terça-feira, 22 de maio de 2012

Berger





















Japão. 1987.

Lotado.

Vitória da Ferrari.

7 comentários:

Anônimo disse...

Olha o Alboreto no meio do grid com os braços levantados rezando para ninguem acertar ele.

José

Danilo Candido disse...

Teria a presença de Senna na garagem ao lado, à partir de 1990, "encerrado" a carreira do austríaco ? Sempre me pergunto o que Berger poderia ter feito caso não tivesse dividido os boxes com um gênio. Se "até" Mansell conseguiu seu título...(antes que me coloquém na cruz, não estou comparando nem dizendo que "A" foi melhor ou pior do que "B", muito pelo contrário...). Mas que, num carro como a Williams FW14B, certamente Berger teria sido campeão, disso não tenho nenhuma dúvida. Mas infelizmente ficou apenas na promessa, tal qual Alboreto, Pironi, Laffite e tantos outros.

Um abraço,
Danilo Candido.

Rodrigo Keke disse...

Final de 1987, talvez o melhor momento da carreira do Berger.

Ron Groo disse...

E o Senna bem perto do muro, segurando um maclata.

fernando disse...

caracoles, prost tendo que travar rodas ainda antes da curva ainda no ganho de velocidade da largada, berger fechando a porta ao francês, que tinha segundo lugar no grid mas parece ter iniciado melhor a largada do que o austríaco.

Anônimo disse...

A F1 voltava ao Japão 10 anos depois, só que em Suzuka!

Vejam a Osela atravessada atrás da Lotus do Nakajima de frente para a mureta dos box de baixo das bandeiras amarelas!

Essa corrida foi muito boa, Nelson reclamando do Senna "freio de mão", pois andou praticamente toda corrida atrás dele, até seu motor Honda quebrar.

Desceu do carro, e foi direto nos box da Lotus, pois já estava de contrato assinado para a temporada de 1988.

Mau ele sabia, que após sua vitória daquele ano de 1987 na Alemanha, só voltaria a vencer aí mesmo em Suzuka, só que em 1990, com a Benetton.

Anônimo disse...

E vejam o colorido do Grid, temporada eletrizante!

E nesta corrida, Prost teve um pneu dianteiro furado logo nas primeiras voltas, e praticamente teve a sua corrida encerrada, pois perdeu uma volta e saio do páreo da prova.

Berger praticamente correu sozinho, e a disputa ficou pelo segundo lugar, entre Senna, Piquet, Johanson, e Boutsen.