segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Andrea de Cesaris
























O piloto italiano que largou 208 vezes na Fórmula 1.

Nunca venceu.

Nunca pilotou pela Ferrari.

Andrea de Cesaris é lembrado por coisas assim.

Era conhecido pelo apelido: Crasheris.

Vinha da fama adquirida em seus primeiros anos da Fórmula 1.

Já tinha nome.

Ron Dennis o conhecia da Fórmula 2.

No seu começo no Kart alcançou o título mundial.

Mas sua passagem pela McLaren foi um desastre.

Um não, vários...

14 Carros quebrados.

Os mecânicos, irritados, chegaram a recusar fazer os reparos.

Um piloto jovem que desabou sob pressão.

Mas sua trajetória na categoria estava garantida.

Sua família possuía contatos interessantíssimos.

E o homem que respondia pela Marlboro era o melhor amigo de seu pai.

Assim se passaram 14 anos.

10 equipes.

Andrea era um italiano nevoso.

Certa vez em Mônaco por pouco não desceu do carro para enfiar a mão na
cara de Piquet após um acidente.

Quando colocou a cabeça no lugar já era tarde.

Seu tempo havia terminado.

Em Spa-Francorchamps um jovem Michael Schumacher conseguiu provar isso.

A equipe Jordan questionou o piloto romano.

Sua situação havia ficado desconfortável.

Parecia o final de um casamento.

Onde a paixão apenas não era mais suficiente.

Paixão mostrada em desenhos que apresentava aos engenheiros.

Buscando soluções.

Eram como cartões para a amada.

Porém todos sabemos que é preciso atitudes e postura para se manter
uma relação.

Resultados.

Ninguém vive de promessas.

O amadurecimento veio.

Mas a Fórmula 1 já não o queria em sua casa.

A história havia chegado ao fim.

Aposentado das pistas, Andrea de Cesaris foi para a praia.

E abraçou as ondas e o Windsurf.

Sem compromisso, claro!

Seu verdadeiro amor estava perdido no passado.

12 comentários:

Ron Groo disse...

Também conhecido como Adrea de Crasheris...

Anônimo disse...

Um dos momentos bacanas dele, foi ter subido ao pódio no GP da África do Sul de 1983, junto com o Piquet e o Patrese.

http://www.youtube.com/watch?v=TcjignQyw3M

Mauro Santana
Curitiba-PR

Marcos Antônio Filho disse...

se corresse hoje tava banido do esporte já...rsrsrsrs

Suya definição foi perfeita, quando se aquietou e andou bem, mas era tarde demais.

Anônimo disse...

Lembro de um porrão monstro que ele escalou um barranco e saiu capotando. Não lembro a pista!

Rodrigo Keke disse...

Ah Andrea... rápido, as vezes muito rápido, mas incapaz de sustentar alguma regularidade. Como René Arnoux, só que ao quadrado, acumulou acidentes, chassis destruídos, mais acidentes... em uma época onde a morte rondava a espreita, foi sortudo de nunca ter se quebrado com tantas pancadas no currículo.

E não sabia dessa do Windsurf. Legal :D

Anônimo disse...

Ninguém devia dar porrada, pois este naum é o esporte. Mas esse é o de Cesaris: http://www.youtube.com/watch?v=ssAFmG81oqo

Anônimo disse...

o capotäo no barranco enlameado foi no österreichring - zeltweg por afeicäo.
o terreno encharcado salvou-o de qualquer ferimento, saiu andando.

fernando

André Candreva disse...

um piloto rápido mas sem ser regular... e proporcionou acidentes de todos os tipos... mas era gente boa...

abs...

Anônimo disse...

E mais números do italiano...
Era 'mestre' em abandonar os GPs, quer seja por acidentes, quer seja por 'forçar' demais a máquina...

Andrea de Cesaris, em 1986 e 1987 atingiu o auge:

* 1986: dos 16 GPs da temporada, não se qualificou em 1 (Mônaco). Dos outros 15, em que largou, abandonou em 14 deles.
* 1987: desempenho semelhante. 16 GPs na temporada, abandonou 14. Na Austrália terminou em 8o, mas a 4 voltas do vencedor porque deu uma rodada... E seu grande momento foi o 3o lugar no GP da Bélgica.

Ao todo, em sua carreira na F1 foram 208 GPs com 134 abandonos (acima de 64%), destes pelo menos 51 entre acidentes (com o muro, com outros pilotos, etc) e rodadas...

Lenda...

um abraço,
Renato Breder

Anônimo disse...

Piquet, no documentário... "um
Dia você ta lá na frente, equipe grande, largando na pole... No outro, vc cai numa equipe pequena e larga do lado do De Cesaris... Puta que pariu..." dai pra ter uma idéia do risco....

Rodrigo - Porto Alegre

Társio disse...

Dechasheris, irônia (ou não) morrer num acidente (de moto).

Domingo esquisito no motorsport...

Rodrigo disse...

Schumacher assumiu o lugar do belga Bertrand Gachot na Jordan e não o de De Cesaris.

Sem nunca ter andado na fantástica pista de Spa, fez logo um oitavo lugar no grid. Na outra corrida, em Monza, já estava na Benetton no lugar de Moreno.

O resto é história.

Rodrigo Medeiros