segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Pequenas Passagens



























O inglês Vic Elford defendendo a Porsche durante a Targa Florio de 1971.

Um modelo de superação.

Um sobrevivente.

Uma amostra de como o automobilismo não é feito para os fracos.

Ele mesmo conta.

Um exemplo das dificuldades que passou no princípio da carreira.

1967.

Circuito de Snetterton.

Elford a bordo do 911 enfrentava Graham Hill e seu Lotus Cortina.

Hill o perseguia.

Parecia que não queria ultrapassar.

Brincava.

Atormentava.

Esmagava os nervos de Elford a cada volta.

"Olhava no retrovisor e via o sorriso sarcástico dele.

Seu bigode enchia todo o espelho.

Era como se ele estivesse no banco de trás do meu carro."

Um lobo e um menino.

Quem poderia suportar aquela pressão?

Nem é preciso dizer que Hill conseguiu atingir seu objetivo.

Foi uma lição.

Ao final, Elford setenciou.

"Não sabia, mas a velha raposa me mostrou que eu ainda era um novato."


17 comentários:

Ricardo Reno disse...

Targa Florio é fantástica. Pelos pilotos, guard rails, guias e buracos. Pois aquele amassado na roda dianteira diz tudo sobre a dureza da prova e seus intrépidos pilotos.

Joel Marcos Cesetti disse...

A roda dianteira diz tudo sobre a batalha na pista.

Ron Groo disse...

Cara, que história deliciosa!
Adorei.

Ituano Voador disse...

Graham Hill, eis aí um piloto altamente subestimado. Bicampeão de F1, cinco vitórias em Mônaco (na época das 100 voltas), vencedor de Le Mans e da Indy 500... um dos maiores, sem dúvida alguma.

Anônimo disse...

Graham Hill.

O único a vencer, até hoje, Mônaco (cinco vezes como disse o Ituano Voador), Indianápolis e Le Mans, além de ser duas vezes campeão munidal.

Creio que não era fraco não.

Ruberval

Anônimo disse...

A foto de Vic Elford é bem legal...
A história é fantástica!
O relato bem sintético e dinâmico...
Mas, o mais legal é ver o sorriso do Graham Hill na foto ao chegar no final do texto do post...
Muito bem colocada a foto!

um abraço,
Renato Breder

LGD disse...

Sensacional o relato dele!

Anônimo disse...

Elfor/Larrousse/Porsche = sucesso

Jeferson Araujo Pereira disse...

Segundo o matemático Oswald de Souza, o ego de 99% dos pilotos é maior do que tudo que existe no Universo.Portanto, não é todo dia que lemos uma frase como essa:

"Não sabia, mas a velha raposa me mostrou que eu ainda era um novato."

Gustavo Siqueira disse...

Mais uma estória espetacular deste indispensável blog! Tenho muita vontade de conhecer mais sobre pilotos como Graham Hill, Tazio Nuvolari, Nelson Piquet (não encontro um livro sobre a carreira dele). Parabéns, Corradi!

Jeferson Araujo Pereira disse...

Ao leitor Gustavo Siqueira:

Salvo engano meu, só existe um livro em português sobre o Nelson Piquet.Título: Eu Me Lembro Muito Bem.É de 1999 e está fora de catálogo há muito tempo. Na Estante virtual estão vendendo um exemplar autografado, por um preço absurdo: R$315,00.O livro é uma coletânea de algumas crônicas que o Piquet escreveu no Estadão.Eu tenho o livro e numa escala zero/dez dou nota 5.O que eu queria mesmo é que algum jornalista do primeiro escalão escrevesse uma longa biografia sobre o Piquet. Aliás, eu também gostaria que alguém escrevesse a biografia do Rubinho e, mais pra frente, também a do Massa.

Rubens disse...

Gustavo Siqueira

Procure pelas biografais do autor Luiz Carlos Lima, ele fez uma do Piquet e do Carlos Pace. São sensacionais.

Daylson Elder disse...

Grande relato.Sensacional mesmo.
Graham Hill.Excelente piloto.Um mito também.Pena que seu filho Damon Hill não chegou nem aos pés do Pai.
O Graham Hill só perde pro Senna que bateu seu recorde e venceu 6 vezes nas ruas de Monte Carlo,em Mônaco.

Gustavo Siqueira disse...

Agradeço pela dica do leitor Jeferson Araujo Pereira. Creio que o Reginaldo Leme é bem habilitado e conhecedor de estórias do Piquet para compartilhar conosco. Agradeço também ao Rubens pelas biografias indicadas. Um abraço!

Jefferson disse...

Fantastica história.
Ja havia lido creio que por aqui mesmo neste espaço, mas vale a pena relembrar.

Anônimo disse...


Graham Hill com certeza foi o primeiro piloto a me causar simpatia e passei a acompanhar sua carreira nos poucos meios de comunicação automobilística daquele velhos e bons tempos de AutoEsporte e 4Rodas sempre que abria as revistas ja procurava pelas fotos em q aparecia o seu inconfundivel capacete, até hj corro de kart de forma amadora e meu capacete é igual ao de Graham, tive a oportunidade de tirar uma foto com ele em Interlagos na ocasião de uma de suas varias vindas ao Brasil, pena não ter mais esse registro, Hill com certeza é um piloto inesquecivel !!

fabehr disse...

adorei a história e rachei o bico kkkk