quarta-feira, 27 de abril de 2016

Rascunho Figurativo
























Já podemos contemplar as mudanças em Baku.

Vale lembrar que se for necessário preservar o piso original, antes se aplica uma
película plástica para facilitar a remoção da camada asfáltica após a corrida.

Na Renault, Kevin Magnussen admite a necessidade de derrotar Jolyon Palmer.

O jovem piloto dinamarquês sabe que sua permanência na escuderia está ameaçada.

Por isso ele precisa esmagar seu companheiro e impressionar os cabeças do time
francês.

Mas ninguém vai facilitar.

Tanto que Magnussen cederá seu carro para Sergey Sirotkin andar no primeiro
treino livre em Sochi.

Olhando o site da FIA podemos entender um pouco as mudanças para 2017.

A parte aerodinâmica (carros, asas e pneus mais largos) está decidida.

Nos outros pontos, apenas dois ainda estão pendentes.

Na forma, não no conceito.

Unidades de força mais baratas (qual valor?) e a garantia de fornecimento de
motores pelas fabricantes.

Figuras.

Flavio Briatore colocou o dedo em Monza.

Alejandro Agag (Fórmula E) sorri com o sucesso da categoria elétrica em Paris.

Lembrando que este empresário espanhol possui laços estreitos com Briatore e
Bernie Ecclestone.

Foram sócios em concessões de TV da Fórmula 1 e na empreitada futebolística
inglesa Queens Park Rangers.

Agag também tem um braço na GP2 e na sua unha passaram nomes como Vitaly
Petrov, Romain Grosjean e Lucas di Grassi...

Viktor Kharitonin se tornou o dono solitário de Nurburgring.

Sócio de Roman Abramovich (Chelsea) em diversos negócios, o bilionário russo
comprou as partes de direito que ainda estavam nas mãos de outros investidores.

John Booth se mudou para a Toro Rosso.

O ex-Manor vai tentar colocar ordem em Faenza.

Por fim.

O Tordo diz que a ideia na Scuderia Italiana, por enquanto, ainda é manter
Raikkonen mais um ano.

Grosjean permanece como a primeira opção para o lugar de Kimi.














13 comentários:

Jeferson Araujo Pereira disse...

Baku 1:se for permitido, quem ficar na sacada desse primeiro prédio poderá ver os carros a uma distância de apenas 3 metros.E de graça.

Baku 2: ainda bem que Pastor Maldonado está fora.Fiquei imaginando o que ele poderia fazer em um trecho da pista tão estreito.

Ferrari: insistir com Raikkonen é, no mínimo, burrice.Ele já é campeão, está acomodado, já deve ter pensado mil vezes em se aposentar,enfim...

Anônimo disse...

...as mudanças em Baku.

Tiraram as grades de proteção das calçadas...
Mas alguma outra proteção - guard-rail, soft wall? - terá que ser instalada ali.

Esse trecho da pista é estreitíssimo.
Mal cabe os dois diminutos rolos-compressores lado a lado... e olha que um deles é menor que o outro!

Os carros de F1 devem ser, no mínimo, da largura do maior dos dois rolos.
E no ano que bem estarão mais largos ainda!

Será que esse trecho da pista será um trecho de constante bandeira amarela?
Uma cópia da Fórmula Truck com seu radar na reta principal dos autódromos?

Certamente há lugares melhores para o circuito de Baku que essa Travessa...
Posso até queimar a língua, mas acho um risco desnecessário uma "apertura" dessas.
Está pedindo uma bandeira vermelha no GP...


um abraço,
Renato Breder

Renato Santos disse...

Grato, Corradi!

Daniel Chagas disse...

A atual fase da Renault requer um piloto experiente. Acho que eles poderiam olhar com atenção dois pilotos com esse perfil que estarão livres ano que vem, Jenson Button e Felipe Massa.

Renato Santos disse...

O problema é sempre de gestão:

de gestão de processos ou

digestão dos sucessos (alheios)

João Oliveira disse...

meio estreito para uma pista de corrida, mas poderia ser um acesso aos boxes.

ia ficar fantástico !!!

abraço

Leonardo Beretta Alvetti disse...

Corradi,

como serão as asas dianteiras a partir do ano que vem? Ouvi dizer que seriam como as hoje, porem maiores. Isso não é ruim? Pois não continuaria a dependência aerodinâmica enorme dessa asa, dificultando um carro seguir o outro? Não seria melhor asas mais simples como as vistas nos anos 2000?

Um grande abraço e, novamente, parabéns pelo blog!

Humberto Corradi disse...

Leonardo Beretta Alvetti

Coloquei aqui as mudanças

https://twitter.com/f1corradi/status/725675944988577792

Valeu

Carlos Gil disse...

Quando a ganância supera a inteligência acontece isto!

Esse troço do circuito de Baku é apertado até para pelotão de ciclismo profissional, e obviamente é de todo inadmissível para a F1 actual.
As protecções (guardas metálicas?) vão apertar ainda mais o local, e em caso de acidente nesse troço vai ser necessário parar o GP, pois ninguém conseguirá passar.

Se um Baby Doc da vida pagar o que "B. Ecclestone & Sus Muchachos" pedem, ainda vamos ver o GP do Haiti na City Soleil.
Business as usual...

Óscar Alho disse...

tou farto e cansado de cansa so fala mal da formula um

irra


e que tal pensarem que tal como no monaco so os melhores farao bons tempos nesta parte do traaçado


prefiro estes circuitos assim do que circuitos com largas escapatorias

Renato Santos disse...

Fórmula Um é um circo.
Circo se arma em qualquer lugar.
As pessoas querem charme,
Não há charme no cu do mundo.
O dinheiro, no entanto, é extremamente charmoso.
E sem dinheiro, o circo não existe.
Até existe, mas quem vai ao circo
se lá não houver o trapezista, o domador,
o palhaço, as feras?
Fórmula Um é uma competição de verdade
num mundo de fantasia.

Anônimo disse...

Insanidade. Depois morre piloto e não sabem o porquê.

Ever Rupel™ disse...

sobre Mercedes: estão sabotando o Lewis, pq querem Nico campeão?? pois sabem q num duelo direto Nico apanha feio