sexta-feira, 4 de março de 2016

Rascunho Pressão

























Final dos testes em Barcelona.

Será que o Cavallino Rampante se aproximou?

Há um consenso sobre a Mercedes estar à frente.

Forte.

Nos oito dias de experiências em terras espanholas, as flechas de prata rodaram
mais do que a temporada inteira do ano passado (falando das corridas).

Existe uma dificuldade evidente no trato com os pneus mais macios.

Mas não é nada de alarmante, pois o projeto do carro é excelente.

Interessante.

A comparação de performance relacionada ao compostos da Pirelli.

Repare os resultados deste ano olhando os testes do ano passado.

Vem comigo.

Pneus Supermacios (Supersofts).

A Ferrari e a McLaren melhoraram em quase meio segundo em relação a 2015.

Já a Force India (que colecionou mazelas no início da temporada passada)
melhorou quase dois segundos.

A Toro Rosso foi sete décimos mais rápida.

Parece ter dado certo o casamento de James Key com o motor italiano.

O carro do time de Faenza nitidamente acaricia os pneus.

E ainda foi a segunda equipe que mais andou nos testes.

A Renault foi apenas um décimo mais veloz.

(aqui usamos a Lotus como parâmetro)

E a Williams conseguiu a façanha de piorar dois décimos.

Os bólidos de Frank sentiram dificuldade neste tipo de borracha.

Pneus Macios (Soft).

A Ferrari melhorou em quase um segundo a sua performance.

Novamente a Force India saltou (devido as dificuldades de 2015) mais de
um segundo e meio.

Red Bull (0,1), Williams (0,3) e McLaren (0,5) também melhoraram suas
marcas.

A Sauber perdeu rendimento e foi cerca de meio segundo mais lenta do que
nos testes do ano passado.

E (surpresa) Mercedes juntamente com a Renault perderam cada uma dois
décimos em relação aos seus respectivos tempos de 2015.

Perguntei ao Tordo qual seria a razão disso acontecer com o time alemão.

"Acho que a mudança na formulação e também na pressão modificou a relação
da Mercedes com a borracha."

Esclarecendo que algumas escuderias ficaram de fora da análise por falta de
dados para comparação (Ex: não utilizaram certo pneu em 2015 ou 2016).

A impressão é que a coisa será mais embolada nesta temporada.

Com Haas, Manor, McLaren, Renault e Sauber misturadas.

Por fim.

Um até breve para Barcelona.













2 comentários:

Renato Santos disse...

Que belo trabalho, amigo Corradi.

Marcos José disse...

A Mercedes virá forte...só saberemos realmente em Melbourne se a Ferrari estará bem perto da equipe alemã ou não...Williams, Red Bull e Force India brigam para serem quem é a atual "terceira força" da F1...Toro Rosso (provavelmente estará bem mais perto das equipes que brigam pelo terceiro lugar do mundial dos construtores), Renault (olho no Magnussen e também na "UP" da marca francesa!), McLaren (parece que os nipônicos "aprenderam" mas...esperemos Melbourne para confirmar se realmente temos uma melhora da "UP" japonesa), Sauber (parece que o carro novo tem potencial), Manor (o piloto alemão poderá causar "estragos" na concorrência se tiver um carro bem competitivo...por outro lado, Rio Haryanto ainda não está tão "a vontade" com o carro como o seu companheiro de equipe) e Haas (parece que o "mundo da Nascar" agora tem os pés mais no chão porque "apanhou demais" nos últimos dias dos testes...e entenderam muito bem como funciona "a coisa") brigam no meio por final do pelotão (mas que será bem mais interessante pra acompanhar). Agora...é esperar por Melbourne para "queimar" a minha língua novamente...