quinta-feira, 12 de junho de 2014

Rascunho de Horizontes

















































Lewis saindo.

Da garagem.

A visita secreta de Lewis Hamilton ontem a sede da Ferrari levantou suspeitas.

O que o piloto inglês estaria fazendo em Maranello?

E por que tanto segredo?

Depois da renovação de Nico Rosberg com a Mercedes, o normal seria Hamilton
seguir o mesmo caminho.

Estaria fazendo uma pressão sobre os alemães?

Há uma opção para continuar a parceria.

Toto Wolff diz que sua dupla atual de pilotos continuará por algum tempo junta.

Ficamos assim.

Por enquanto.

Mas é esquisito.

Consultei o Tordo.

Poderia Lewis se mudar para a Scuderia?

Perguntei.

"Só posso dizer que os italianos estão desesperados por vitórias!"

Entendi.

Talvez Hamilton queira descobrir suas opções além da Mercedes e
da (proposta de março feita pela) McLaren...

7 comentários:

Zé Henrique disse...

Vendo tudo que Toto Wolff fez pelo Bottas, e vendo que a Williams tem muito carinho pelo Nasr, além do fato do Massa ter um contrato de 3 anos, enxergo a saída do Hamilton da Mercedes como algo normal, pra ida do Bottas pra lá, se não em 2015, com certeza em 2016.

Anônimo disse...

Não sei, gosto do Hamilton, do seu jeito de pilotar, mas algumas vezes o acho meio estrelinha, mimado demais, gosta de fazer birrinhas, com um comportamento infantil para um cara campeão e que almeja mais na categoria máxima do automobilismo mundial. Talvez faltaram umas boas chineladas naquele trazeirinho por parte do Antony Hamilton...
Não sabemos o que ocorreu realmente nos bastidores da Mercedes, mas acho que ele não deveria se comportar assim. Ele mesmo sabe que na pista ele tem mais talento que o Rosberg e ainda restam muitas etapas até o final do campeonato e com a Mercedes sobrando na pista em condições normais.
Infelizmente o maior inimigo do Hamilton é ele mesmo. Ele mesmo se atrapalha, faz besteira e joga a própria vitória no lixo.
Como é meio tarde para as referidas chineladas, talvez um psicólogo ajude. E pelo jeito os conselhos do grande Niki Lauda não estão surtindo efeito.
Rosberguinho só tem a ganhar com as trapalhadas do Hamilton neste sentido, está dando uma de Piquet e tentando desestabilizar o Hamilton no psicológico. E esta tática pode sim dar certo.
A meu ver a mercedes tinha que ficar feliz com qualquer um dos dois que venha a ser o campeão, só tem que botar ordem e não permitir que o duelo fratricida a faça perder o(s) título(s). Corridas como a de Montreal não podem se repetir.

Mudando um pouquinho de assunto, quero ver o que será da RBR sem o Careca-Gênio-Mago-Deus-Supremo-da-Aerodinâmica Adrian Newey. O cara mostrou à F1 que ele faz sim a diferença com soluções simples e que ninguém tinha pensado antes e são capazes de transformar equipes normais em multicampeãs. Ele é hoje o grande trunfo da RBR e que mostrou que é capaz de fazer a diferença na prancheta. Um cara que tem carros como Williams de 91 a 97 no currículo, Mclarens 98 e 99 e RBR´s de 2010 a 2013, vai sim fazer falta à F1. O cara é foda!

Danilo Citnra

Anônimo disse...

Se não estou enganado nas minhas contas, apenas 11 pilotos britânicos disputaram pelo menos 1 GP - do Mundial da FIA - conduzindo uma Ferrari.

- Dois deles em equipes privadas e/ou não-oficiais. O restante, sempre pela Scuderia ferrari...
- Dois deles não nasceram em solo Inglês, apesar de serem cidadãos britânicos. Curiosamente, um destes é o piloto que menos disputou GPs com uma Ferrari e o outro é o que mais disputou GPs pilotando uma 'macchina rossa'...
- Dois deles foram campeões mundiais pela Ferrari (1958 e 1964)


Eis a lista:

Por equipes não-oficiais:
* Peter WHITEHEAD, 8 GPs (3 em 1950, 4 em 1951 e 1 em 1952)
* Reg PARNELL, 2 GPs (1 em 1951 e 1 em 1954)

Pela Scuderia Ferrari:
* Mike HAWTHORN, 35 GPs (8 em 1953, 8 em 1954, 3 em 1955, 6 em 1957, 10 em 1958)
* Peter COLLINS, 20 GPs (7 em 1956, 6 em 1957, 7 em 1958)
* Tony BROOKS, 7 GPs (em 1959)
* Cliff ALLISON, 6 GPs (5 em 1959, 1 em 1960)
* John SURTEES, 30 GPs (10 em 1963, 10 em 1964, 8 em 1965, 2 em 1966)
* Mike PARKES, 6 GPs (4 em 1966, 2 em 1967)
* Jonathan WILLIAMS, 1 GP (em 1967) - nascido no Egito, mas cidadão britânico.
* Nigel MANSELL, 31 GPs (15 em 1989, 16 em 1990)
* Eddie IRVINE, 65 GPs (16 em 1996, 17 em 1997, 16 em 1998, 16 em 1999) - nascido na Irlanda do Norte, mas cidadão britânico

(esqueci alguém na lista?)


Lewis HAMILTON será o próximo?
Acho difícil "largar" a Mercedes-Benz e se juntar à Ferrari tão cedo... talvez mais pro final de sua carreira...


um abraço,
Renato Breder

Cacto F1 disse...

Por enquanto Lewis não deve sair da Mercedes, que é a equipe que está dominando o campeonato. Acho que ele tem condições de ganhar o título deste ano, pois é mais piloto que Nico. Ir para a Ferrari enquanto Alonso estiver lá é impossível. Depois que o espanhol pular fora da Scuderia a coisa fica provável, ainda mais se Hamilton tiver se tornado bi campeão ! www.cactof1.blogspot.com.br

David Félix Krapp disse...

Nao sei Corradi pode haver um movimento interessante nas cadeiras, uma possivel saida de Choronso pra McLaren, Hamilton na Ferrari e Bottas na Mercedes... apesar de que eu prefiro o Hulk ao Bottas... senao em 2015 em 2016...

E na minha opiniao tudo que o Hamilton e hoje e reflexo direto do que ele viveu nos dois anos iniciais da carreira, a briga com o Alonso em 2007 com o Ron Dennis ao inves de administrar o que aconteceu, ele mimou o Lewis e chutou o Choronso... o titulo precoce... o cara se acha o Senna, sendo que pra mim ele e mto mais Mansell...

Felipe disse...

Hamilton na Ferrari. Assim certamente Alonso fica cotado pra Mercedes. Tudo oq Alonso quer na vida. Botas deve ficar na Williams. E Nasr logo substitui Massa.

Emerson Fernando Pippi disse...

Antes de um piloto, a Ferrari precisa de um chefe de equipe.
Saiu Domenicalli, entrou um pior.