sábado, 20 de fevereiro de 2016

Pequenas Passagens






















Ele não era italiano, claro.

Mas nasceu num lar de sicilianos.

Por isso Alesi sonhava com a Ferrari desde a sua infância.

Corta.

1990.

O francês arregalou os olhos da Fórmula 1 após uma performance memorável
contra Ayrton Senna em Phoenix.

O piloto da Tyrrell havia se tornado uma surpresa desejada por outras escuderias.

Um acordo com a Williams foi feito para a temporada seguinte.

Mas a notícia de Mansell abandonando a categoria fez tudo mudar.

A Scuderia precisava de Alesi.

O piloto ficou aos pés de Frank Williams.

Implorou por liberdade para que ele pudesse realizar o desejo de sua vida.

Frank se comoveu e rasgou o contrato.

Um coração de ouro...

Porém no ato impôs duas condições.

Pequenas.

A primeira envolvia dinheiro.

Williams exigiu que os italianos pagassem 4 milhões de dólares de indenização.

A segunda foi inusitada.

O dirigente inglês pediu um Fórmula 1 original da Ferrari.

O que aconteceu?

Alesi realizou seu sonho.

Frank ficou um pouco mais rico.

(resolveu o problema da vaga assinando com Mansell)

E tempos depois, em 1993, uma caixa misteriosa e enorme proveniente de
Maranello chegou a Didcot, antiga sede da Williams.

Dentro estava o modelo Ferrari 641 usado na temporada de 1990.

O bólido ficou por dez anos no museu particular da Williams.

Até ser vendido.

Sua localização atual é desconhecida.


15 comentários:

Cristofer disse...

O que seria do mundo do automobilismo se o Alesi fosse pra Williams nessa época de ouro!

Eu torcia muito pro Alesi, lembro das corridas, do acidente em Montreal que ele acertou o carro do Naninni que já tava fora da pista... Tudo marcou na infância! Sou de 84 e sempre acompanhei.


GO ALESI!!

Tuta Santos disse...

Esses dias encontrei um pedaço de arame nas minhas coisas. Era do champanhe que abri para comemorar a vitória do Alesi no Canadá!

Tuta Santos disse...

Humberth, os meninos estão com sede e não temos mais histórias!

Marcos José disse...

Acho que Jean Alesi perdeu a grande chance de sua vida quando assinou este contrato de 1991 com a Ferrari...Nigel Mansell já estava assegurado para correr pela Williams em 1991, o piloto francês entraria no lugar do Patrese mas com toda está "confusão", o piloto italiano foi mantido por mais 2 anos na equipe.

Jeferson Araujo Pereira disse...

Frank pedindo uma Ferrari na negociação:bizarro! Surreal!

Diogo Moura disse...

Poucas vezes fiquei tão contente com o desfecho de uma corrida do que com a vitória dele no Canadá em 95. Muito legal mesmo.

Clube do Fusca de Áurea disse...

Todo mundo ficou contente com a (única) vitória do Alesi na F1. Esse fato foi noticiado pela imprensa de todo o mundo...
Legal saber esse desejo do Frank Williams... Será que ele queria para apreciar ou para "copiar" cada detalhe do carro?

Eduardo Casola Filho disse...

Claro que hoje em dia é fácil ver que a escolha do Alesi foi bem errada, mas em 1990, fazia algum sentido a decisão tomada.

A Williams ainda estava arrumando a casa após a saída da Honda e a parceira da Renault já demonstrava alguns frutos, mas não o bastante para acharmos que seria um super carro (afinal Adrian Newey ainda era uma aposta)

Enquanto isso, a Ferrari era a segunda força consolidada, e em 1990, teve momentos em que foi melhor que a McLaren. Estar lá era uma ótima opção, ainda que ele poderia usar o primeiro ano para se adaptar e aprender muito com o Prost.

O problema é que deu tudo errado e o destino foi cruel com a carreira do siciliano.

Jose Ivanildo disse...

Corradi. Explica pra nós oq seguinifica a letra E na carroceria do f1

guto surian disse...

A maior cag... que Alesi fez em sua vida...

Humberto Corradi disse...

Jose Ivanildo

Todos os carros são equipados com um sistema de extintor de incêndio para o cockpit e motor que pode ser acionado pelo piloto através de um botão interno.

Aquela letra E serve para indicar a localização do local onde esse mesmo sistema de segurança poderá também ser acionado através de outro interruptor só que externamente.

Valeu

Ituano Voador disse...

A escolha de Alesi foi muito correta, quando analisada no contexto da época: primeiro, era o carro que disputava com a McLaren a primazia nas pistas; segundo, era a Ferrari! É fácil analisar olhando para trás, mas como adivinhar que o carro de 91 seria aquela josta toda, depois de terem disputado palmo a palmo o título de 90? E como exigir que Alesi escolhesse diferente, depois de ter revelado o sonho que teve com Enzo Ferrari na adolescência?
Abs

Lord Smille disse...

Corradi... tem uma coisa que estava reparando e que não vi nenhum site comentando nos novos carros.
Vc reparou que Ferrari, Redbull, McLaren parecem ter mudado o parafuso das rodas? Pelo menos o centro da roda mudou.
Reparei que Willians continua exatamente como era no ano passado.... Acho que a novela dos Pits da Willians vai continuar este ano.

Jose Ivanildo disse...

Muito obrigado pela resposta. Tbm sou apaixonado pela f1, se não for encomodar vou fazer outras perguntas e seu blog e o melhor q ja vi sobre f1, PARABÉNS

Diogo Oliveira disse...

Vendo o início do post sobre a performance primorosa do francês nos EUA, me lembrei de suas largadas no GP da Itália, daquele mesmo 1990. Foram primorosas. Pena que, na sequência, rodou e saiu da pista.

Abraços!