terça-feira, 5 de agosto de 2014

Conversa com o Tordo























Deserto de ideias.

Fernando Alonso rasgou.

Assim diz o Tordo.

"Ele quer mais de 100 milhões de Euros pelas três temporadas!"

As três temporadas vão de 2017 até 2019 (caso você esteja distraído).

Tanto assim? - Pergunto.

"É o preço a ser pago pelo deserto de ideias..."

Então a proposta da McLaren deve ser realmente boa. - Replico.

"Sim, magnífica..."

Não há opções? - Insisto.

"Bianchi é ótimo.

Um ser criado pela academia da Scuderia para acumular pontos.

Mas o francês é Barrichello, e não Schumacher.

Não vejo confiança em Maranello para entregar o futuro ao rapaz.

Futuro em termos...

O futuro da Ferrari se mudou para a Mercedes com Aldo Costa e seu pequeno
exército italiano."

Exército italiano? - Estou curioso.

"Sim.

Toda a parte de design da Mercedes não fala alemão e está aproveitando as férias.

(Merecidas)

Na volta estarão 100% debruçados sobre a máquina do ano que vem.

Eles precisam correr contra o tempo."

Mas alguns estão prevendo outra temporada tranquila para as flechas de prata
em 2015.

Haveria uma ameaça da Ferrari? - Esperando a resposta.

"Não, meu amigo.

Com o Avvocato no comando tudo seguirá confuso na bota.

Eles já sabem que o problema é outro.

Newey.

O mago já tem todas as respostas..."

5 comentários:

TheEltonToptec disse...

Espero que a Renault também as tenha. As respostas, digo.

Ron Groo disse...

A pedida do espanhol é igual a pedida do inglês aos alemães.
Coisa feita para não ser aceita.

Bem Ditto Risotto disse...

Lembremos nós da descrepância de valores na era schumacher : outros em se comparando com a atual!
Trata-se de apelo ao escasso talento atual com objetivo único de propagar a respectiva marca ao invés de lutar/ buscar vitórias sem dó e muito menosuma parceria interna em equipe...
Chega de mascarar objetivos com grana ... Kcete!!!!
Aperta o da direita e lute ....

Fabrizio Salina disse...

Lendo sobre perspectivas da indústria automobilística, me recordo de que as previsões para o grupo FIAT não são as mais "auspiciosas". Se esse cenário próximo (coisa para 10 anos) se concretizar, certamente terá repercussões na Ferrari. Se a equipe for esperta, moverá forças para consolidar sua influência na distribuição dos recursos da categoria. Só aí terá garantida autonomia financeira a médio prazo, nos moldes de equipe grande. E a FIAT? Esqueça.

Alfredo Aguiar disse...

O espanhol e o Inglês estão jogando milho no terreiro. A Mercedes não precisa do Hamilton e a ferrari repassa qualquer pedida ao banco compatriota do piloto que paga ou dá risada, aí depende do balanço anual. Quando os japoneses escolherem o gajo para ocupar o tal bem pago acento, os "sobrantes" voltam com a colinha entre as pernas, quem sabe nem por ausência de talento , mas por falta de cockpit!!!