
de inscritos e as participações em provas extras.

Vale notar umas coisas.

Que a temporada de 1974 foi a mais internacional.

Que os britânicos nunca se ausentaram.

Que a Espanha iniciou sua assiduidade após 1999 com as estreias de
Pedro de la Rosa e Marc Gené.

Que a Finlândia desde 1989 não larga o osso.

Que Mark Webber trouxe a Austrália de volta.

Que depois da Guerra das Malvinas a Argentina foi esquecida.

Que Marcus Ericsson, Stoffel Vandoorne e Sergio Perez estão resgatando
tradições.

Que a Holanda é teimosa!

Que após uns soluços na década de 50 com Fritz D'Orey, Chico Landi
e Hermano da Silva Ramos, a partir da década de setenta a presença
brasileira foi constante.

Por fim.

Que eu nunca havia contado e fiquei surpreso ao ver que, ao todo, foram
53 anos nos quais pilotos do Brasil colocaram seus nomes na história
da categoria máxima do automobilismo.

(para mais detalhes clique na imagem para ampliar)

5 comentários:

André Gustavo disse...

Creio que o número 53 se refira aos anos em que tinha algum brasileiro na F1, não a pilotos

Humberto Corradi disse...

André Gustavo

Você está correto!

Valeu

Danilo Silva disse...

A participação americana é invertida à nossa; muito presente do início até o fim dos anos 80 e sumiram... só soluços...

E a japonesada, apesar dos motores estarem presentes constantemente, demorou pra começar... tomara que o Nobuharu Matsushita devolva o país à categoria ano que vem.

Tuta Santos disse...

Que esse cérebro capixaba funciona muito bem.

Anônimo disse...

Seria interessante separar os britânicos por países.
Alexandre