segunda-feira, 1 de julho de 2019

Todos

































O espetáculo não é feito apenas por quem está acelerando na pista.

terça-feira, 9 de abril de 2019

Força




























Após o qualifying do GP do Bahrein, o retrato do poder dos motores
ficou assim:

Ferrari: 990 hp

Mercedes: 990 hp

Honda: 952 hp

Renault: 945 hp

terça-feira, 26 de março de 2019

Williams Menor























A Williams se revela em 2019 como a equipe mais problemática
do grid da Fórmula 1.

A razão principal disso é a falta de visão de futuro.

Difícil.

O plano para o final do triênio 2016-2017-2018 era estar pouco
abaixo de Ferrari e Mercedes.

Com um orçamento consolidado de 250 milhões de euros.

Nada deu certo.

Foi ventilado uma ideia de tornar o time semelhante a Haas.

Ou Toro Rosso.

Da Mercedes, no caso.

Haveria (nesse modelo dependente) um aporte de quase 100 milhões
de euros por parte de Lawrence Stroll.

E um corte de 200 cabeças na fábrica.

Claire Williams descartou tal pensamento.

Assim Stroll pegou sua mochila de dinheiro e se mudou para a Force
India.

Com um plano ousado de reformulação (falaremos num outro post).

Neste cenário, a Williams depende cada vez mais que o teto orçamentário
seja estabelecido.

Sem recursos, não há velocidade.

Fora que as escolhas técnicas foram quase sempre equivocadas.

Depois de 2014, quando Valtteri Bottas foi quarto no mundial de pilotos
a frente de Fernando Alonso e Sebastian Vettel, a equipe entrou numa
depressão.

O que fazer?

Mudança.

Entretanto a solução Paddy Lowe se mostrou ineficaz.

Sem rumo.

Sem recursos.

Sem grandes patrocinadores.

(Rokit 20 milhões, Unilever 15 milhões e Sofina 3,5 milhões de euros)

E ainda com um piloto envelhecido e amargo no cockpit.

(Fez tanto para voltar pra isso???)

George Russel é a única notícia boa em vinda de Woking.

É pouco.

Já que na categoria máxima do automobilismo tudo precisa ser muito.

Excelente.

Máximo.

A resposta?

Aguardemos um milagre.




sábado, 23 de março de 2019

Siamo Pronti per Spedire

























Tudo bem.

A informação originada de Maranello nos conta que as questões
foram respondidas.

Falo, claro, dos problemas ocorridos na Austrália.

A Ferrari está pronta para lutar.

Isso demonstra que a falha foi a exceção.

E não a regra.

Quando Lewis Hamilton entrou no box seguindo Vettel em Albert
Park, foi uma revelação.

A poderosa Mercedes esperava muito mais da Scuderia Italiana.

Pela lógica, ela pode mais!

Esperemos.

quinta-feira, 21 de março de 2019

1000


















































Para comemorar o milésimo GP de Fórmula 1.

segunda-feira, 18 de março de 2019

domingo, 17 de março de 2019

Austrália 2019



























Ensaio

De cima para baixo.

Escaldado.

Lewis Hamilton declara sua preferência por Valtteri Bottas como
seu companheiro para 2020.

Ao invés de trocá-lo Esteban Ocon.

Pode ser.

Entretanto ter um piloto como Bottas sem contrato e que não tem
nada a perder ao seu lado durante toda esta temporada não deve
ser um bom negócio.

A frase de Valtteri mandando "se ferrar*..." no rádio e a desobediência
ao buscar a volta mais rápida ligaram o alerta.

Depois.

Stroll não é tão ruim e Kvyat merecia um pouco mais de paciência.

Na outra.

A alegria da Honda com a família Red Bull.

Só penso na McLaren.

Abrindo mão do dinheiro e de ser um time de fábrica.

Por fim.

A Williams é um poço de escolhas e caminhos equivocados.

(haverá um post em breve)

Talvez ser um Time B assumido poderia ser uma solução imediata.

sábado, 16 de março de 2019

sexta-feira, 15 de março de 2019