sexta-feira, 5 de abril de 2013

Bicho

 

Legal.

O Lotus 49 mordendo Alexander Rossi.

O americano, que é piloto de testes da Caterham junto com o chinês Ma Qing Hua, 
estará nos treinos livres no Bahrein.

Circuit of The Americas.

20 comentários:

Jorge Dias Lage disse...

E bota legal nisso...
"Ela" mordeu, mas o piloto segurou a bagaça.
É bom rever uma pilotagem "às antigas" e imaginar Clark domando a máquina.

Anônimo disse...

mto bom

parece uma pilotagem de kart na chuva com pneu slick, o piloto andou no limite hein?

abs

Lucas

Rafael Dias disse...

Muito legal! Essa pista é uma raridade e a Lotus dá cada traseirada sexy. Do piloto, sei quase nada. Abraço!

TW disse...

Belo ronco do motor, mas um carro como esse, pela sua história, não deveria ser guiado por Rossi e Ma Qing Hua. É um verdadeiro pecado!

Ron Groo disse...

Este carro é fantástico. Nunca tinha visto uma onboard com ele.

Anônimo disse...

Caramba esse cara nunca guiou qualquer carro com câmbio manual, ele erra muitas marchas, arranhou e segunda direto, por que não convidaram um Emerson ou Piquet que foram pilotos da Lotus e teriam feito essa maravilha voar, de verdade e não com esse festival de erros de marcha e curvas ridículas!

Anônimo disse...

Esse cara é muito ruim!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Bem legal mesmo!!

Carro saindo de traseira, de frente, afundando o nariz nas freadas e empinando nas aceleradas (dá pra ver a suspensão "andando" todo seu curso), piloto trocando de marcha na 'munheca' e usando a embreagem no pé esquerdo (com possibilidade de ERRAR uma marcha!), "aderência mecânica" em vez de "aderência aerodinâmica" (é um carro e não um avião!)... aliás, quase nenhuma aerodinâmica e/ou eletrônica!!

Se os campeonatos de carros históricos de grand prix (ou F1) fossem mais divulgados do que são, acredito que a F1 perderia ainda mais audiência...

Belo vídeo, Corradi...

um abraço,
Renato Breder

juniorcaixote disse...

Caraca, bem louco o vídeo. ´Quanto às erradas de marcha, nada que umas boas praticadas não resolva.

Anônimo disse...

Muito legal o Vídeo, impressionante a tendência à saída de frente do carro em curvas longas, quanto à pilotagem, a impressão é de que o piloto quis realmente preservar o carro (imagina uma panca com uma f1 antiga?), a frenagem em curvas é muito antecipada... e realmente o piloto deve ter muito pouca experiência com carros de corrida tão "manuais", pois nem o punta-tacco saía.

Marcos Alvarenga disse...

Que frente mais arisca!

E como era mais difícil pilotar com o câmbio em "H". Já começam a despontar os meninos que já nasceram na geração do câmbio sequencial.

Quem jogou "Grand Priz Legends" sentiu-se em casa, tenho certeza.

Marcos Alvarenga disse...

Comentário número 2.

- Punta-tacco? O que é isso??

Cardozo disse...

Muito, muito bom o vídeo. Pena que o piloto não estava à altura do carro, pelo menos no momento. Me deu pena as arranhadas nas reduções para segunda marcha... Ninguém explicou para o menino que era preciso igualar a velocidade do câmbio com o motor antes das reduções? Parecia meu Fusca 69... :o) Valeu, Corradi!

Carlos Gil disse...

Marcos Alvarenga disse: Comentário número 2.
- Punta-tacco? O que é isso??

Penso que estará a referir-se à técnica de ponta tacão.
A técnica ponta-tacão é uma técnica de condução desportiva e que consiste em usar o pé direito para travar e acelerar, de modo a manter a rotação mais alta e não perdermos rotação na passagem de mudanças.

Esta técnica é utilizada em reduções de caixa acompanhadas de travagem, que permitem manter um regime de motor adequado à velocidade e à mudança engrenada
O condutor inicia a travagem para redução de velocidade acompanhada de reduções de caixa (passando por exemplo de 5ª para 2ª) acompanhando cada redução com uma aceleração que manterá a rotação do motor adequada à velocidade do veículo, por forma a evitar bloqueios de rodas provocados por reduções de caixa bruscas ou rápidas (bloqueios de caixa).

CG

pedro disse...

Pessoal, para quem curtiu o video e a tocada nervosa do bolido, recomendo fortemente o grand prix legends, com um g27, obviamente. O volante ainda estah um pouco caro, mas vale a pena cada centavo,podem ter certeza. O jogo eh um simulador fidedigno da epoca, e eh preciso muito treino para conseguir uma volta rapida.

Marcos Alvarenga disse...

Cardozo,

Eu quis dizer que o piloto desconhecia o punta-tacco completamente, pois nem houve esboço te tentar fazê-lo.

Ainda assim, bela explicação. Abraço,

Cardozo disse...

Marcos, acho que não fui claro. O menino que me referi era o piloto do carro!
O punta-taco é usado para igualar a velocidade do motor com o câmbio, onde o piloto acelera o carro enquanto está com o pé no freio, no momento da redução de marcha. Esta técnica é necessária para evitar o desequilíbrio do carro no momento das reduções de marcha, assim como evitar o desgaste excessivo dos pneus. Quer um belo exemplo? Veja o mestre: http://www.youtube.com/watch?v=BxH6PCG_U1Y
Abraço!

Squa disse...

Ô tal CG, vc pode ter razão, mas ponta-tacão é na sua terra, o termo punta-taco é muito conhecido e utilizado no meio automobilístico.

Carlos Gil disse...

Squa disse...

o ponta-tacão é o termo utilizado em Portugal e eu sou Português, pelo que num facto você tem razão.
Saudações lusas para você "ô tal Squa". ;)
CG

Anônimo disse...

Informação (des)importante: não contabilizando a volta de saída do box, as voltas do video dadas pelo piloto Alexander Rossi, foram na casa de 2:20 (mesmo considerando que o fim da 2a volta não foi registrado no vídeo mas dá para se ter uma noção de tempo). A volta mais rápida na corrida de 2012 foi de Sebastian Vettel com 1:39.3, ou seja 40 segundos de diferença média!!!!

O piloto parece ser bom, apesar que o carro expressa por si só a diferença dos grandes pilotos, com Clark, Fangio, Hill e Brabham, para os pilotos atuais.

Não que os pilotos atuais não sejam bons. Mas, nesta época, os pilotos eram pilotos e não meros acessórios.

Isso é o que diferencia, por exemplo, Senna de Schumacher. Senna complementou o carro. O carro complementou Schumacher. Porém Senna foi Senna e Schumacher, Schumacher. Ambos foram referências nas suas devidas épocas.

Mas como disse, são informações (des)importantes.

Eduardo/São Paulo