sexta-feira, 27 de junho de 2014

Caterham







































O tempo da Caterham sob a batuta de Tony Fernandes se esgotou.

Havia sinais.

Foi um duro golpe quando a parceria da marca britânica com a Renault
(para reviver o Alpine) foi desfeita no início do ano.

A escuderia esperava que parte do financiamento futuro viesse desta
sociedade.

E ainda um tratamento semelhante ao que a Red Bull recebe dos franceses.

Após isso Fernandes se tornou um cliente comum da Renault.

Sem possibilidade de pontuação e depois de enterrar mais de 100 milhões
de Euros na Fórmula 1, o que fazer?

Quem pode julgar sua atitude?

Fico com pena.

Pois havia um plano real de crescimento para se tornar a escuderia
competitiva no futuro.

Nesta manhã Fernandes encerrou sua conta no twitter.

Antes ele disse um "adeus" e que "a Fórmula 1 não funcionou".

O francês e chefe da equipe Cyril Abiteboul deverá se mover de
volta para a Renault.

E quem comprou a parada?

Uns cravam que a holandesa MP Motorsport da GP2 levou.

Outros que foi um grupo árabe.

E ainda tem aqueles que acreditam num consórcio russo.

De qualquer maneira, logo saberemos.

É isso.

9 comentários:

Victor Massami disse...

Sendo a holandesa MP Motorsport o futuro da Catherham, podemos esperar o endinheirado Giedo Van der Garde em um dos cockpits da equipe. Enquanto isso o bom Robin Frinjins de fora.

Anônimo disse...

Pena.
Acho que uma maldição.
Brigaram tanto pelo nome Lotus que no fim nem Lotus verde nem Lotus preta deram grande coisa e cairam em mãos obscuras, grupos desconhecidos, consórcio árabe, russo, daqui a pouco vai ter um consórcio de áliens assumindo equipe na F1.
Acho que a F1 está mesmo se perdendo...
Agora a FIA vem com essa de relargada parada. Estão mesmo perdidos, perdidinhos.
Acho que vou começar a assistir a Fórmula-E.

Danilo Cintra

Joâo Paulo disse...

corradi entao teremos uma equipe "nova" ano que vem no grid?

Danilo Candido disse...

Corradi,

Irão até o fim da temporada ou a "coisa toda" mudará no decorrer de 2014 mesmo, como ocorreu em 2006 com a Midland, que virou Spyker faltando poucas etapas para o fim ?

Um abraço,
Danilo Candido.

Humberto Corradi disse...

Joâo Paulo e Danilo Candido

Não sei responder suas questões.

Acho que assim que o "comprador" se identificar saberemos mais sobre o futuro da escuderia verde.

Valeu

Anônimo disse...

Lembre que ele não vendeu a marca , mas apenas a equipe de F1. A Caterham continua Sb sua batuta, inclusive na GP2, Moto2 e fabricando os chassis do Elise.

Anônimo disse...

"Acho que a F1 está mesmo se perdendo...
Agora a FIA vem com essa de relargada parada. Estão mesmo perdidos, perdidinhos.
Acho que vou começar a assistir a Fórmula-E.
"
Sim amigo está mesmo se perdendo... com a quantia absurda de dinheiro necessária para fazer uma equipe se tornar razoavelmente competitiva. ou seja, marcar pontos, em breve teremos somente 5 equipes correndo a temporada toda =(

Elton Pacheco

David Félix Krapp disse...

Nao so isso...

A Fia ta se perdendo a muuuuito tempo atras... pra mim começou com a mudança de pontuaçao em 2010, depois vieram os pneus farofa, bicos degraus, neste ano de uma vez so o bico penis, numeraçao fixa e os motores turbo...

A coisa ta feia e ao Fia e a Fom ja nao sabem o que fazer...

E na verdade muito mais simples do que todos imaginam... melhor divisao de renda e chassis a venda, na minha opiniao sao as melhores soluçoes...

Mas e muito triste ver uma categoria que sempre foi o simbolo maior do desenvolvimento automotivo perdendo esse lugar para o WEC e para a Formula E...

Pensando melhor, o Bernie merece...

Emerson Fernando Pippi disse...

Quando Hispania, Virgin (Marussia) e Caterham (Lotus)se instalaram na F1 achei que os malaios eram os mais organizados e com maior chance de seguir em frente.
Quando conseguiram o motor Renault achei que tinha chegado a hora de marcarem os primeiros pontos.
Errei... A Marussia começou 2014 passos à frente e o motor Renault decepcionou a todos.