sábado, 19 de dezembro de 2015

Umas Linhas sobre Felipe Massa




















Vencendo todos na F3000.

Assim Felipe Massa despertou o interesse da Ferrari.

A Scuderia Italiana foi boa com o brasileiro.

O criou dentro da Fórmula 1.

Deixou-o assando na grelha da Sauber até que estivesse dourado pronto para
vestir o lendário macacão vermelho.

Mais ainda.

Deu oportunidade para que disputasse o título.

Com a marca de Maranello, alcançou um lugar na Williams.

Outra equipe de peso.

Tradição conta na categoria máxima do automobilismo.

E lá se vão 13 temporadas!

Poderíamos fazer uma avaliação de sua performance?

Os números costumam ser cruéis.

Um pouco de interpretação sempre é necessária.

Nos primeiros anos na Sauber, Felipe enfrentou três companheiros diferentes.

Perdeu nos pontos para Nick Heidfeld e Giancarlo Fisichella.

E derrotou Jacques Villeneuve.

Olhando mais de perto podemos ter uma visão interessante.

Nas oito provas em que os dois pilotos terminaram, Massa venceu Heidfeld
por 5 x 3.

Nada mal para um estreante.

No mesmo quesito, bateu Villeneuve (9 x 3) e perdeu para Fisichella (3 x 10).

2006.

Massa se tornou titular na Ferrari e de cara enfrentou Michael Schumacher.

O brasileiro perdeu tanto nos pontos como em provas que ambos terminaram
(11 x 3).

A história se repetiu com Kimi Raikkonen em 2007.

O finlandês além de sido superior nos pontos ainda chegou nove vezes à frente
de Massa.

Fechando uma temporada melhor que Felipe (9 x 4).

Uma observação para Interlagos, claro!

No ano seguinte, Massa deu o troco tanto nos pontos como em corridas que
ambos terminaram.

E foi muito bem quando os dois cruzaram a linha de chegada!

O placar (8 x 3) entrega.

Por conta da molada na cabeça, vou desconsiderar 2009.

Se bem que alguém já me disse que o drama de Felipe Massa fez com que a
Ferrari o mantivesse em suas fileiras ao lado de Fernando Alonso para 2010.

Felipe ainda estava sob contrato.

E faltava um nome para substituí-lo.

A dúvida acabou no meses finais de 2010.

Robert Kubica estava na mira para entrar em seu lugar em 2012.

Outro acidente, outro destino.

História.

Voltando.

Massa foi derrotado nos quatro anos em que dividiu a equipe com Alonso.

Em todos os quesitos.

Nas corridas em que os dois completaram, destaque para 2012 (16 x 0) e
2013 (15 x 1) pelo domínio absoluto de Ferdi sobre o brasileiro.





















Já na Williams, Massa encontrou um páreo duro.

O nivelamento impressiona.

Valtteri Bottas derrotou Felipe nos pontos nas duas temporadas em que
estiveram no time de Frank.

Porém há muito equilíbrio ao analisarmos as provas em que Bottas e Massa
puderam concluir juntos.

Tanto em 2014, em que o brasileiro levou vantagem (8 x 6), como no empate
de 2015 (7 x 7).

Felipe Massa não vem fazendo feio na Williams.

Valtteri Bottas é bom piloto.

OK.

Entretanto causa incômodo ver números tão semelhantes.

Continuo com a impressão que o carro da Williams merecia alguém mais talentoso.

Mas como atrair os tops com pits atrapalhados e estratégias tão modorrentas?

Mesmo assim o cockpit da equipe ainda desperta interesse dos mais jovens.

E dos endinheirados.

Pensando bem, a Williams e Massa hoje se completam.

Massa não tem cacife para buscar lugar entre as grandes escuderias.

Assim como a Casa de Grove precisa de uma escada para colocar Bottas na
vitrine e tentar uma venda futura de seu contrato.

De qualquer forma, Claire Williams quer ver o finlandês como seu primeiro
piloto no ano que vem.

Uma aposta lógica pela idade e capacidade já demonstrada.

Ainda com a sombra do noviço e rico Stroll, a tendência é que seja um ano difícil
para Massa.

Talvez seu maior desafio.

Final de carreira, dinheiro, seu time olhando para o futuro...

Muita coisa contra.

Felipe vai precisar ser mais guerreiro do que nunca!






















6 comentários:

Anônimo disse...

"Bate-e-Amassa" já está com prazo de validade expirado. . .e não é de agora não, já faz um tempão!
Vão passar a vida dizendo "what if" em relação à 2008. . .mas ele nunca mereceu ser campeão!
E não perdeu por culpa do "Junior" não, fez muita besteira também, Silverstone por exemplo foi o "ó do borogodó"!
Abraço.
Zé Maria

David Félix Krapp disse...

Ze Maria, concordo com Silverstone, mas discordo de todo o resto...

Felipe sempre foi arrojado e combativo, em 2008 se Felipe teve Silverstone, a Ferrari teve Hungria e Cingapura so pra citar aqui de cabeça... fora as outras cagadas que eu nao lembro...

E mes desculpa, mas o "ó do borogodó" e perder o campeonato por causa de uma corrida manipulada...

De resto, não sei voce Corradi, mas após o Senna o único piloto brazuca que parecia ter cojones pra aguentar a pressão e ser campeão e o Massa...

Renato Santos disse...

Ele era conhecido como Fearless Felipe. O cara que não tem medo. Ele pilota muito, não estamos falando de uma categoria qualquer, se a Fórmula 1 não é o padrão, o que é, então? Está taco a taco com o Bottas, que é muito bom e evolui tão rapidamente que é lógico haver a participação do Massa nesse desenvolvimento do guri. Segundo a Claire, Bottas só erra uma coisa uma vez.

Anônimo disse...

David, boa noite.
Respeitando seu ponto de vista, acho apenas o seguinte:
Fossem diferentes os resultados de Silverstone e Hungaroring, o campeonato seria dele, mesmo com o crime cingapuriano.
O que não dá para aguentar é o lero-lero de que ele "foi campeão por 50 segundos" por conta do que houve em Interlagos!
E a culpa ainda é do alemão, que segundo os ditos "entendidos", entregou a posição para o Hamilton! Falaséééério!
Abraço.
Zé Maria

LGD disse...

Corradi, confesso que quando alguém decide falar sobre os pilotos brasileiros "pós-Senna" eu fico receoso de ler os comentários e não entendo tamanha pequenês. Talvez por eu ter começado a acompanhar a F-1 de 1997 em diante, embora lembro claramente de algumas corridas antes disso, inclusive Imola 1994, sei valorizar os pilotos nacionais ou não que passaram pela F-1 desde então.

Lembro muito bem dos jornais estrangeiros elogiando muito o Felipe Massa quando de sua entrada na F-1,lembro que em uma temporada na Sauber ele foi o piloto que mais fez ultrapassagens.

Claro, assim como grande parte dos que acompanham a F-1, percebo uma certa "queda de velocidade" nele, sem nem saber se isso de fato existe, mas acredito que sim, pode ser algo relacionado a idade, sei lá, mas isso não quer dizer que ele seja o pior piloto de F-1 do mundo como pintam.

Humberto Corradi disse...

Ele não é o pior piloto do mundo. Faz um bom trabalho. Mas a comparação com outros pilotos melhores é inevitável. A geração atual é excelente e ser bom neste meio faz parecer que Massa é apenas mais um. Felipe é bom, repito, entretanto há alguns espetaculares entre seus pares.

Valeu