quinta-feira, 16 de outubro de 2014

4 x 1




















A turminha sonhando com a vaga na Toro Rosso.

Os candidatos?

Carlos Sainz Junior, Alex Lynn e Pierre Gasly. 

E correndo por fora ainda tem Jean-Eric Vergne (lutando para permanecer).

Olhando o movimento de Vettel para a Ferrari (que fez a fila andar), fico pensando
se a desistência de Félix da Costa em chegar à Fórmula 1 tenha sido prematura.

Faltou persistência?

5 comentários:

Pedro disse...

O Félix da Costa não é um piloto acima da média, e não tem suporte financeiro. Qual a chance desse cara? Acho que desencanou na hora certa.

Daniel Chagas disse...

Pelo que já deu para perceber, é que na visão da Red Bull, Vergne é "apenas" um bom piloto e o que eles buscam é piloto fora de série, que faça a diferença. É uma gestão de pilotos que gera discussão mas que tem fundamento. Não sei se Félix da Costa foi prematuro na sua decisão, acho apenas que ele cansou de esperar e deve ser um daqueles pilotos que vê vida fora da F-1.

Alfredo Aguiar disse...

Pois é Chagas. F1 é um grid cheio de pagantes. Poder pilotar para um dos 2 times fortes e ainda receber por isso não é para qualquer um. É de certa forma perverso a facilidade com que eles empurram a fila, mas é isso ou ou uma carteira cheia!!!

Anônimo disse...

Ele sabia que seria o nome escolhido no ano passado mas a Toro Rosso manteve o Vergne. O português não assimilou bem a escolha e depois com a sua ida para o DTM determinaria o fim do seu sonho de disputar a F1.

Di. Gomes disse...

Mas houve uma desistência "declarada" da parte do Da Costa ?

Ele foi pra DTM com, e só por conta, do apoio da RedBull.