quinta-feira, 14 de abril de 2016

Rascunho Arraial d'Ajuda



























Agora sim.

Sem faltar ninguém!

Depois de muito tempo parada, Carmen Jorda fará o seu retorno às pistas.

Será neste final de semana competindo pelo Renault Sport Trophy.

Convido que voltemos nossos olhares para a Williams por alguns instantes.

Por que?

Surgiram notas interessantes sobre a equipe inglesa nos últimos dias

A escuderia britânica garantiu um orçamento inicial para esta temporada de
cerca de 120 milhões euros.

Essa grana tem origem no Pacto de Concórdia, premiação por classificação e
o extra da FOM.

Mas isso tudo está distante dos planos originais de crescimento.

E a busca pelo título mundial.

O ideal seria contar com 250 milhões de euros no caixa.

Para isso acontecer é necessário buscar um patrocinador master que cubra o
restante.

OK.

Coisa que todo mundo quer na Fórmula 1.

O que fazer?

A Williams descartou envolvimento acionário da família Stroll.

Apesar de Lance Stroll estar com seu futuro entrelaçado com Grove.

Mas aí surge uma pista do que deverá acontecer.

Claire Williams falou outro dia sobre o modelo "Pastor Maldonado" de negócio.

E que na categoria máxima do automobilismo até Fernando Alonso leva dinheiro
para a McLaren.

Juntou as peças?

Claire começa a justificar a entrada de um piloto pagante.

Assim, fica claro que, um dos assentos da Williams está à venda para 2017.

Falando em Williams, Valtteri Bottas deverá usar com exclusividade novas peças
na China.

Novo bico e nova asa dianteira.

A Mercedes vai trocar a caixa de marchas de Lewis Hamilton.

Por isso o atual campeão perderá 5 posições no grid.

Depois de Guan Yu Zhou ter se juntado a Academia Ferrari de Pilotos, agora a
Renault fecha com o jovem Sun Yue Yang.

Tudo pelo mercado automobilístico chinês.

Por fim.

Bernie Ecclestone e Gerhard Berger revelam que a Mercedes ajudou a Ferrari a
desenvolver seu bólido.

Sim.

Houve troca de tecnologia entre as gigantes.

Achou isso uma coisa sem pé e nem cabeça?

Ecclestone explica.

A propaganda fica melhor se você derrotar uma Ferrari ao invés de outra equipe
menor que usa o mesmo motor Mercedes.

Se você não sabe, isso não é uma coisa inédita.

Quando a Honda dominava a F1 (com a McLaren) também teve a mesma atitude
com a Scuderia Italiana.

A realidade pode ser às vezes bem sem graça, não?














12 comentários:

Renato Santos disse...

Estou vendo coisas, mas me parece que as compradoras de motores mercedes estão sendo mantidas num determinado patamar.

Renato Santos disse...

Com efeito de carro passando: ...ooooOOOBRIIIGAAADOOOoooo...

Fidel Miño disse...

Excelso Corradi!!
Para que o esporte tenha graça, as vezes é melhor ser ignorante...

Fidel Miño disse...

Essa foto do Kimi é falsa. Seu copo só tem agua.

Renato Santos disse...

Quem ainda falta na foto?

Fidel Miño disse...

Renato:
Grosjean, Haryanto e Magnussen

mpg Arte disse...

Erraram no marketing mais uma vez, teria muito mais visibilidade na mídia se essa ajuda fosse um "plano de espionagem".
Será que a discórdia entre Senna e Prost de fato existiu?
Será que Senna foi mesmo assassinado por um tiro?
Emerson Fittipaldi está mesmo sem dinheiro, ou voltará a correr pela Mc Laren para saldar suas dívidas e se tornar o mais jovem e mais velho campeão mundial?Estas perguntas nem o tordo seria capaz de responder.
Abraço
Marcelo

Fabrizio Salina disse...

Faz todo sentido essa transferência de tecnologia.
Se a Mercedes ficar sozinha na frente, abrem-se os argumentos por mudanças de regulamento, por alterações de motor etc. Com uma concorrente em potencial, os patrocinadores agradecem, as corridas se tornam menos previsíveis, e a Ferrari consolida a segunda posição (sorry, Red Bull), encurtando a distância.
Como tem muitos recursos, pode ser que consiga, em algum momento, dar um salto maior que o esperado, o tal "achar alguma coisa no carro". E assim caminha a humanidade.

Roberto Filho disse...

Boa tarde Humberto! Primeira vez que comento no seu blog, apesar de acompanha-lo todos os dias.
Sobre esse rascunho seu, gostaria de pontuar duas coisas:

1) A Williams sera que ainda não aprendeu a lição? Pilotos pagante garantem sim uma boa receita,mas se ela quiser ser novamente campeã do mundo tera que atrair uma montadora, e preferencialmente uma das grandes que tenha capital para rivalizar com Mercedes (Daimler) e Ferrari (FCA);

2) Sobre o envolvimento da Ferrari com a Mercedes não acredito tanto nesta teoria e nem nas declarações do Velho Gaga e do Berger. Pode ter acontecido uma cooperação? Pode mas não a ponto de influenciar tanto assim o desempenho da Ferrari nesta temporada. A evolução é constante e o que eu vejo na Ferrari são muitas inovações e itens nada convencionais no bolido deles.

Agora Humberto, uma pergunta bem simples e boba... O Tordo saberia dizer o que é a HAAS? Até onde Maranello inlfuenciou na construção do carro? Ele poderia esclarecer pra nós isso?

Forte abraço e continue assim com este ultimo refugio de informação realmente relevante sobre F1 em lingua portuguesa da Internet!

RobertoFilho

Humberto Corradi disse...

Roberto Filho

Só da Haas contar com a consultoria da Ferrari já a torna uma equipe competitiva. Além disso possui a unidade de força de 2016, diferente da Toro Rosso.

Os próprios pilotos da STR já relataram a diferença que há entre a versão de 2015 utilizada por eles em comparação com a da Haas.

Diferenças entre Ferrari e Haas?

O chassi Dallara, não contar com a mão de James Allison na aerodinâmica do carro, mapeamento do motor, pilotos, evolução...

Acho que a Haas usa muito dos conceitos do carro de 2015 da Ferrari.

Valeu

Jeferson Araujo Pereira disse...

Sem lugar no restaurante (dizem que foi uma pizzaria) para um photoshop: por falta de espaço, não dá para incluir o Grosjean, Haryanto, Palmer e Magnussen na foto.Uma pena eles não terem ido.

Valeu pela inclusão do Kimi.

Daniel Chagas disse...

Já comentei isso aqui, mas insisto, a Williams está dando murro em ponta de faca enquanto for uma equipe cliente, só se eu estiver errado mas acho muito difícil uma equipe que não tenha um apoio irrestrito de alguma montadora conquistar o título. E mais uma coisa, se for para ter uma vaga pagante em 2017 que seja de um piloto top, pq não o Fernando Alonso? Já que tem piloto dessa qualidade que trás dinheiro a Williams tem que ser mais audaciosa na escolha de seus pilotos, pois uma coisa é ter um Fernando Alonso no carro e outra qualquer Pastor Maldonado da vida. Um piloto talentoso e inquestionável traria um upgrade imediato para a equipe. Mas duvido que algo similar aconteça.