sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Sombra























Fernando Alonso é genial.

Entrou na Fórmula 1 de uma maneira avassaladora.

Conquistou suas marcas e títulos quebrando recordes e impressionando a todos
por sua pouca idade.

Suas escolhas acabaram por trazer uma pausa em sua trajetória.

Nada demais.

As coisas voltariam ao normal em sua parceria com a Ferrari.

Só que justamente nesse momento uma sombra apareceu.

Um muro até aqui intransponível.

A dinastia de Sebastian Vettel colocou uma pedra sobre todas as previsões que
se faziam a respeito do piloto espanhol.

O brilho de Alonso foi ofuscado.

Seus defeitos e suas falhas passaram a ser destacadas.

Sua genialidade foi questionada.

Como se genial não fosse fazer o melhor sempre, independente das circunstâncias.

Minardi ou Ferrari, tanto faz.

Interessante notar como ele está sempre em evolução.

A experiência ao lado de Lewis Hamilton na McLaren trouxe ensinamentos.

E isso o tornou mais forte.

O piloto inglês é um talento extraordinário, mas hoje o espanhol é muito mais
temido pelos seus adversários.

O tratamento que deu a Felipe Massa dentro da Scuderia Italiana é a prova disso,
o brasileiro foi esmagado.

Sim, houve um brilho aqui e ali de Felipe, no entanto não há como fazer comparações.

Massa é bom piloto, só que estamos falando de outra coisa. Os bons surgem todos
os anos, Alonso é uma daquelas anomalias, o excelente, que se espera sempre a
cada nova geração.

Por conta disso o asturiano cobra muito de sua equipe. Seu jeito de poucas palavras
pode soar às vezes arrogante, porém é apenas fruto de sua personalidade fechada que,
com muito ruído, transmite sua determinação em vencer.

Poucas palavras, determinação e muito trabalho, tudo isso me lembra a forma tradicional
com que os japoneses  fazem as coisas.

Talvez por isso a Honda o tenha eleito como seu alvo para 2015.

Só o tempo poderá responder se ele será feliz novamente na Ferrari ou na McLaren.

Ou em nenhuma...

Pois Sebastian, a sombra, não dá espaços e nunca ficará num carro sem condições
de vitória por mais de uma temporada.

Porque os melhores são os mais cobiçados o por isso os primeiros a serem escolhidos.

Funciona assim no futebolzinho da escola e também na Fórmula 1.

Assim Fernando talvez precise contar um pouco com a sorte de estar no lugar certo
no momento certo.

Aproveitando um mínimo vacilo no caminho de seu maior adversário.

Um facho de luz antes da chegada da noite, ou do final de sua carreira.

Lembrando que sorte é quando o preparo encontra a oportunidade.

Alonso é genial, repito, e está mais forte e preparado do que nunca.

O problema é que Vettel parece sempre estar acima disso.


13 comentários:

Ron Groo disse...

Alonso é o Eneias da Portuguesa.
Era bom, era muito bom... Era genial.
Mas no mesmo tempo que jogava tinha de enfrentar um tal Pelé...
Covardia.

João Brunelli disse...

ACHO - veja bem, eu disse acho - Alonso um chorão sem precedentes da F1. Hungria 2007, Cingapura 2008, os infinitos tapetões da Ferrari... Só reclama, reclama, reclama.

Sem dúvida é um galo que canta muito. Mas que mostra pouco.

Francamente? Acho que Alonso não será campeão pela Ferrari. Não nesses tempos.

A Ferrari é tratada como "mito". Alonso é dado como "gênio".

A Ferrari precisa de um piloto de "ego baixo". Que seja rápido na pista e saiba baixar as orelhas.

Alonso precisa de uma equipe prestativa e eficiente. Que cumpra suas ordens.

Esse dois pólos aí estão se repelindo.

Abraço

Alfredo Aguiar disse...

Surtou Corradi?

Paulo Alexandre Teixeira disse...

Como sempre, uma excelente análise. E acho que esses dois são os melhores que a Formula 1 têm atualmente. Depois vêm Hamilton, Rosberg, Raikkonen e Button. Acho que a Formula 1 vive uma nova idade do ouro, mesmo com o dominio do Vettel.

Resta saber como será em 2014, com novos carros, novos motores, novos chassis.

Hugo Neri disse...

Só para lembrar... O Alonso já pegou um supercarro e pouco produziu nele... mclaren de 2007.

Clube do Fusca de Áurea disse...

Corradi,
eu imaginei que viria alguma postagem nesse sentido (após os comentários anti Alonso)...
mas, há de convir, que Alonso (assim como a Ferrari) não é dos mais honestos despotivamente.
Alonso é um grande piloto... foi bicampeão com o melhor carro da época (as Renault dele e do Fisichella "pulavam" no start do grid e usavam pneus Michellin, lembra?)
abráss

maxwellman disse...

Seria interessante ver Alonso e Vetel em um carro do mesmo nível, sem pneus que se esfarelassem, como seria.

Anônimo disse...

Corradi,

só agora li os comentários, e devo dizer: o Groo humilhou. Assim como você também.

Ah, o pessoal gosta do tema, hein.

Abraços, Marcelo Citadini.

Renato Vicari Medeiros disse...

Cara, o Mansell era rapido, ate mais que o Alonso, mas ambos tem uma caracteristica em comum: Pecam nas decisoes.
Isso faz a diferenca entre Alonso e Vettel.
Compare o final de campeonato do Massa e do Alonso ano passado, onde esta a enialidade do

Renato Vicari Medeiros disse...

Outra coisa: Creio que Nico Rosberg teria ganho ano passado no lugar de Alonso

Mauricio Morais disse...

Que texto inspirado em todos os sentidos, no conteúdo e na estética. Parabéns.

Vander Romanini disse...

Com o respeito devido ao seu texto, não acho tão acima dos outros assim.
Haja vista o que aconteceu com ele na Mclaren!! Bastou o Hamilton bater de frente que ele sucumbiu!!!!

Humberto Corradi disse...

Vander Romanini

Como disse no texto, acho que houve uma evolução por parte de Alonso. E o caso McLaren trouxe ensinamentos.

Valeu