segunda-feira, 15 de junho de 2015

Realidade Doce


































A conquista da Porsche nas 24 horas de Le Mans de 2015 levantou muitas
questões.

No twitter perguntaram minha opinião.

"Depois da vitória de Nico Hulkenberg, será que a Fórmula 1 vai dar o devido
valor ao piloto alemão?"

Respondi na hora que achava que tudo continuaria na mesma.

Depois fiquei meditando em cima da questão.

A competição do Endurance é algo diferente.

Quer mostrar principalmente a competência das montadoras envolvidas.

É uma maratona.

Confiabilidade e constância estão em primeiro lugar.

A máquina precisa suportar a longa jornada sem reclamar.

Sozinha.

Sem substituição ou troca.

O lado humano fica em segundo plano.

Limitado, claro, é preciso ser divido em três.

Coadjuvantes.

Com isso penso ser necessário recordar que Hulkenberg não venceu sozinho.

Contou com a ajuda de dois outros pilotos.

O britânico Nick Tandy e o neozelandês Earl Bamber.

Sobre Tandy podemos destacar conquistas na Fórmula Audi e na Fórmula
Ford.

Ambas em 2007.

O Bamber?

Se deu bem na Fórmula BMW (a série asiática de 2006).

Voltamos assim a questão.

Sob este prisma.

A Fórmula 1 deveria olhar com mais atenção para Tandy e Bamber também?

Talvez a Williams devesse despedir Felipe Massa e Valtteri Bottas e colocar
a dupla que acompanhou Hulkenberg no lugar.

Calma.

O intuito aqui não é desmerecer os vencedores da lendária prova em La Sarthe.

Mas a citação da equipe de Frank Williams não é gratuita.

Pois foi a mesma que dispensou Hulk mesmo após ter largado em primeiro no
circuito de Interlagos em 2010.

Um pouco de realidade não faz mal a ninguém.

Ou uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.

Vou contra qualquer oba-oba de cantar que Hulkenberg é o melhor piloto de
todos os tempos.

Que Nico não se iluda.

Nem seus fãs.

A Fórmula 1 dirá que um piloto seu (de segundo escalão) vale mais que todos
do Endurance.

E Hulkenberg encontrará as portas das escuderias da categoria máxima do
automobilismo nas mesmas posições que estavam antes de sua grande vitória.

Por fim, um outro pensamento.

Quem sabe este sabor doce da glória deixe Hulk inebriado?

E, melhor, o alemão decida ser feliz nas maratonas?

A realidade (do Endurance) também pode prazerosa.

E mais saborosa que os desejos inatingíveis (da Fórmula 1).

Sem Vettels, Hamiltons e Alonsos.

Por que não?

Pense Nico!



















12 comentários:

Felipe disse...

Não acho que Hulk esteja tão distante dos talentos de Alonso e Vettel. Ele é um piloto muito consistente e cerebral. Por ser piloto de F1, um talento desprezado pelas equipes de ponta da mesma, e por ser considerado "capitão" do #19 da Porsche, merece todas as pompas e circunstâncias. Aposto que, se tivesse a oportunidade, faria no mínimo o que Bottas faz hoje. Sempre provou ser muito bom.

Társio disse...

Eu acho que é preciso entender alguns pontos para uma discussão F1 x WEC, e entender que o aspecto esportivo é o de menos aqui...

Primeiro que existem 2 lados da moeda. Existe o aspecto esportivo, e o aspecto comercial.

No aspecto esportivo entendo que o WEC é superior a F1. Existe batalha real entre todas as camadas envolvidas num GP. Desde os projetistas até os pilotos. O retorno da Porsche é a prova disso. Olhando por cima, voltaram para mostrar (e mostraram) que a Audi não era a melhor. Estava apenas cuidando do terreno...

Agora no aspecto comercial a F1 é absolutamente incomparável com qualquer outra categoria não só no motorsport, mas com a maioria dos esportes por ai. A F1 é um monstro, fruto da politica comercial brilhante daquele que todos tanto criticam - Mr. Bernie Ecclestone. Sem ele a F1 seria somente mais uma categoria como é o próprio WEC, Indy ou qualquer outra...

O modelo de negócio criado por Bernie Ecclestone é baseado na TV aberta, que dá a categoria uma visibilidade enorme e dá a FOM o direito de cobrar fábulas de quem quiser patrocinar, sediar ou transmitir um GP.

Porém nos próximos anos veremos uma revolução na maneira como se assiste televisão e se consome midia. Tudo será interativo de acordo com o perfil de cada consumidor. E esta é a preocupação já destacada na comunidade da F1, e ignorada por Bernie e pela FOM. A F1 não acompanhou estas mudanças e sequer tenta se aproximar do publico jovem. O Twitter oficial da categoria só foi ativado com quase 10 anos de atraso...

Porém nesse novo mundo midiático o atual modelo de negócio da F1 tem seus dias contados, pois quando os contratos que hoje já estão firmados (como o da Rede Globo) encerrarem o que será da F1? A categoria não terá mais acesso à TV aberta (como já acontece na Inglaterra, por exemplo), possui poucos patrocinadores de peso associados, e pouco interesse da industria automobilistica em geral (Viram a Michelin abertamente menosprezando as atuais regras da categoria?). Será que somente a mítica da Ferrari irá conseguir manter o interesse do público?

Eu acredito e torço para que aí sim seja o começo de uma nova era na F1.


***********************************

Dito isso, a vitória do Hulk não muda em nada a situação dele na F1. Ele sequer será mais filmado durante as transmissões por causa disso. Ninguém irá destacar isso abertamente.

Talvez a única utilidade da vitória do Hulk em Le Mans seja para que que algumas equipes na F1 flexibilizem para alguns pilotos correrem em outras categorias, porém o Kubica está aí para provar que isso pode custar caro...

Hulk é um bom piloto mas nunca foi colocado a prova como piloto de ponta e isso só acontece quando se disputa um campeonato (Como Rosberg, por exemplo). Foi sim substituído na Williams pelo dinheiro da PDVSA & Maldonado pois a Williams perdera naquele momento o patrocinio master da HP (ou Phillips). Acredito que se fosse o Bottas naquele momento, a situação teria sido a mesma (considerando que o carro de 2014 e 2015 é bem melhor que o de 2010...).

Mas foi demais ver a Porsche vencer Le Mans.
Um dia ainda acompanhando in loco!
Abç
Tarsio

Ron Groo disse...

Se a f1 vai dar mais valor ao Nico Hulkemberg só por ter participado do time que ganhou Le Mans 24h?
Jamais...
Fosse assim, todo piloto que ganha aquela prova teria feito carreira na F1.

Marques disse...

Melhor texto que li sobre o assunto. O oba-oba em Hulkenberg e WEC é insuportável. Interessante que estreantes ganharam a prova. Se fosse na F1 estariam dizendo que os carros são fáceis, etc.. Prost tinha razão quando disse que redes sociais não servem para F1. Nelas se encontram inúmeros "experts" em tudo que nada mais fazem do que seguir uma tendência. A moda hoje é falar mal da F1, então tudo é multiplicado. O mais engraçado é ver pessoas pedindo volta de coisas do passado, coisas essas que odiavam na época que existiram. Outra coisa, metem a boca na economia de combustível e pneus, mas esquecem que na época de ouro da categoria isso era tão essencial como hoje. Ver Prost e Piquet economizando combustível era genial, Hamilton e Vettel não...

Anônimo disse...

Corradi, realmente muito oba oba a respeito do Nico. São competições diferentes e o Nico não ganhou sozinho, muito pelo contrário, Tandy e Bamber foram inclusive mais rápidos do que ele, mesmo com os currículos "menores". Se o Nico for realmente esperto, como aliás muitos de nós, vai observar que as corridas do WEC são infinitamente mais interessantes do que a modorrenta F1, que cá entre nós, caminha para anos ainda piores caso não adote mudanças urgentes e drásticas. A F1 atual tem 3 ou 4 excelentes pilotos, o "resto" pode ser relacionado entre os "medianos". Assim também acontece no WEC, no WRC e em tantos outros campeonatos que acompanhamos e amamos. Não importa a categoria, o que vale para o piloto é encontrar o lugar onde ele vai conseguir mostrar melhor as suas qualidades, com resultados na pista. Passar a vida lutando contra algo que não pode ser vencido, como fazem Nico e Alonso, deve ser frustrante e certamente é inútil.

Emerson Tadao Asato disse...

Acho que no aspecto financeiro ele e valorizado, vez que fora os pilotos das grandes equipes ele recebe o mesmo valor do MASSA, ja quanto a ter um carro competitivo, creio que a chance dele e anoque vem ter uma WILLIAMS ou FERRARI, caso contrario que va ser feliz na WEC e na PORSCHE, que possui os melhores carros, tecnicamente e visualmente falando.

David Félix Krapp disse...

Fala Corradi

Também não acho o Hulk o talento mais injustiçado de todos os tempos, mas na minha opinião ele e o Bottas tão na mesma... mesmo nível... o Nico ainda tem a vantagem de ter feito uma pole e liderado uma corrida por mais de 30 voltas coisa que o Bottas nem se aproxima ainda...

Se ele merece uma chance numa das grandes ? Merece... se vai vingar ? Aí é outra coisa... vai acontecer algum dia ? Honestamente acho que não, a não ser que ele arrume um belo patrocínio ou que algo completamente fora do comum aconteça e algum chefão aposte nele, isso numa categoria sem aparentes vagas disponíveis (dupla da Mercedes não muda, se mudar o Bottas já ta com um pé lá graças ao Toto / Ferrari se não fechar com Hamilton fecha com o Bottas / Williams perhaps ? só se o Bottas sair / McLaren = Draga / Red Bull, se trocar os pilotos vai ser com os da Toro Rosso / o resto é o mesmo que continuar na Force India)

Se eu estivesse em suas sapatilhas hoje, fincaria minha bandeira no WEC, vai receber um bom salário por 1/4 da pressão da F1 em uma categoria de ponta e onde teria a liberdade para participar e se aventurar em outras competições e categorias explorando o mundo do automobilismo assim como o Piquet Jr faz hoje...

A F1 é boa ? Vale a pena todo o sacrifício ? Realmente e honestamente hoje em dia eu já não vejo a F1 como antigamente, não reclamo de poupar pneus ou combustível, realmente isso sempre existiu e os grandes do passado, desde Fangio, Lauda, Emmo, Senna, Piquet, corriam dessa forma... o que estraga a F1 hoje é a existencia do DRS para existam ultrapassagens, pontuação esdrúxula, numeração idem, motores sem o barulho de carros de corrida, mudança de regras constantes, fim dos motores de treino, até a temporada passada carros horrendos (ou alguém já esqueceu do degrau no bico ?), o que causa o afastamento do princípio primordial da F1 que é ser a categoria mais avançada tecnologicamente, o desinteresse dos fornecedores (Michelin, Volks, Toyota, só pra citar alguns), a F1 de hoje em dia vive através do glamour gerado pela pálida sombra do que ela foi no passado... e o que o futuro nos reserva não é bom, volta do reabastecimento, permanencia dos motores sem barulho... a unica em que acertaram e a volta das equipes clientes...

Enfim, Hulk... vai pro WEC sussegado cara... voce não tá perdendo nada...

Jeferson Araujo Pereira disse...

Achei completamente ridículo o oba oba que alguns jornalistas esportivos estão fazendo em relação ao futuro de Nico Hulkenberg na F1.O que acontecerá é bem simples: alguns (não todos) pilotos da F1 irão parabenizá-lo e ...e é só.Daqui a 1 mês, ninguém mais tocará no assunto.

Eduardo Casola Filho disse...

Eu concordo plenamente que há um oba-oba generalizado em cima do rapaz. No entanto, o feito dele também não pode ser minimizado, pois ganhar Le Mans não é pouca coisa.

O que penso em relação ao Hulk é que ele tem o potencial para correr em uma equipe melhor na F1. Não o acho genial, mas ele tem talento para guiar por uma equipe grande. Não será um gênio colecionador de títulos, com toda a certeza. mas pode ser melhor aproveitado.

Ele não é um super gênio, mas também não é nenhum zé-mané.

Reube Reis disse...

Hulkenberg atualmente não deixa nada a dever a Massa, Kimi, Rosberg que possuem carros melhores.
Talvez esteja no mesmo nível de Bottas e Riciardo.
Hulkenberg tem 27 anos contra 33 de Alonso.

O problema é Vettel e Hamilton mesmo, mas deve-se lembrar que Button ganhou um título 2009 com o carro certo na hora certa, quem sabe alguma coisa aconteça na carreira do Hulkenberg na F1 ainda.

Marques disse...

Michelin entrou na disputa para voltar a F1. Se inscreveu na FIA.
Pois é, mesmo com todos os problemas a F1 atrai muito mais que WEC. Não tem comparação. Ah, e falaram em Toyota e BMW.. Saíram da F1 por fazerem trabalhos porcos, gastarem um fortuna e não ganharem nada. O que vai acontecer com a Toyota no WEC se não ganhar Lemans logo.

Rubens disse...

Blá blá blá. Se fosse o piloto-playstation teríamos um Ode à categoria e seria A vitória do século.

Parabéns ao Nico Hétero!