terça-feira, 13 de novembro de 2012

Michael Andretti


























Cenas da passagem de Michael Andretti pela Fórmula 1.

Desastrosa.

Despedido antes do final da temporada de 1993.

Humilhado.

Chegou a andar próximo aos tempos de Ayrton Senna em alguns testes.

Depois tudo desabou.

O piloto americano não conseguia entender.

A McLaren tinha uma explicação.

Simples.

Dizia que Senna nunca andava no limite quando testava.

Michael tem outra teoria.

Acha que foi sabotado na categoria.

Um plano sórdido para desmerecer a Indy e seus pilotos.

Bernie Ecclestone?

Como saber?

Andretti voltou em 1994 para a categoria americana com a Chip-Ganassi.

Sua casa.

Tinha algo a provar.

Venceu a primeira etapa em Surfers Paradise.

Derrotou o leão Nigel Mansell no circuito australiano.

O atual campeão.

O homem que unificou os títulos das Indy e da Fórmula 1.

Michael ficou feliz.

"Uma das minhas maiores vitórias."

Declarou.

Deve ter sido.

Em todos os sentidos.

17 comentários:

TW disse...

Passagem pela F1 foi um verdadeiro fiasco, ainda mais tendo Ayrton Senna como companheiro e tendo o sobrenome tão importante que tem.

Anônimo disse...

acidente espetacular em interlagos !!

Rogério Fraga disse...

Corradi,

Não vejo a ideia de sabotagem como plausível.

O próprio Bernie Ecclestone gostaria de aumentar a popularidade da Fórmula 1 em território americano, onde a Indy sempre reinou (e atualmente é a NASCAR).

Tanto é que ele seguiu trazendo cameões da Indy em busca de maior popularidade, como foi o caso de Jaqcues Villeneuve (o único campeão de Indy - 1995 - e F1 - 1997 - dessa era atual), Alex Zanardi (Indy em 1997 e 1998) e Juan Pablo Montoya (Indy em 1999 e vice em 2000).

Desses acima citados, apenas Zanardi não obteve êxito na F1; Villeneuve, apesar do sobrenome e de alguns fiascos desde a ida à BAR, acabou tendo seu brilho na Williams.

Marques disse...

Eu acho a história bem plausível. A Indy estava cheia de pilotos que não tiveram muito sucesso na F1 (tirando Mansell e Fittipaldi). Stephan Johanson, Teo Fabi, Eddie Cheever, Roberto Guerrero, Raul Boesel, Derek Daily, Danny Sulivan eram alguns ex-pilotos de F1 que corriam na Indy. Mansell foi lá e ganhou, em compensação Andretti veio para a F1 e foi um desastre. Era exatamente isso que Eclestone desejaria. Mostraria que na F1 eram muito melhores. Não duvido, não tem como saber.

Anônimo disse...

A má vontade para com Michael Andretti veio da direção da própria McLaren, ou seja, Mr. Ron Dennis...

Aqui um texto [longo!] contanto toda a epopéia:
==>> http://www.f1rejects.com/centrale/andretti/index.html

E aqui, um rápido relato do próprio Michael, em 2010, em São Paulo:
==>> http://esportes.r7.com/automobilismo/noticias/andretti-lembra-os-tempos-ruins-de-f-1-e-diz-que-foi-usado-por-ron-dennis-20100313.html

Na minha modesta opinião, houve MUITO pouca paciência com o piloto estadunidense...

um abraço,
Renato Breder

Ron Groo disse...

Era um bom piloto, mas não pra F1.

flavio disse...

A Mclaren mais linda de todas.

Daniel disse...

Lembro de ter lido que Ron Dennis perdeu a paciência com o Andretti rapidamente e passou a não dar atenção ao carro do americano.
Alem disso, o cara dividia a equipe com o Senna, que claro, tinha todas as atenções da equipe. E parece que ele continuava a morar nos EUA mesmo com a temporada em andamento; isso deve ser algo ruim para se adaptar ao ambiente das corridas europeias e se "enturmar" com a equipe.
Ao menos na última corrida que disputou, em Monza, saiu da F1 com um bom desempenho e um 3º lugar no bolso.

Felipe Maciel disse...

O fato é que é perfeitamente possível um piloto ser grande em uma categoria e ser fraco na outra.

Se o Montoya por exemplo fizesse metade do que na F1 na Nascar já estaria bem melhor do que está hoje.

juniorcaixote disse...

Um grande nome que infelizmente não deu certo na F1. Acompanhei a Cart de 1995 a 2001, e pude presenciar belíssimas corridas do Michael.

Esse, Zanardi e Montoya foram perseguidos implacavelmente pelo Galvão Bueno quando correram pela F1.

Rodrigo Keke disse...

Talvez Michael Andretti tenha uma opinião diferente hoje, a respeito de sua passagem pela F1. Ou então é uma toupeira, que nem do alto de sua experiência de vida não consegue enxergar que ele não se dedicou o suficiente em uma categoria tão exigente em todos os níveis, que é a F1. Um cara que terminava um GP e corria para um jatinho se refugiar no outro lado do Atlântico e não vivia o dia-a-dia da equipe não tinha como vingar, ainda mais com o companheiro que tinha. Na F1 o talento é apenas um dos ingredientes do sucesso. Ele deve ter pensado que era o único ingrediente.

Paulo Heidenreich Jr disse...

A família Andretti sem dúvida é a família mais importante do automobilismo americano. Assim como outras famílias importantes de pilotos, segurou a tradição das corridas de automóvel nos Estados Unidos e ajuda manter a coisa forte por lá. Já como piloto, Michael não foi lá essas coisas, pelo menos na passagem pela F1. Aquela cena mostrando o pai dele no box da McLarem com a cara amarrada, enquanto o Michael estava fora da corrida e o Senna brigando na corrida mostra bem o resumo da passagem dele pela F1

Rodrigo Felix disse...

o curioso é a segunda foto: foi a de pré-temporada e apresentação. Senna nem havia confirmado se correria ou não, por isso Mika Hakkinen na foto, era piloto de testes.

ALEX COURI disse...


é estranha mesmo essa historia.. ps. impressionante como da pra notar q os carros realmente são grandes qdo o piloto esta no "cokpit" s/ o capacete!

Paulo Abreu disse...

O Andretti tinha um bom ritmo de treinos. Não ia tão mal assim nas classificações, mas nas corridas ele era afobado demais (os acidentes e incidentes nas largadas provam isso).
Em Donington ele estava próximo de Senna, fazendo uma largada tão boa quanto o do brasileiro e talvez até virasse a primeira volta logo atrás do Ayrton. Mas daí se enrroscou com Wendlinger e tudo foi pra brita.

Al Unser Jr. disse...

Sempre achei que a história de sabotagem fosse possível, não que o Andretti não fizesse as cagadas, mas na F1 era muita coisa acontecendo errado só com ele.

Tio B. tem algo a ver sim.

marcio jose disse...

alem de encarar Senna no auge de sua tecnica,

o Hakkinen quando entrou,botou tempo no Senna em Portugal,

aí que queimou o filme de vez do Michael.