segunda-feira, 28 de novembro de 2016

O Melhor Rosberg




























Sempre achei Rosberg um grande piloto.

Defendi.

Entendia que havia algo superior no seu destino.

Os que acompanham o Blog há mais tempo sabem muito bem disso.

Entretanto veio Austin 2015.

Num ato de extrema submissão, Nico entregou o campeonato ali.

Sem luta.

Parecia o fim.

Acreditei ter me enganado redondamente.

O menino que nasceu para ser campeão não passaria de um escudeiro.

Mas a etapa dos Estados Unidos foi na verdade um divisor de águas.

E Nico iniciaria a partir dali uma quebra nos conceitos da Fórmula 1.

Coisa rara.

Vi uma quando Ayrton Senna desembarcou no circo e obrigou todos
os outros pilotos a buscarem seus limites.

E testemunhei outra no momento em que a continuidade foi provada e
estabelecida pela Ferrari na Era Schumacher.

Rosberg depois de tantos anos mostrou para o mundo que um piloto
pode evoluir.

Aprender com seus erros.

Se fortalecer.

Minar e destruir seu adversário nos detalhes.

Não se engane.

Lewis Hamilton não teve qualquer chance de vencer o campeonato em
2016.

O filho de Keke dosou as forças e soube construir uma vitória absoluta.

Se quisesse poderia brigar pela bandeirada em Austin, México e Abu Dhabi.

Mas o risco combina melhor com o desespero.

Não era o caso.

Ou havia razão para tentar se matar no dilúvio de Interlagos?

Se nem mesmo pela televisão conseguíamos ver os bólidos?

O objetivo estava traçado.

Nico sabia que tinha a máquina para alcançá-lo.

Altos e baixos acontecem.

Como bem lembrou Montovani ao falar dos 4 pontos perdidos na Alemanha
por minúcias das regras.

Hamilton tentou.

Inclusive artifícios.

Fora de si, destruiu um aposento do motorhome em Baku.

Também chegou a ameaçar deixar a Mercedes depois da etapa espanhola.

Toto Wolff não se abalou e deixou Pascal Wehrlein de sobreaviso para o caso
de uma eventual substituição.

Lewis recuou.

Rosberg, a formiga incansável, desta vez, não poderia ser esmagada.

Nico rasgou o convite da Sociedade Secreta dos Segundos Pilotos e se tornou
uma persona non grata na nobre instituição.

Clique aqui

Ele não deixou que um rótulo de vice fosse colocado sobre sua carreira.

Isso mudou tudo.

Principalmente sua vida.

Pois um título abre todas as portas.

Cinco anos atrás, a Ferrari o queria para o lugar de Felipe Massa.

Agora campeão, ele pode substituir Sebastian Vettel no comando
da Scuderia Italiana no futuro.

Quero dizer que ele pode escolher.

Pois propostas não irão faltar.

Um piloto cordato para com seu time.

Cheio de trabalho, foco e determinação.

Temos um novo campeão.

Um piloto que ainda não revelou todas as suas armas.

Inteligente.

Esforçado.

Dedicado.

Que faz o que é preciso.

Necessário.

Com perfeição.

Parabéns Rosberg!

Numa geração fantástica que conta com Fernando Alonso, Lewis Hamilton
e Sebastian Vettel você derrotou todos na maior categoria do automobilismo.

E, hoje, você é fácil o melhor piloto da Fórmula 1.

32 comentários:

Carlos disse...

Parabéns Roseberg chegou e derrotou as forças do mimimi do Senhor Hamilton com inteligência e usando as estratégias. Sobre o Senhor Hamilton é um verdadeiro pilantra pois no ultimo grande prêmios todos fizeram as suas partes mas não precisa fazer jogo sujo no final.

Paulo Heidenreich Junior disse...

Corradi, gosto do Nico, mas sinceramente eu era um dos que acreditavam que ele não seria campeão. O Lewis provou mais uma vez que a sua batalha é com seu ego. Quando ele está com a cabeça no lugar, é imbatível. Estou ansioso para ver como vai ser em 2017. Sem brasileiros correndo, o público que está em queda deve ser menor ainda.

Fabrizio Salina disse...

Ser campeão mundial de F1 não é para os fracos. Isso não se discute.

Concordo com muitos elogios da lista, mas penso que o grande diferencial de Rosberg foi justamente vencer "Luiz" Hamilton. Quando aquele estreante parelhou com Alonso e desnorteou o bicampeão, a ponto de fazê-lo chutar o balde na McLaren, ficou claro que tínhamos um novo outlier.

Logo, vencer Hamilton não é para quem quer, é para quem pode.
Lembro de uma entrevista do mexicano Jo Ramirez, que trabalhou muito tempo com Senna na Mclaren. Dentre várias outras coias, ele afirmava que Senna era rápido com qualquer carro, o acerto não tirava sua velocidade, mas que Prost, com um carro acertado a seu gosto, podia ser tão rápido quanto Senna.
Acho que a relação de forças entre Hamilton e Rosberg passa por aí.

Por fim, não existe essa de quebra de motor ter tirado título, pois as quebras são umas das variáveis do negócio. E se quebras fossem atenuante, Emerson poderia ter emplacado na Copersucar, Senna talvez ainda vivesse, e por aí vai.


Leandro Fontes disse...

Achei a atitude do Hamilton, de diminuir o ritmo no final, pouco ética. É verdade que não burlou as regras, é verdade que era sua última cartada para conquistar o título, mas acho que os meios não justificam os fins. Como piloto, o Hamilton talvez seja o melhor em atividade, mas saiu menor do que entrou.

Anônimo disse...

Nico está de parabens pelo titulo, excelente ano. Hamilton não deu chances nas ultimas 4 corridas, impecavel. Nico tentou a pole e não conseguiu em nenhuma das 4 corridas, ou ele foi cauteloso até nos treinos ? Duvido. Aos Domingos acho que ele realmente foi cauteloso, mas mesmo que tentasse dificilmente conseguiria ultrapassar Lewis. Do atual grid acho que alem do Hamilton, apenas o Alonso e o Max seriam capazes de utilizar a tatica de corrida adotada ontem. Dos pilotos que já passaram acho que o Senna e shumi tambem fariam o mesmo ... curioso não?

WilliamC disse...

"Lewis Hamilton não teve qualquer chance de vencer o campeonato em
2016".
Teve sim, inclusive tem sua parcela de culpa por desleixo.
"...você derrotou todos na maior categoria do automobilismo".
Fica mais fácil com o melhor carro do grid.

Desde 2014, pra mim, o Nico já provou essa evolução e que sabia como e quando derrotar o Hamilton. Apesar de ter sido um pouco criticado por sua postura nesse final de campeonato, em nada isso desmerece o seu título, que se constrói durante a temporada.

Anonimo disse...

Merecido o titulo do Nico, embora acho que não teria conseguido se não houvesse todos os problemas de confiabilidade e a necessidade de Lewis largar em ultimo para troca de motores. Nico aproveitou bem o ano, talvez não tenha outra chance. Um campeão diferente é otimo para a F1. Gostaria de ver o Max e o Alonso com carro para brigar com o Lewis no proximo ano. São esses 3 pilotos que podem dar emoção as corridas. São instintivos, fazem de tudo pra vencer.

Hindenburg disse...

Concordo com cada palavra nesse belo texto, embora ache o Hamilton um gênio da raça.

Bruno disse...

"Lewis Hamilton não teve qualquer chance de vencer o campeonato em
2016."

Nem mesmo depois de abrir 19 pontos de vantagem com a vitória no GP da Alemanha?

Társio disse...

Esses dias, empolgado com o diluvio de Interlagos 2016, assisti Barcelona 1996. Me lembrei o quanto MSC sobrava em relação aos adversarios. Momentaneamente teve adversarios como Hill, Villeneuve, Hakkinen e Montoya. No mais era uma geração fraca!

Hoje acredito que vivemos, assim como nos 80s, anos de ouro na f1! E a dadiva de vermos grandes pilotos como Alonso, Hamilton, Vettel, Verstappen e claro, Rosberg.

Um campeonato merecido! Otimo para o mkt a vitoria do filho de keke (a quem sempre fui fã!). O esforço venceu o talento!

Austin 2015, e o lancamento do boné 2nd de Lewis para Nico foi realmente um divisor de aguas. A partir daí Rosberg subiu o nivel!

Será muito interessante observar a equipe Mercedes se tiverem novamente um carro vencedor em maos em 2017.

Observo 2 pontos:

1- A temporada 2016 tambem foi divisora de aguas para Hamilton. Este nao acreditava que Rosberg podia vence-lo. Foi desleixado no inicio desta temporada. Mesmo apos a falha na Malasya, foi novamente desleixado em Suzuka. E ali na largada perdeu o campeonato! Portanto sera muito interessante observar sua postura em 2017 perante Nico.

2- Nesta final de campeonato foi aberto um precedente. Hamilton claramente desobedeceu a ordem da equipe, inclusive o proprio Paddy Lowe tentou intervir pedindo a Ham para acelerar nas voltas finais, e ele se negou. Na coluna do Martin Brundle ele menciona que o Ham estava de sobreaviso que se segurasse o ritmo eles iriam fazer o pitstop do Ros antes. Por isso só apos o 2nd pit ele reduziu drasticamente o ritmo. Será interessante observar como o time irá administrar ambos pilotos, ambos campeoes mundiais, numa relação já muito desgastada! Agora nao existe mais apenas uma estrela no time!

Ótima temporada essa!

Abc
Tarsio

Marques disse...

Hahahaha não teve a mínima chance de ganhar o título, tanto que só perdeu pelas falhas mecânicas.
Sim, tão melhor piloto que todos os jornalistas se desdobram pra justificar e dizer que ele mereceu.
Vai ser como um Button ou um Raikkonen (apesar de ser beeem melhor que ambos), pilotos que aproveitaram a chance que o destino lhes deu. Roseberg é brilhante quando não tem ninguém por perto (lembra um outro alemão que o blog ama), nos outros casos já não é assim, afinal, ainda não passou o companheiro na pista. Como disse o Victor do Grande Prêmio, Hamilton sai como campeão "moral", Verstappen como melhor piloto, mas Rosberg como campeão. Como venho falando desde o motor estourado, campeão merecido, mas absolutamente sem graça.

Diogo Moura disse...

Rosberg mostrou esse ano uma lição para todos. O trabalho duro e dedicação pode superar o talento nato usado inadequadamente. Título mais do que merecido para o piloto que mesmo perdendo a liderança do campeonato manteve a calma até o fim, ou alguém aqui não achou que ele estava destruído depois do GP da Alemanha.

Jacinto disse...

Bom, acabado o campeonato de 2016, é torcer para que as alterações na regras da F1 melhorem a competitividade entre as equipes.
Eu admiro muito o trabalho técnico que é realizado nos F1´s, e sem dúvida, sob este aspecto, os campeonatos de 2014, 2015 e 2016 foram muito interessantes - dos mais interessantes de todos os tempos. Ver como a tecnologia de captação de energia cinética e térmica influenciaram os resultados foi muito bacana.
E justamente porque admiro muito a parte técnica da F1, também gosto de ver disputas entre pilotos de equipes diferentes. Porque é na disputa entre equipes diferentes é que vemos, na prática, como as soluções diferentes utilizadas pelas equipes influenciam os resultados em cada equipe.
Vamos torcer pelo campeonato de 2017 ser divertido.

Sobre o Rosberg - achei merecidíssimo o título, que foi obtido com consistência e inteligência, duas característica que admiro muito.

Do anos que acompanho a F1, o campeão sempre teve méritos para chegar ao título. Mesmo quando o segundo colocado teve mais vitórias do que o campeão, e só perdeu o título por causa de problema no motor (refiro-me a Massa em 2008), eu achei justo o resultado.

Jeferson Araújo Pereira disse...

E o politicamente correto apareceu escandalosamente no final da prova: a Mercedes ORDENANDO que Hamilton pisasse fundo!! Que coisa ridícula!!! Hamilton fez o que Senna, Schumacher e Verstappen fariam (Vettel também faria, mas ele não tem coragem de admitir). Hamilton estava na frente e não infringiu nenhuma regra!! É difícil entender isso?

E o pior é que a palhaçada continua. Toto Wolff, o néscio, o beócio, está pensando se vai ou não punir o Hamilton. E tem gente que ainda não entende porque a audiência da F1 está despencando.

Renato Santos disse...

O lendário Zamponi, se não me engano, contou que o Kekão gostava de uma farra com as gurias que dormem pra fora. Em cada corrida ele descobria onde era a área das farras e se bandeava para lá, segundo lembro ele até voltou direto, uma vez, da casa das primas para o cockpit. Conta alguma aí, Humberto, quem mais aqui sabe alguma história atravessada com a F1?
Valeu!

Renato Santos disse...

Corradi, e demais,a Mercedes não é uma equipe 50%+50%. Por uma questão de estratégia sempre haverá uma inclinação a mais para um dos pilotos. Nem que seja 49+51.

A PERGUNTA É

Qual o percentual da Mercedes em 2016?

Grato, Tuta Santos

Anônimo disse...

Para os que criticam tanto o Rosberg:

- Ganhar alguma corrida tendo como companheiro o Hamilton não é para poucos. Ele ganhou muitas corridas nos últimos anos.
- Ganhar do Schumacher, mesmo que ele não estivesse na melhor forma, não é para poucos. O próprio Schumacher elogiou o Rosberg várias vezes citando que ele é um piloto de muito talento. Vocês já viram o alemão falar isso pra qualquer um? O Schumacher elogiou Hamilton muitas vezes também.

Rosberg não é um Hamilton ou um Alonso, mas ele tem mérito porque dentro das suas limitações, usa a inteligência, não tendo o mesmo talento natural que o Hamilton.

Parabéns para o piloto que usou o cérebro, não teve ataques de frescura quebrando tudo, xingando a equipe e acusando os mecânicos de sabotarem o seu carro.

Torcia para o Hamilton, mas aguentar esse cara está impossível. Torço agora para o Verstappen que realmente vem pra arrebentar, é só esperar...

Sim, acho que o Rosberg é um piloto de apenas 1 título, como Button ou Raikkonen, mas Button e Raikkonen tiveram resultados impressionantes no passado.

Ituano Voador disse...

É, meus caros, Rosberg virou o jogo. E isso é bom, pois sempre o achei muito bom piloto; Schumacher que o diga.

http://f1corradi.blogspot.com.br/2015/09/nico-em-falta.html

Abs.

André disse...

Um detalhe que passou despercebido e ninguém comentou é que se Verstappen não tivesse aquele enrosco com o Hulkenberg o plano de Hamilton teria dado certo. Porque mesmo com a confusão, Vesrtappen conseguiu se recuperar e só não atacou Vettel e Rosberg porque seus pneus de 29 voltas não permitiram.

Em condições normais, Verstappen teria plena condição de atacar os 2 alemâes e duvido que Vettel teria a benevolência, como foi mostrado na sua declaração, de não passar Rosberg para assegurar um lugar no pódio.

Jefferson disse...

Parabens Nico?!
Ah fala serio Corradi!
Voce ta parecendo pai de criança feia.
E se reduzir ritmo de propósito e 'artificio' o que voce considera jogar o carro no adversário pra bater?
O blog continua ótimo fora essas contra-patriotadas ai.
A propósito, voce tem ascendência em Deutschland?
Va puxar saco assim lá!
Faltou o post exclusivo sobre Vettel.

Jefferson disse...

Eu reparei sim André, e concordo com vc. O risco seria de nao vencer a corrida. Mas dai ele tinha carro pra andar no limite e tentar buscar.
Mas talvez nesse caso pra dar certo mesmo a estratégia de Riccardo deveria ser idêntica a de Verstapinho, pois as ferraris nao chegarinham pra briga.

Eduardo Casola Filho disse...

Os fãs do Hamilton que ainda não deixam o braço a torcer para admitir a derrota não se cansam. Foi bem o Corradi para ir a forra com a turma que vem cornetear nesse espaço aqui!

Agora, falando sério. O título do Nico lembra um pouco o do Mansell, afinal enfrentou grandes nomes da sua geração e, quando a oportunidade surgiu, finalmente ganhou (embora a situação do Leão tenha sido teoricamente mais fácil, pois dois deles não estavam mais lá quando venceu)

Jefferson disse...

Eu reparei sim André, e concordo com vc. O risco seria de nao vencer a corrida. Mas dai ele tinha carro pra andar no limite e tentar buscar.
Mas talvez nesse caso pra dar certo mesmo a estratégia de Riccardo deveria ser idêntica a de Verstapinho, pois as ferraris nao chegarinham pra briga.

Anônimo disse...

Corradi, a grande destruição psicológica que o Rosberg fez no Hamilton foi na etapa da Áustria. Quando o alemão jogou deliberadamente o carro em cima do inglês, mostrou que não iria mais ceder espaço. Rosberg se deu mal na ocasião, ao perder o segundo lugar, mas ganhou força para a briga até o final do ano. Se ele aceitasse a posição de maneira fria, iria ficar como o "segundão" até o final do ano.

Abraço,
Diogo.

Carlos Gil disse...

No GP do Mónaco deste ano, Nico Rosberg mostrou a sabedoria que tanta falta fez a lewis Hamilton em Abu Dhabi.

L. Hamilton é um piloto extraordinário, um natural born racer; ele corre como respira e vence GPs como se fosse fácil, sempre esteve num carro capaz de lutar pelos títulos, e quase de certeza estará no grupo selecto dos maiores de sempre da F1.

N. Rosberg é um grande piloto, compensa com a inteligência o seu diferencial no talento; ele aprende e esforça-se para tentar ganhar GPs, nos últimos três anos esteve num carro capaz de lutar pelos títulos, dificilmente chegará ao grupo selecto dos maiores de sempre da F1, mas este ano ele bateu o melhor piloto da actualidade. E isso é algo de que muito poucos se podem orgulhar.

Parabéns ao Nico e ao clã Rosberg.

CG

Felipe Playmobil disse...

Nico mereceu, falta cabeça ao Hamilton, se ele evoluir nesse ponto será quase imbatível se tiver o melhor carro.
Faltou dizer que a mercedes trocou parte da equipe campeã do Hamilton com a equipe do Rosberg,
sim, ele soube evoluir, me parece que trabalhou nos detalhes, porém só foi campeão porque a equipe também quis que ele o fosse.

Anônimo disse...

Nossa, realmente impressiona o seu texto, "Lewis não teve nenhuma chance "

Você perde tanto a razão dessa forma para provar sua teoria das qualidades de Rosberg ?

Rosberg não teve sequer uma falha mecânica que prejudicasse uma vitoria ou uma largada

Hamilton teve uma vitoria aniquilidade após estar na ponta, isso era mais que suficiente para ele ter sido campeão e as bobagens que você escreveu aqui não estariam aqui

E eu achava você uma pessoa apaixonada por automobilismo mas com um certo equilíbrio, nessa nota totalmente equivocada percebo que fala devaneios sem lógica para justificar o titulo de Nico, Hamilton perdeu para as falhas da Mercedes.

Daylson Elder disse...

Espero que ele vença ano que vem.
Mas com essas mudanças a coisa complica.O Hamilton disse que não se sentiu bem no carro com os pneus largos.Estou ansioso para a próxima temporada.

Danilo Silva disse...

Legítimo Campeão do Mundo. Mereceu. Teve o melhor ano de sua vida. É um Button melhorado (venceu um Hamilton! Enquanto Button venceu um Barrichello...). Não vejo-o liderando uma equipe, por isso caso vá pra uma Ferrari - por exemplo - seria na condição de um Raikkonen, para compor de maneira forte o elenco.

Mas ele é sim o legítimo Campeão Mundial de 2016. O melhor ano de sua vida.

Jacinto disse...

Danilo, o Button também venceu o Hamilton em 2011.
Essa não é a primeira vez que o Hamilton é vencido por um companheiro de garagem e nem é a primeira vez em que, tendo o melhor carro, não obteve o WDC. Isso também ocorreu em 2007, quando a disputa entre o Hamilton e o Alonso permitiu ao Raokkonen ser campeão...

juniorcaixote disse...

Eu não tinha me manifestado até agora, e fiz bem. Li tanto os detratores quanto os defensores de Hamilton (eu, um deles).
Cada um tem o direito de achar o quw quiser, mas quando a gente vê os chefes de equipe, que estão lá dentro e sabem o que estão falando escolherem o Hamilton como o melhor piloto de 2016, com o Verstappen em segundo e só depois, em terceiro, aparecer o campeão, pode fechar a régua.
Hamilton, campeão moral de 2016.
Aos detratores, resta chorar na cama, que é lugar quente.

Claudio Guerra disse...

Concordo plenamente.
Foi uma conquista muito bem merecida.
Nico, aproveite a sua vida ao lado da sua família.
Parabéns!
Abraços.