quinta-feira, 29 de março de 2012

Avenues























Bom dia a todos.

A Fórmula 2 no circuito de Pau em 1973.

A pista de rua francesa recebeu a categoria até 1984.

Jim Clark, Jochen Rindt e Jack Brabham são pilotos que venceram ali.

A partir de 1985 até 1998 o local foi utilizado pela  Fórmula 3000.

Nesta fase dois brasileiros venceram: Roberto P. Moreno e Gil de Ferran.

De 1999 até 2006 foi a vez da Fórmula 3.

Vencedores?

Citando os mais famosos: Ryan Briscoe, Lewis Hamilton e Romain Grosjean.

Nesse período somente um brazuca venceu.

Fabio Carbone.

De 2007 até 2009 somente provas de Turismo.

Destaque para a vitória de Augusto Farfus em 2008 defendendo a BMW.

12 comentários:

Verde disse...

Não é a minha pista favorita, mas reconheço que teve alguns grandes momentos. Veja esta vitória do Juan Pablo Montoya em 1998, por exemplo.

http://www.youtube.com/watch?v=yLkNQrMSLSM

Speeder_76 disse...

Consigo identificar alguns dos pilotos que estão na frente. O primeiro, no carro laranja, é o Brambilla. Depois tens o Cevért, Beltoise, o Depailler, no carro 9, o Roger Williamson, no carro 22, e suspeito que os carros amarelos, numeros 5 e 6 respectivamente, sejam pilotados pelos suecos Ronnie Peterson e Reine Wissell.

De facto, ver pilotos de Formula 1 na Formula 2 é estranho, mas esses eram os tempos...

André Candreva disse...

Corradi,

uma bela imagem...

época em que o grid era bem mais colorido... mesmo sendo F2...

abs...

politicamente_incorreto disse...

A F-2 não poderia acabar nunca, era uma categoria sensacional que chegava a rivalizar(?) com a F-1, muitos pilotos corriam nas duas, mas depois de um tempo - gancho para o Breder - os pilotos considerados graduados na F-1 - não sei o que decretava a graduação - não marcavam pontos.
Lembro de duas corridas que o Hans Stuck fez em 1976 no início da temporada de F-2 que realmente parecia um profissional jogando no time do dente de leite. Ganhou as duas, mas não pontuou, inclusive um dos herdeiros na época foi o Alex Dias Ribeiro.

Bons tempos aonde além de dinheiro - não se enganem, ele sempre foi necessário - havi amor, dedicação e a iniciativa de fazer bem feito. tudo isso acabou, o que vale é apenas o lucro, de preferência fácil e que se ferrem os que gostam daquilo.

Além de profissionais(?) de "marquetingue e popraganda" e um bando de neo bobos que recebem o ridículo nome de "CEO's" que preferem encher o rabo de estrelinhas globais e vagabundas de plantão de grana em campanhas publicitárias de gosto duvidoso ao invés d epor exemplo bancarem uma F-FORD, uma F-VW ou uma F-Renault.
Particularmente e coletivamente também não tenho dúvidas alguma que o melhor marketing para vender carros é mostrar competições de carros, essa era a lógica mais do que certa até a década de 80. depois disso os gênios da bestificação coletiva criaram essa nova onda aonde um campeonato inteiro que custa por exemplo 10 milhões de dólares é uma furada, mas pagar um cachê de igual valor para um inútil holliwoodiano fazer apenas umas duas peças publicitárias é o máximo....

Pobre mundo de merda aonde vivemos... não sei aonde vamos parar.....

Rubem Rodriguez Gonzalez

Rubem Rodriguez Gonzalez

fernando disse...

assim batendo o olho, dá pra identificar alguns pelos capacetes: a partir do carro azul n.9 - gerard larrousse, roger williamson no branco n22, françois cevert no canto direito, jean pierre jarier no vermelho em seguida, reine wisell ou henri pescarolo no amarelo atrás de jarier.
o cara no chevron branco e capacete branco não sei, os march da equipe beta acho que são; o vittorio brambilla lá no fundo, e aqui na frente não sei, talvez o irmão dele, o tino. ou o bruno giacomelli, mas não sei se já estava na F2 em 73, acho q não.

Marco Memoria disse...

Vittorio Brambilla,Depallier, Cevert, Williamson, Jarrier, Schenken, Wissel, Jaussaud, Tino Brambilla,Woleck, Birrell e ainda estavam inscritos para essa prova: Emerson e Wilson Fittipaldi, Peterson, Beuttler, Beltoise, Migault, Adamich, Walker, praticamente um grid de F1, demostrando o prestigio da gategoria naqueles tempos.

Anônimo disse...

Rubem e demais 'viciados',

demorei um pouco mas lá vai...

Achei na wikipédia... e dei uma traduzida...

"A invasão de pilotos da Fórmula 1 nas fileiras da Fórmula 2" - final da década de 60 e início da de 70, principalmente - "foi permitida por causa do 'sistema únificado de graduação' utilizado.

Qualquer piloto com um grau "A" não computava pontos válidos para o campeonato.

Um piloto recebia o grau "A" por vários meios (o que mudou um pouco ao longo dos anos), tais como: terminar na zona de pontos em 2 eventos de Grand Prix (corridas de F1), ou nas 3 primeiras posições em 2 eventos do Mundial de Carros Esporte.

O campeão da temporada de Fórmula 2 também recebia o grau "A" por 1 ano. E o campeão da temporada de Fórmula 1 recebia o grau "A" por 5 anos.

Este sistema permitia que pilotos menos expeientes disputassem o campeonato e avançassem em suas carreiras, ao passo que permitia ao pilotos veteranos manterem-se em ação durante os longos intervalos entre os Grand Prix daqueles tempos."

É isso!

um abraço,
Renato Breder

fernando disse...

Tim Schenken no Chevron...bem achei familiar o capacete branco.

essa corrida foi disputada em 3 baterias: duas curtas, com pilotos diferentes em cada uma, e uma final, a que classificava o vencedor da etapa.
não sei se era em função da pista de rua muito apertada que é o circuito de Pau, mas sei que esse formato de baterias 1 e 2 + final era comum na F2 naquela época.

a foto deve ser da final pois tem pilotos das duas baterias iniciais juntos.

politicamente_incorreto disse...

Breder e suas intervenções para lá de perfeitas. sabia da existência das graduações, mas graças ao Breder posso desfilar mais sabedoria na minha roda de chopp. Se bem que na minha roda de chopp só têm idiota falando de futebol e pra piorar uma boa parte ainda é torcedor do "framengo".......só bebâdo mesmo pra aturar algum amigo tentando achar qualidades no Adriano....

Rubem Rodriguez Gonzalez

Juanh disse...

Pau, un bellísimo circuito callejero. Recuerdo una foto de 1977, donde Keke Rosberg con un Chevrón B40 celeste del Fred Opert Racing toca en una curva a otro auto y salta al montarse en la rueda.
Abrazos!

Anônimo disse...

Pessoal,

Fui dar uma pesquisada melhor na prova da F2 em Pau, 1973.
Ao que tudo indica, o resultado da primeira e segunda baterias serviram para a formação do grid da terceira bateria.
A grosso modo, à esquerda do grid alinhavam-se os pilotos da 1a bateria, pela ordem de chegada e à direita do grid,
os da 2a bateria. Se eu não estiver errado, o provável grid seria esse (talvez com Depailler na pole):

--------------- Patrick Depailler
Vittorio Brambilla ---------------
--------------- François Cevert
Roger Williamson ---------------
--------------- Jean-Pierre Beltoise
George Birrell ---------------
--------------- Tino Brambilla
Reine Wisell ---------------
--------------- Tetsu Ikuzawa
Tim Schenken ---------------
--------------- Hiroshi Kazato
Sten Gunnarsson ---------------
--------------- Silvio Moser
Jean-Pierre Jaussaud ---------------
--------------- Bob Wollek
Jean-Pierre Jarier ---------------
--------------- Mike Beuttler
François Migault ---------------
--------------- Brendan McInerney(?)
Patrick Dal Bo(?) ---------------
--------------- Wilson Fittipaldi
Dave Morgan ---------------


Sendo assim, na foto, parecem que os pilotos são:

- Vittorio Brambilla (March 732 BMW, #18 - 'Beta');
- Patrick Depailler (Elf 2 Ford BDA, #9 ou Alpine A367);
- François Cevert (Elf 2 Ford BDA, #? ou Alpine A367), piloto grau "A";
- Roger Williamson (GRD 273 Ford BDG, #22);
- Jean-Pierre Beltoise (March 732 BMW, #? - carro vermelho);

se o carro atrás do Williams for o #33, então é:
- Gerry Birrell (Chevron B25 Ford BDA, #33);
parece também o capacete do Wilson Fittipaldi (Brabham BT40 Ford BDA), mas ele teria largado em último e dificilmente teria conseguido tantas posições assim na largada...

- Reine Wisell (GRD 273 Cosworth FVC, #5 - carro amarelo), piloto grau "A";
- Ernesto 'Tino' Brambilla (March 732 BMW, #19 - outo carro 'Beta');
- Mike Beuttler (March 732 BMW M12, #6?);

se ocarro branco atrás do Beuttler for um Chevron, como alguns disseram, então é:
- George Birrell ou Dave Morgan (ambos em um Chevron B25 Ford BDA) os únicos pilotos da Chevron na prova...
por isso, talvez o carro atrás de Williamson pode ser, também:
- Silvio Moser (Surtees TS10 Ford BDA), pelo capacete.

Os carros em azul-claro com a asa traseira vermelha são 'Motul M1 Ford BDG', da equipe de Ron Dennis, a 'Motul Rondel Racing'.
Havia 3 nessa prova: um para Tm Schenken (piloto grau "A"), outro para Bob Wollek e um terceiro para Jean-Pierre Jaussaud ( o capacete de Jaussaud era vermelho).

Aqui uma foto de um 'Motul M1' da 'Motul Rondel Racing', para comparação:
http://www.oldracingcars.com/Images/justason/Rondel-Justason-MaxEgli-400x.jpg

Emerson Fittipaldi e Ronnie Peterson estavam inscritos para essa prova - usariam um 'Texaco Star Ford BDA', que nada mais era que uma Lotus 74 - mas não apareceram por lá...

E é verdade... belíssima combinação de talentos, carros, cores...

outro abraço,
Renato Breder

fernando disse...

boa Breder.

quanto ao carro branco atrás do Willianson ainda fico com o palpite do Chevron, a parte do bico que aparece remete aos daquela marca - um bico sem dobras ou recortes, uniforme na sua extensão frontal - ao invés do Surtees TS10.

e o sistema de graduação era mesmo como você bem traduziu: lembro bem da notícia de quando Carlos Pace conseguiu a graduação "A", com as duas pontuações no GPs da Espanha e da Bélgica em 72.