domingo, 14 de junho de 2015

Techniques d'Avant Garde




































Flagrante.

A McLaren ensaiando com a Porsche.

Weissach.

Centro de pesquisa da marca alemã.

Junho de 1983.

15 comentários:

Danilo Candido disse...

PQP (desculpe, fico emcionado com essas coisas), que foto, Corradi !!!

Um abraço,
Danilo Candido.

Speeder_76 disse...

Aposto que o senhor que está de pé, no carro, é o Ron Dennis. O piloto é mais fácil: John Watson. E entre Dennis e Watson, pela silhueta, deve ser o John Barnard.

Quanto ao senhor do Porsche, a variedade é grande: Mass, Bell, Ickx, Bellof...

Anônimo disse...

Weissach, 29 de junho de 1983 - entre os GPs do Canadá (12 de junho) e o da Grã-Bretanha (16 de julho).

John Watson testando o novo modelo da McLaren, o MP4-1E, que receberia o, também novo, motor turbo V6 de 1,5 litros TAG-Porsche TTE-P01.
Este novo conjunto, estreou no GP da Holanda (28 de agosto) de 1983, nas mãos de Niki Lauda. John Watson correu com o MP4-1C motorizado com um Ford Cosworth DFY.
A partir do GP seguinte, Itália, a McLaren ficou 100% 'TAG-Porsche motorizada'... e até o final de 1987!

Nesse primeiro ano - final de temporada, é verdade - problemas em todos os GPs, que causaram abandonos.
Apenas um resultado: um 11o lugar, no GP da África do Sul (o último daquela temporada), com Lauda enfrentando problemas elétricos em seu carro e terminando 6 voltas atrás do vencedor.
Começo nada promissor...

Depois disso:
Campeão e vice em 1984 e mais dois campeonatos em 1985 e 1986, entre os pilotos.
Dois campeonatos (1984 e 1985) e dois vices (1986 e 1987) entre os construtores.
Ao todo foram 25 vitórias (mais que a Tyrrell, por exemplo!), com 7 dobradinhas.
Apenas 7 pole positions... apenas uma primeira fila - Alemanha 1986.
Tudo isso em 69 GPS.

Nada mal...


Há um 'vira-casaca' nessa história.

Com a Williams arrumando patrocinadores árabes em fins de 1977, a TAG de Mansour Ojeh, a partir de 1979, esteve associada à Williams. Inclusive, entre 1981 e 1983, a equipe chamou-se 'TAG Williams Team'.

É ele aqui com Frank Williams, em Didcot, 1985?
https://lh6.googleusercontent.com/-x6iK5xXjcUI/R2MO-7ObfwI/AAAAAAAADmM/X_yS-ygFwtI/s800/39.jpg

A Williams usava motores Ford Cosworth DFV e depois usou também o DFY.
No final da temporada de 1983 (na África do Sul), a Williams estreou seu novo conjunto: novo chassis FW09 + motor turbo V6 da Honda.
Curiosamente, o logo da TAG estava na carenagem das Williams... e mais curioso ainda: também estava lá durante a temporada de em 1984!
Com a ligação estreitíssima TAG-Porsche, é estranho ver o logo da 'TAG' num carro com motores Honda..



E, na foto, junto com a McLaren, há um Porsche 956.
Uma versão deste carro, com a traseira mais baixa e alongada, esteve nas 24 horas de Le Mans com duas duplas (pelo menos): Jacky Ickx / Derek Bell e Jochen Mass / Stean Bellof...

Na foto, ainda outra "briga": Rothmans x Marlboro...


um abraço,
Renato Breder

Belair disse...

Tem gravatinha,"civil" no cockpit,aventais,tudo.Mas o de azul é o piloto?Quem seria? O capacete no aerofolio traseiro de quem e'?
Sei que as respostas virão rapido.

Anônimo disse...

Pena que John Watson não chegou a colher os frutos desta parceria que se tornaria tricampeã!

Quem sou e muito bem aproveitar isso, foi Prost!

Abraço!

Mauro Santana
Curitiba-PR

Anônimo disse...

Mauro Santana lembrou bem:

O irlandês John Watson ficou só na saudade na hora do "vamo-vê"(1984)!

O resto, e que resto! O Breder já esmiuçou. . .na moral, como sempre!

Abraço.

Zé Maria

Enio Peixoto disse...

O Ron Dennis deu uma de Ricardão e "roubou" a TAG que era patrocinadora da Williams.
A Porsche projetou e construiu o motor, mas quem contratou, financiou e ficou com o nome do motor foi a TAG. Oficialmente, o motor não era Porsche. Era TAG! Foi nesta época que o Mansour Ojeh passou a ser sócio da Mclaren. Mas o contrato de patrocínio com a Williams ainda deveria estar valendo. Por isso, em 1984, seu logotipo também apareceu nos carros Williams, apesar do motor Honda.

Em fins de 1987, a Honda também trocaria a Williams pela Mclaren.

E depois em 1997, o Adrian Newey trocaria a Williams pela Mclaren.

Ron Dennis sempre "furou o olho" do Frank Williams.

Anônimo disse...

Se não me engano, a TAG construia o motor que foi projetado pela Porsche, não? Daí a combinação de nomes TAG-Porsche.

walter disse...

Sobre Porsche na McLaren, vale a pena ler a entrevista do Dupasquier no Memoire Des Stands do incrível Jean-Paul Orjebin (http://memoiresdestands.hautetfort.com/archive/2012/05/18/pierre-dupasquier-au-dessous-du-volcan.html):
"MdS - Une voiture parfaite, est-ce possible ?
Pierre Dupasquier - Je crois que c’est possible. Lorsqu’on a eu accès à la McLaren avec Watson et Lauda, qui pourtant n’avait pas de moteur puisqu’ils avaient encore le Cosworth, la voiture était parfaite. Les McLaren de Barnard étaient des merveilles géniales, d’une efficacité redoutable en terme mécanique et aérodynamique, il avait vite compris ce qu’il fallait faire. Il était d’une méticulosité maladive, c’est une qualité par ailleurs mais qui parfois pouvait provoquer des blocages. Lauda m’a appelé un soir tard ici chez moi pour me demander de l’aider, en intervenant auprès de Barnard. Porsche avait livré le moteur, tout était prêt mais John ne voulait pas le mettre à la prochaine course parce qu’il avait des problèmes avec un petit bout de plastique devant une biellette de suspension. Lauda était furieux."

Vinicius Netto disse...

Foto linda! Não tem o que comentar

Cardozo disse...

O francês é lindo! Pena que não consigo lê-lo...

Peter

Rodrigo Keke disse...

A-há! Mclaren ajeitando o bote final rumo ao topo da F1.


P.S: Pierre Dupasquier, que chefiou as operações da Michelin no automobilismo durante muito tempo.

Anônimo disse...

Para quem (como eu) tem dificuldades com francês, o texto aí em cima (citado pelo Walter) tem uma tradução mais ou menos assim:

"MdS - Um carro perfeito, é possível?
Pierre Dupasquier - Eu creio que é possível. Quando tivemos acesso à McLaren com Watson e Lauda o carro estava perfeito, entretanto, não tinham ainda o motor, pois estavam ainda montados com os Cosworth. As McLarens de [John] Barnard eram maravilhas geniais, de uma eficiência formidável em termos mecânicos e aerodinâmicos, ele rapidamente compreendeu o que tinha feito. Ele era de uma meticulosidade doentia; isso pode ser uma qualidade mas, por vezes, pode provocar atrasos (ou bloqueios). Lauda ligou para minha casa uma noite bem tarde, me pedindo para ajudar, intervindo junto a Barnard. A Porsche tinha entregado o motor, tudo estava pronto, mas John não iria colocá-lo na próxima corrida, porque ele tinha problemas com um pequeno pedaço de plástico em um dos braços de suspensão. Lauda fiou furioso."


outro abraço,
Renato Breder

Walter disse...

Boa, Breder: seus arquivos são implacáveis e suas traducoes ainda mais.
Abracos a todos,
Walter

walter disse...

Gostei dessa: um 're - post', um 'post' republicado.

E eu, que já dei pitacos no 'post' original, dou mais um: a revista Rombo, italiana, especulou, no Gp de Mônaco de 1984, que o encerramento prematuro da corrida vencida por Prost seria um favor de Icks para a McLaren, já que ambos (Icks e McLaren) pertenciam à Porsche.

Acho que é só maldade de jornalista, mas essa foto acima mostra que havia mesmo uma grande intimidade entre membros da Porsche e da McLaren, ao ponto de colocar lado a lado, juntas, a Rothmans e a Marlboro.