terça-feira, 31 de outubro de 2017

México - 2017

























Tudo conspirou para a vitória de Max Verstappen no México.

Sua largada espetacular corrigiu o erro cometido no qualifying.

Olhando o que seria a volta ideal, o holandês deveria ter ficado com a pole.

Errou.

Lewis Hamilton não fez seu melhor também, entretanto a Mercedes não era
páreo na briga pela primeira fila.

Sebastian Vettel foi perfeito e tirou tudo de sua Ferrari.

Disse desde o início da temporada que os intrépidos fariam a diferença.

Max não precisa ter cuidado.

Parte para cima de Hamilton e Vettel com muito menos a perder.

Cruzar a primeira volta em primeiro foi tudo.

Explico.

A configuração adotada pela Renault em suas unidades de força na altitude
da capital mexicana foi muito agressiva.

Isso causou um problema de temperatura.

Assim os pilotos que precisaram lidar com o tráfego não conseguiram resfriar
de forma adequada seus motores franceses.

Testemunhamos por isso um festival de problemas para aqueles empurrados
pela Renault.

Menos Verstappen.

De cara pro vento, conseguiu manter seu bólido competitivo.

Vencendo com larga vantagem.

A Mercedes já levantou a suspeita para que a FIA fique de olho no time dos
energéticos.

Os alemães acham que a suspensão usada por Ricciardo e Verstappen após
Hungaroring possa estar ferindo as regras.

Entenda.

Feliz 2018!

De qualquer maneira a mão de Adrian Newey se faz presente.

O novo chassi mais alongado (Hungria) e a atualização da mensuração dos
dados de simulação obtidos na fábrica que não estavam casando com o
que acontecia na pista fizeram o RB13 se entender com os pneus.

A diferença para a Mercedes (benchmark) caiu sensivelmente.

Mesmo assim, em uma situação ideal, o motor das Flechas de Prata ainda
está 3 décimos mais rápido que o Renault no modo corrida.

Voltando para a prova.

O encontro com Vettel fez Hamilton perder muito tempo.

Seu retorno para o box foi lento.

O difusor danificado, que livra o carro da turbulência causada pelos pneus,
custou décimos preciosos por volta no restante da corrida do inglês.

Vettel, calçado com ultrasofts, foi até onde deu.

Depois de tanto esforço ("Mamma mia!") se deparou com mais de vinte
segundos entre ele e Kimi Raikkonen.

A dupla finlandesa Valtteri Bottas e Raikkonen permaneceu toda a prova
sem possibilidade de atacar Max.

O resto?

Esteban Ocon brilhou na casa de seu companheiro.

Lance Stroll trouxe pontos preciosos para a Williams.

E o subestimado Kevin Magnussen estava num excelente dia.

Hamilton e Alonso completaram os que pontuaram.

Foi interessante ver o espanhol dificultando para Vettel e Lewis.

Diferente das vezes anteriores.

Sergio Perez ainda lidera a segunda divisão, assim como a Force India.

(continuidade é o segredo o time rosa...)

Stroll passou Felipe Massa.

Repare na diferença nas últimas sete corridas.

De Spa-Francorchamps para cá, os meninos de Frank Williams fizeram
35 pontos para a equipe de Grove.

Abrindo boa vantagem para os patinadores Toro Rosso (14), Haas (18)
e Renault (22) na briga da Terra Média.

Por fim.

Os números.








18 comentários:

Társio disse...

O Corradi e esse blog são fodas! Não li em NENHUM lugar sobre a questão da temperatura dos motores Renault no Mexico. Mas faz todo sentido o VER nao ter tido falha pois estava de cara para o vento, enquanto os outros superaqueceram.

Abç
Tarsio

Pedro Teixeira disse...

Williams: o Davi derrotou o Davi

Marques disse...

Vettel na largada ou foi sacana, ou foi barbeiro.
Mas não importou muito, o melhor foi campeão.

S.A.C disse...

Muito poucas palavras sobre o título de Lewis Hamilton, logo você que falou tanto anteriormente sobre uma hipotética disputa entre eles, se Vettel fosse o vencedor certamente você escreveria um lindo textão sobre Vettel, sua vitória, sua perícia, sua recompensa, "el mas grande de todos", mas como deu lewis é melhor expor poucas palavras, não é? Mas tudo bem, a maioria já sabia, Lewis Hamilton é melhor que Sebastian Vettel

Vinicius Fluminense disse...

No início achei que ele tinha feito de propósito. Mas depois vendo com calma, deu pra perceber que foi barbeiragem mesmo. O carro deu uma escapada. Percebe só no replay a maneira que ele briga com o volante.

Espero que o Hamilton tenha tempo para conseguir passar ou igualar o shummi.

Anônimo disse...

Corradi,

Com relação à temperatura do motor, como se explicar o fato de Bottas não ter rendido o suficiente para alcançar Max? Digo isso em cima do comentário de que os motores Mercedes ainda são cerca de 3 décimos mais rápidos em corrida.
Valeu, parabéns sempre!

Abraços
Glaucio

Társio disse...

Vinicius,

Mas veja como é uma questão de credibilidade, né? Após o episodio Multi 21 e "Road rage" em Baku este ano, muita gente mesmo pensou que o Vettel tinha feito de proposito, inclusive o próprio Hamilton...

Abç
Tarsio

Diogo Draeger disse...

Com todo respeito, mas o post é sobte a corrida... final do ano o corradi pode fazer um post sobre o titulo merecido do hamilton.. curta o blog... nao apenas critique o autor pq ele nao falou do seu piloto favorito.. otimo post corradi... como sempre o melhor blog de f1..

Thiago R disse...

Perfeito!

Passional e imparcial!

CHORA CORRADI O SONHO ACABOU!

Gabriel Pereira disse...

Corradi.
Após assistir o Breafing já estou declarando minha torcida para o Sebastian ano que vem.
O Hamilton não perde uma oportunidade de reclamar do Vettel pro Charlie Whiting.
Então aproveitando essa chatice do Inglês tamo junto pra 2018
Forza Ferrari
kkkkk

Humberto Corradi disse...

Gláucio

A Mercedes não estava tão eficiente como a Red Bull desde o qualifying.

O comentário sobre a vantagem se refere a condições ideais com as dias unidades rendendo o máximo.

Valeu

Bianco disse...

"Os idiotas não descansam e a mãe dos cretinos está sempre grávida!"

Sempre que eu vejo os comenu do Thiago R eu lembro disso.

Esse cara não vai crescer?

Thiago R disse...

Nao

Charles disse...

Corradi, só faltou você dizer que o Vettel deu de propósito com a asa no pneu traseiro do Lewis (a velha tática de o prejuízo maior é de quem leva o toque, com a asa danificada o "batedor" ainda pode continuar) só que não contava que a asa dele fosse para os ares. Outra coisa que esqueceu de mencionar: Não era para o Verstappen estar largando nas primeiras posições pois ele tinha que ter sido punido pelo bloqueio em Bottas na classificação, só não foi pela repercussão negativa da outra punição correta também que ele sofrem nos EUA, se larga mais atrás, muito dificilmente ele venceria a corrida. Mais uma coisa: agora que o sonho do título vermelho se foi de novo, é preciso ponderar: a Ferrari pagou caro por correr com um piloto só o campeonato todo: e não foi por incompetência ou incapacidade do Kimi em andar perto do Vettel, mas sim foi pelo motivo de a equipe limar - como fez sempre, exceto em 2007 e 2008 - o outro piloto, deixando claro que ele terá que sair da frente e portanto fazendo com que este perca a motivação, se os dois corressem soltos e com igualdade de condições - sem ordens de equipe escandalosas - poderia o Kimi ainda esta na disputa após os reveses de Vettel.

Marcos José disse...

Duas equipes mudando de dono ao final de 2020 (Force India e Toro Rosso) e a Red Bull sendo assumida pela Aston Martin (mas mantendo o patrocínio dos "taurinos" por mais 3 anos) em 2021!! Jeff Gordon foi visto de novo no paddock (na Mercedes)...tem uma história por aí de que uma outra equipe na Nascar (que é rival da Stewart-Haas) estaria de olho também neste novo regulamento da F1 para 2021 (agora que a Liberty Media assumiu a categoria)...estaria Gordon "conhecendo" o novo ambiente antes da ingressão desta (e suposta) nova equipe americana na F1??

Anônimo disse...

Williams esperta, hein! Botou o garoto pra duelar com o Massa pra lhe atribuir o status de jovem muito rápido e grande promessa! O problema é que ninguém mais se engana com o brasileiro.

Que papelão do Felipe Massa.

Fagner Oliveira

S.A.C disse...

Mas eu curto sim o blog, Diogo, bastante, sou fã de carteirinha aqui, só acho que Corradi atribui demais "poderes sobrenaturais" a Vettel, desmerecendo um pouco na comparação, Vettel é bom sim, digo até que é bom em todos os requisitos, com poucos pontos fracos, mas não o acho espetacular em nada, como Lewis é em velocidade natural, chuva e adaptar-se a carros nervosos, como Alonso é fazendo leitura na corrida, como Button é em condições climáticas variadas tomando a decisão certa de pneus e estratégias, como Ricciardo é na hora de ultrapassar, parece um "bailarino" fazendo suas acrobacias, como Max é veloz e duro de ser passado, não acho que Vettel tenha algo em si que tenha um "destaque", a não ser que ele realmente ame correr e ser mais detalhista que os outros, mais obsecado, determinado, como Corradi prefira, mas em termos de talento natural ele está atrás dos melhores

José Carlos Coutinho disse...

S.A.C

Achei este seu comentário bastante interessante.
Me fez lembrar uma coisa que raramente se fala por aqui, ou em qualquer outro blog sobre F1. Como pode o Felipe Massa ser tão bom em largadas (acho que neste fundamento ele é o melhor da F1) e ser tão abaixo da média em ultrapassagens? Além de outros atributos importantes pro resultado.

Vettel é sim muito bom em vários quesitos. Eu diria que ele é tão veloz quanto Hamilton e tão bom de ultrapassagem também (neste quesito Alonso e Ricciardo estão um degrau acima ao meu ver). O que o alemão deixa a desejar é o lado emotivo, administrar os impulsos e entender melhor o equipamento foi o que deu a Rosberg o título em 2016 sobre um obviamente superior Hamilton. Que este ano se mostrou tão mais racional que nem parecia ele mesmo!

Viva a evolução da espécie humana.