sexta-feira, 24 de abril de 2015

Espirito da Coisa























Interessante saber quem pode mais.

Primeiro os mais fracos.

A Renault estabeleceu um limite muito humilde.

Está pagando um preço alto por isso.

Pergunte a Red Bull.

A Honda foi um pouco mais ambiciosa.

OK.

Começou devagar.

Mas em Silverstone (no mais tardar em Cingapura) Fernando Alonso
e Jenson Button deverão estar andando a frente dos que usam bólidos
empurrados pelos franceses.

Ferrari está nesta temporada mais forte que a Mercedes.

E deverá se apresentar todo o seu poder na terra dos Villeneuve.

Os alemães já descobriram isso, claro.

Fique sabendo que em Barcelona estarão no ápice.

Porém com a ameaça (real) da Scuderia Italiana, a estrela de prata
tem convicção que necessita de mais.

E já trabalham para atingir o céu.

Um post só sobre as unidades de força da categoria máxima do
automobilismo.

É bom falar de vez em quando apenas sobre a alma.

6 comentários:

Renato Santos disse...

Grato, Corradi!

Marcos José disse...

A Ferrari está brefando para ver o "desespero" da Mercedes. Não precisa brefar Ferrari, coloque o motor mais potente já pra ver a reação do outro lado do paddock! A Renault penou por achar que as outras fornecedoras teriam os mesmos problemas mas quebrou a cara literamente e até hoje paga por isso. A Honda pensou a mesma coisa que a Renault (olha que os engenheiros japoneses tinham no box no ano passado na McLaren o motor Mercedes a sua disposição e mesmo assim erraram feio na concepção de sua unidade de potência pra 2015) e parece que não aprendeu nada também. Veremos se a Mercedes cai neste brefe da Ferrari. E a Audi vem aí pra 2018 (Red Bull e Toro Rosso ou teriamos uma surpresa pra 2018? Só o tempo dirá!) ou seria mais um novo boato que o Grupo VW irá negar novamente?

Ron Groo disse...

Baseado em que esta certeza de que a Honda ultrapassa a Renault este ano ainda?

E quanto a Red Bull, bem... com o último GP vimos que o problema é da fabricante de motor mesmo. Que fumaceira.

Fernando disse...

Brefando, brefar e brefe. Tirando essas 3 aí, Marcos José, seu comentário estaria perfeito.

Diogo Oliveira disse...

Kkkkkkkkkkkkk. Boa!

Renato Santos disse...

Tem que dar um desconto, a gente aprende a língua de ouvido...