sábado, 7 de março de 2015

Rascunho Cizânia



























Imagem de Albert Park.

Em outros tempos, claro.

Circuito pós-Senna da Fórmula 1.

Olhando a lista de vencedores encontramos o Físico e Irvine.

Dos que ainda estão por aí?

Button, Vettel, Rosberg, Hamilton, Raikkonen e Alonso.

Todos já cruzaram a linha de chegada em primeiro lugar.

Curiosidades.

Na década de 50, Stirling Moss venceu algumas provas.

Separando por categorias, Bruno Senna possui o recorde de volta mais rápida
da pista utilizando um Fórmula 3.

Michael Schumacher ainda é dono do melhor tempo absoluto.

Alain Prost está defendendo abertamente que a Renault volte a ter uma equipe
própria na categoria máxima do automobilismo (na Fórmula 2 também).

No paddock parece que existe o consenso que a parceria com a Red Bull já
deu o que tinha que dar.

O desgaste é visível.

Os projetos de Adrian Newey necessitam de respostas rápidas.

Seus carros mais parecem empacotados a vácuo pela carenagem.

O que gera muito calor e perda de desempenho se o motor não tiver um projeto
arrojado.

Reclamação e frustração.

Quebras contantes que interrompem os testes e apontam para mais uma temporada
desgastante.

Do lado do energético existe a busca por soluções.

Alternativas.

Tentaram a Audi.

E agora existe um olhar para a Cosworth.

Lembrando que a tradicional marca inglesa já empurrou os carros da Red Bull
em 2005 e Toro Rosso em 2006.
























O projeto da unidade de força, atualmente utilizada na Fórmula 1, existe.

Foi engavetado por falta de clientes.

Com duas equipes, estrutura e muito dinheiro, a Cosworth teria tudo para retornar
ao jogo.

Essa história do Giedo Van der Garde com a Sauber está caminhando para uma
confusão daquelas.

Não sei qual o real objetivo do holandês.

Cabe notar que a McGregor, pricipal patrocinador do piloto, não tirou de seu
site a página sobre a Sauber.

Alguém precisa interferir e mediar um acordo entre as partes.

Parece haver muita mágoa.























Por fim.

Bernie Ecclestone sinalizou que um acordo está próximo para solucionar o
caso "Nurburgring".

E um lembrete: o Blog não publica mais comentários anônimos, OK?

11 comentários:

Marcos José disse...

Parece que a Audi até apresentou o protótipo da sua unidade de potência numa reunião agendada e secreta com o dono da Red Bull e com a promessa de fornecer a sua unidade já pra 2017! Talvez este motor da Cosworth sejá o mesmo protótipo da Audi (a marca alemã teria comprado o projeto da Cosworth?)que foi apresentado ao dono da Red Bull na reunião em que eu mencionei acima, já atualizado e pronto pra usar. Pelo jeito a Renault não estará na F1 para depois de 2017 (caso ela não consiga comprar umas das equipes como Force India, Sauber e até mesmo a Lotus). Mais um problema pra Monisha resolver mas se tem alguém que não está gostando nada desta história toda é o Peter Sauber.

Marques disse...

Acho interessantíssimo a Renault voltar para a F1 como construtora. Tomara que comprem a Lotus.
E ele tem de dar um pé na Red Bull. Quando ganha é Red Bull quando perde é Renault. Red Bull que tomou o lugar da Ferrari como equipe mais babaca da F1 (inclusive a mudança na cúpula da Scuderia parece ter sido boa, Arrivabane vem muito bem nas declarações), a declaração do Horner dizendo que se preocupa com a F1 se a Mercedes dominar de novo foi uma das coisas mais ridículas que eu já li nesses últimos anos.

Anônimo disse...

Bela foto de Melbourne!

A pista onde as velozes charretes trafegam não faz parte do atual circuito... este circunda o lago ao alto da foto...

O Mundo tinha mais espaço, menos gente, e o tempo parece que passava mais devagar...

-----

A Renault é mesmo um ioiô... vai e volta na F1... com equipe própria, só como fornecedora de motores, some, volta como fornecedora de motores, compra uma equipe, continua como fornecedora de motores, quer voltar com rquipe própria.... ´r uma "lenga-lenga"!

-------


Começa logo, temporada 2015!!


um abraço,
Renato Breder

PS: não é um comentário anônimo!

Humberto Corradi disse...

Amigo "concorrente do Google" Breder!

Basta apenas uma identificação no final da mensagem.

É que para alguns isso parece um sacrifício.

Valeu.

Daniel Chagas disse...

Se a Red Bull não conseguir uma boa fornecedora de motores, não dou 3 ou 4 temporadas para eles saírem fora. Ainda mais que eles já não estão mais vencendo. A equipe não tem a f1 no sangue, é que nem toyota, renault, honda,bmw etc quando cessam as vitorias ou simplesmente os resultados custam a vir eles chutam a f1, é isso que a red Bull vai fazer, simples.

David Félix Krapp disse...

Eu espero q fechem com a Audi, seria sensacional a Volks na F1 finalmente... Daniel, discordo de vc, nao creio na saida completa da Red Bull, eles podem ate vender uma das equipes, mas na minha opiniao eles gostaram da brincadeira...

Ja a Renault sim, isso e circo, um entra e sai sem fim, q eles comprem o q restou da Caterham, ou sei la a Lotus q tb era Renault.... a briga deles com a Red Bull e simples, alemao e conheciso por ser turrao, a Red Bull e da Austria mas a cultura e a mesma, e o Newey e perfeccionista, ou seja, a Renault tem q se adequar a eles e nao o contrario (na visao da Red Bull)... e o alemao tenta, insiste, mas se nao da certo por mto tempo, ele troca sem pestanejar...

E do van der Garde deve ser complicado, apesar de ser claramente choro de menino mimado... mas imagina vc ter um acordo e nao poder correr, especialmente depois de ver a Sauber andando bem... mas se a Caterham estivesse ai e ele confirmado la com certeza nada disso ia estar acontecendo...

marcio gl disse...

Van der Garde entrou nessa briga porque viu que o carro da Sauber é bom e quer garantir um resultado nas primeiras provas.

Diogo Moura disse...

Essa temporada promete muita confusão extra-pista. Eséro que nehum pilto seja "desacordado pelo vento forte" da Austrália....

Marques disse...

Renaul entra e sai sem fim?
A marca, desde que introduziram o motor turbo só ficou de fora da F1 em 1987, 1988 e entre 1998 e 2001.
De resto sempre esteve lá ou como equipe ou como fornecedora de motores.

Ron Groo disse...

Eu também tenho a nítida impressão que a parceria Renaul red Bull já deu, mas por que a Renault tem sido incompetente.
Há quem diga, e eu sigo, que com um motor Mercedes ano passado, o carro da Red Bull teria ganho todas, TODAS as corridas.

Daniel Chagas disse...

Marques, estou me referindo a equipes e não a fornecedores de motores. Sei que a Renault está na f1 há anos como fornecedora, e isso é louvável, mas como equipe própria me desculpe, não tem compromisso nenhum. Apenas compare com Williams, Mclaren e até incluo a Sauber nessa. Como equipe tenho muito mais respeito por essas três.