terça-feira, 5 de abril de 2016

Rascunho de Cristal
























Amigos.

Eles são adversários apenas nas pistas.

O desejo de tomar a Fórmula 1 pra si, prevalece.

As fabricantes avançam.

A Sauber está na mira.

Caso a mudança de regulamento para 2017 seja confirmada, o fim do time suíço
está decretado.

Não há recursos para desenvolver um projeto novo.

Assim a Ferrari se aproxima com o plano "Alfa Romeo".

Mais.

O sagaz Sergio Marchionne está empenhado em conseguir convencer uma nova
gigante automobilística a entrar na categoria.

O objetivo?

Encontrar na indústria alguém para fornecer unidades de força para os carros
da Red Bull.

Dessa forma Marchionne acabaria assim com a dependência de Milton Keynes.

E traria a rica turma dos energéticos de uma vez por todas para suas fileiras.

O que seria o golpe fatal para Bernie Ecclestone na guerra com as fabricantes
pelo domínio da categoria máxima do automobilismo.

A sinceridade de Hasegawa (Honda) comove.

"Em três anos poderemos ser capazes de conquistar o título mundial.

Essa é nossa meta"

As costelas de Alonso devem estar doendo mais depois dessa.

Outra?

Eric Boullier (McLaren) afirmou que Vandoorne é o futuro Alonso.

Entretanto o francês fez questão de deixar claro que o jovem piloto belga não
está garantido como titular na próxima temporada.

Ouço que a Renault não está nada satisfeita com a performance de seus pilotos.

A coisa está feia para Kevin Magnussen e Jolyon Palmer.

O nome de Sebastian Buemi começa a ser falado nos corredores de Enstone.

Lewis Hamilton reconheceu que a Ferrari parece ser tão rápida quanto a
Mercedes.

Mas também notou que a máquina da Scuderia Italiana é frágil como cristal.

Hamilton que conseguiu duas poles.

E, surpreendentemente, só liderou uma volta!

Por fim.

Falando em dados, olha que interessante os melhores tempos por setor no
Bahrein.














13 comentários:

Al Unser Jr. disse...

Para variar outro excelente post.

Sobre a Renault, acho ainda muito cedo para trocar de pilotos, ainda mais se é para por o Buemi, que é bem meia-roda.

OK, os atuais não são grande coisa(e não são mesmo) mas o carro e o motor, também não são.

Marcos José disse...

Corradi, seria a Ford (ou talvez a Hyundai; estas duas na minha opinião); a tal gigante que você menciona no Rascunho?? Não acredito na VW agora e nem na BMW (mas tudo pode acontecer, não é mesmo?)...porque o Grupo VW (através da Audi) já disse que não entra na F1 com este regulamento "confuso" atualmente empregado na categoria (ou isto seria mais um "jogo de cena" por parte do grupo alemão para mudarem o "dono da bola" que governa atualmente a F1 para reverterem a sua decisão??)!! É uma questão de tempo (ou de horas) para o Grupo FCA anunciar oficialmente a compra da Sauber?? Vandoorne já mostrou aos "pilotos veteranos" da McLaren que quando a equipe precisar dele, ele estará pronto para a missão!! Buemi na Renault (mas já!! então a coisa está mesmo feia por lá), Sauber virando Alfa Romeo (para dar mais "poderes" a Marchionne para concluir o seu plano de controlar a categoria a seu modo), Red Bull (provavelmente) caindo na "armadilha" do Marchionne para depois ser expulsa do esporte quando mudarem "os donos" da categoria no futuro (para depois de 2020) e a FIA de "braços cruzados" esperando o que acontecerá até 2020 nesta "briga" pelo poder na F1...

Jeferson Araujo Pereira disse...

Sobre a declaração de Hasegawa (Honda):ele vive em um universo paralelo, ele vive em outro planeta, enfim...

Jefferson disse...

Chara, a regra numero 1 é, jamais subestime seu adversário, se ele for japonês, ao quadrado!

Jefferson disse...

Corradi, sobre o seu quadro dos tempos do Bahrein isso significa que eu estava certo???

Adalberto Camargo disse...

Interessante as parciais.

Humberto Corradi disse...

Jefferson disse...
Corradi, sobre o seu quadro dos tempos do Bahrein isso significa que eu estava certo???

Não entendi.

Eduardo Casola Filho disse...

Sobre a Renault, não que a dupla atual seja a melhor da paróquia, mas é nítido que o problema maior está no carro e no motor. E o Buemi não é tão melhor que os atuais pilotos da equipe gaulesa.

Basta ver os últimos vacilos do suíço na Fórmula E, onde está se complicando na briga de um título que estava quase certo no começo do campeonato. A situação só não é pior por causa da desclassificação do Di Grassi no México.

Eduardo Casola Filho disse...

Marcos José, sobre a VW, a declaração que citaste foi do Ferdinand Piech, que sempre declarou ódio mortal ao Bernie Ecclestone.

Mas como o germânico saiu do comando da montadora, o caminho para a entrada da Audi na F1 estava livre e a entrada seria via Red Bull em 2017 (o Corradi já falou disso). Porém, com o estouro do Dieselgate acabou melando tudo.

Anônimo disse...

Não sei porque tanta confiança na Honda.
Os últimos anos da Honda na F1, antes de voltar na Mclaren, foi ridículos.
Quando finalmente fizeram um carro bom, o motor era ruim então a Brawn comprou o carro, colocou motor Mercedes e foi campeão.
Que pena do Alonso e do Button. Dois grandes pilotos numa equipe que mergulhou para o abismo com péssimo motor.

Jakson Gomes disse...

Corradi, uma observação sobre esses tempos por setor. Segundo eles, se você somar as parciais do Rosberg você tem 1:34:482, que foi realmente a melhor volta da prova. No entanto, somando as parciais do Raikkonen, o total é de 1:34:537 mas, segundo o site grand prix, a melhor volta dele foi de 1:35:158. Apenas o registro.

Renato Santos disse...

Corradi, aquela tabela de setores fundiu minha cuca! Grato pelo post, este blog é o meu oásis.

Humberto Corradi disse...

Jakson Gomes disse...

As parciais de um mesmo piloto podem ter sido feitas em voltas diferentes.

Valeu