terça-feira, 25 de março de 2014

Rascunho Curto


























Uma luz que se apaga.

Quem quer comprar uma equipe da GP2?

E uma escuderia da Fórmula 1?

Interessado?

Pois Tony Fernandes está tentando passar pra frente todos os seus investimentos
em automobilismo.

Não julgo o cara.

A verdade é que, quando o malaio entrou no circo, prometeram que X dólares
produziriam uma equipe competitiva.

Hoje a coisa está em 4X (quatro vezes ou mais o valor especulado) e mesmo
assim não traz frutos (ou pontos).

Difícil.

A Mediapro adquiriu os direitos de transmissão da Fórmula 1 em toda América
Latina.

A empresa espanhola revela que pretende lançar um canal exclusivo para a categoria.

Os aficionados mexicanos devem estar alegres com a novidade.

É sempre bom ter esse tipo de opção na TV.

Lembrando que o acordo exclui o Brasil.

9 comentários:

RenatoS. disse...

Gente querendo sair, gente querendo entrar.

Não seria mais fácil uma parceria monetária?

Anônimo disse...

Isso quer dizer que a FOX não é mais dona dos direitos? [], Rodrigo.

Rafael Vieira disse...

Xiiiii, esse papo de direitos de transmissões para LA só falta azedar a transmissão da Univision mexicana que faz transmissão para os EUA sem intervalos comerciais, pois infelizmente a transmissão da NBC é de doer, um pavor de transmissão. Um comercial atrás do outro, chega a ser bizarro.

Renato Santos disse...

Naive Tony.

TheEltonToptec disse...

Já que não rolou o esquema equipe/satélite da Ferrari, não poderia Gene Haas fazer uma proposta ao Tony? Resolveria a maior parte do problema do mecenas malaio e também de quebra realizaria o intento do americano bacana.

Anônimo disse...

Depois da mudança de nome, achava que a caterham iria segurar as pontas. Equipe satélite só quem tem é a RedBull.

Ashpool disse...

Exclui o Brasil?
Q pena. Preferia ouvi a corrida em espanhol ...

Felipe disse...

"Lembrando que esse acordo exclui o Brasil."
Porra!

Anônimo disse...

ao Ashpool e ao Felipe: deduzo q vcs teem insatisfação com a locução dos GPs na retransmissora nacional - insatisfação que compartilho!
já de algum tempo assisto deixando a TV no mudo e sintonizando a transmissão da Bandeirantes (Odinei Edson, Ico Ramos - in loco e sem delay! - , Jan Balder, Alessandra Alves), que acha bastante satisfatória e competente.
mas um par de vezes, e isso é o que quero sugerir a vcs, acompanhei corridas pela BBC britânica através da web: alguém nalgum blog forneceu um adress q nao guardei mas q tinha as palavras "F1 live streaming" , e a partir disso nao foi difícil localizar a transmissão q funcionava relativamente bem, havia alguma interrupção de tanto em tanto tempo, isso por certo devido a conexão de q utilizo, sempre contratei serviço de baixa capacidade de streaming - imagino q numa de maior porte os problemas sejam mínimos - lembro q havia algum atraso (delay) em relação a TV daqui, mas isso era ate mais legal pois se viam detalhes acontecendo e a confirmação dos tais pela locução de gente muito mais competente (martin brundle e cia.) do q os pachecos oficiais nossos de cada dia.

dito tudo isso, notei com satisfação o 'trabalho' de Barrichello no grid em melbourne, fazendo boas e corretas perguntas, as q o bocoh (como se põe acento agudo com um teclado de iPad?) o bocoh da ocasião da retransmissora nunca, mas nunca mesmo, consegue formular - apesar do referido estar sempre acompanhando o ex-F1 na andança pelo grid, feito papagaio de pirata.

outra coisa q notei, mas q conta em favor da retransmissora nacional, é q o novo ruído dos motores se perdem quase completamente na transmissão radiofônica; minha solução então foi rever a corrida no canal pago, em q a dupla locutor/apresentador nao se mete a pachecadas, e mais importante ainda, nao grita e nem fala em excesso, dando a chance de escutarmos todos os sons que agora podemos ouvir com os decibeis a menos dos motores turbo.
abs
Fernando