sexta-feira, 15 de junho de 2012

Caixa 2
























Alguns questionam a falta de incentivo e patrocício da Petrobras aos nossos pilotos.

Fica o exemplo da Caixa Econômica Federal nos anos 90.

Veja as imagens acima.

Vitor Meira, Luiz Garcia, Helio Castroneves e Cristiano da Matta.

Parte de toda uma geração que foi ajudada por dinheiro estatal.

8 comentários:

Marco Memoria disse...

Tudo bem que o patrocinio era da Caixa, mas o veículo que arrumaram pro piloto da quarta foto parece que foi patrocinado pelas Organizações Tabajara !!

Danilo Candido disse...

Não nos esqueçamos de que a Petrobrás já possuiu equipe própria na F3000...

Marcos Antônio Filho disse...

Nessa época, acho que a caixa buscava um piloto que se identificasse como Senna com o banco Nacional. Não deu certo.

TW disse...

Fala muito a favor da época também. Hoje, infelizmente, não estamos numa situação em que seja possível investir dinheiro, se não temos pilotos.

O certo seria o investimento em Razia ou Nasr, a meu ver.

Humberto Corradi disse...

TW

Mas havia pilotos por conta do investimento, não?

Thiago Medeiros disse...

O investimento fez surgir muitos pilotos. Tanto que gente como Pizzonia foi parar na F1, vindo do programa "Petrobras Junior".

Claudio Zini disse...

O Nasr está sendo patrocinado principalmente pelo Banco do Brasil na GP2 este ano.

fernando disse...

a caixa e a petrobras agora patrocinam dezenas de atletas em esportes olímpicos; claramente essa escolha reflete, indiretamente, uma mudança no status do esporte a motor no bananão.
a caixa também patrocinou o campeonato da stockcar, ao menos até poucos anos atrás (agora não sei, faz tempo que não vejo nada dessa categoria).